Olá,

Visitante

Especial 50 anos do PNI: IdeiaSUS Fiocruz incorpora 42 experiências premiadas sobre vacinação

Iniciativa resulta da união entre IdeiaSUS e ImunizaSUS, contribuindo para o fortalecimento do Programa Nacional de Imunizações

Leitura: 6 minutos
Crédito: Raquel Portugal / Acervo Fiocruz Imagens

Criado em setembro de 1973, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) completa 50 anos. Modelo de política pública de imunização, fazendo do Brasil referência mundial na área, o desafio atual é retomar as altas coberturas vacinais em todo o país. Em comemoração ao cinquentenário do Programa, visando ainda a disseminação e a visibilização de experiências exitosas de imunização como forma de fazer frente aos desafios da atualidade, a Plataforma IdeiaSUS Fiocruz se une ao ImunizaSUS, projeto do Ministério da Saúde em parceria com o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), que tem como objetivo promover a qualificação do programa por meio de estudos, pesquisas e debates. Estruturado em três pilares – educação, pesquisa e comunicação, o projeto vem envolvendo diversos atores da área da saúde, com vistas ao engajamento social para conscientização da população brasileira sobre a importância da vacinação.

A ação de cooperação estreia com a publicação no Banco de Práticas de Saúde da Plataforma IdeiaSUS de 42 experiências bem-sucedidas na área de imunização. Premiadas por ocasião da 1ª Mostra Nacional do ImunizaSUS, realizada em julho deste ano, no contexto do 37º Congresso Nacional de Secretarias Municipais de Saúde, tradicionalmente promovido pelo Conasems, as iniciativas focalizam a ampliação da vacinação contra a Covid-19, da BCG, pólio, entre outras importantes vacinas do Calendário Nacional de Vacinação. Buscam combater as fakenews, promovem campanhas, mobilizam as comunidades locais, lançam mão de recursos como carretas em zonas rurais, lanchas voadeiras para levar as vacinas a populações ribeirinhas, estratégia drive thru em região fronteiriça, salas de vacinação itinerantes pelos interiores do país, escolas e busão da vacinação na promoção de mais saúde.

Em busca da retomada da cobertura vacinal

Coordenador da Oficina Nacional do Projeto ImunizaSUS, que culminou na Mostra, Flavio Álvares explica como foi possível identificar as experiências. “Para entender os fenômenos que vivemos hoje em relação às vacinas, fizemos uma ampla pesquisa, ouvindo usuários, gestores, profissionais de vacinas, pediatras, várias pessoas. Um dos fenômenos que identificamos nesta pesquisa e que tem sido um importante desafio para gestores, é a hesitação vacinal”, realça, em novo vídeo da série Vozes da Saúde, as experiências da IdeiaSUS, já disponível no canal da IdeiaSUS Fiocruz no Youtube. “Nós temos problemas diversos, com sistemas de informação, logística, cadeia de frio etc. Mas temos ao mesmo tempo profissionais indo à casa das pessoas para vaciná-las, e elas não querem. Então, ao invés de guardar essas informações em ‘uma gaveta’, resolvemos trazer para discussão, requalificando iniciativas que estão em execução”, detalha.

As 42 experiências foram selecionadas em meio a centenas de projetos inscritos na Oficina Nacional do Projeto ImunizaSUS. Os trabalhos tinham que agregar uma estratégia de fortalecimento das ações de imunização comum para o conjunto dos municípios das regiões de saúde das quais pertenciam. “A Mostra foi a celebração desse trabalho, reunindo 423 de 787 experiências inscritas no sistema do ImunizaSUS”, comemora Álvares.

A Oficina Nacional do Projeto ImunizaSUS resultou do processo de interiorização dos dados da Pesquisa Nacional sobre Cobertura Vacinal, seus Múltiplos Determinantes e as Ações de Imunização nos Territórios Municipais Brasileiros, realizada pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e o Núcleo de Educação em Saúde Coletiva da Universidade Federal de Minas Gerais (Nescon/UFMG). E buscou dar visibilidade às práticas que ocorrem nos territórios, trazendo seus pontos positivos, desafios e perspectivas futuras sobre a organização das ações de imunização do município.

Flávio Álvares, coordenador do ImunizaSUS, fala ao Vozes da Saúde, as experiências da IdeiaSUS. Arquivo da IdeiaSUS Fiocruz

Para o coordenador do ImunizaSUS, ampliar as coberturas vacinais requer enfrentar desafios diversos, complexos e com características regionais. “Precisamos de um grande pacto nacional entre estados, União e municípios para, em conjunto, entender essa heterogeneidade e as singularidades dos territórios e promover ações em resposta a tudo isso”, sugere. Ele celebra a parceria com a Plataforma IdeiaSUS, cuja missão é reunir e disseminar experiências do SUS, de todo o país, contribuindo para o fortalecimento de todo o sistema, em todas as suas dimensões. “A memória é importantíssima, para que possamos lá na frente olhar o que foi feito aqui atrás. A riqueza de informações é muito grande para fomentar doutorados, mestrados, publicações diversas”, realça. Para assistir ao relato na íntegra de Álvares, basta acessar o canal da IdeiaSUS Fiocruz no Youtube.

Em prol do fortalecimento do PNI

Entre as 42 experiências, que se somam a quase três mil práticas de saúde do SUS da Plataforma IdeiaSUS Fiocruz, está por exemplo a iniciativa do município de Barcarena, no Baixo Tocantins (PA). A cidade, caracterizada por ter a maior cobertura de atenção primária à saúde do estado (92%), possui uma vasta população em trânsito, por estar sediada em áreas portuárias, e é limítrofe com outros municípios, absorvendo muitas demandas fora de sua área de atendimento. Frente aos desafios, criou um comitê gestor, que se reúne periodicamente para pensar e repensar as melhores estratégias de vacinação e combater as falsas notícias, por meio de diálogo diário com a população.

Do Alto Tapajós, em Mato Grosso (MT), sobressai uma iniciativa cujo objetivo é o aumento da cobertura vacinal. A ação surge em decorrência às baixas coberturas, em especial da Vacina Oral Contra a Poliomielite (VOP), que sempre foi bem aceita pela população. Inspirado no PNI, o município de Paranaíta criou um programa local, para incentivar e estimular a população a se envolver e comparecer às unidades de saúde.

Outro exemplo bem-sucedido é a de vacinação itinerante e nas escolas, realizada em Bom Despacho (MG). As 17 unidades básicas de saúde do município ainda se intercalam no horário, estendendo o atendimento até as 19h, em dias programados, buscando atender aos trabalhadores que não conseguem dirigir-se às unidades em horário convencional.

De Santa Rosa do Sul, no extremo sul de Santa Catarina (SC), temos crianças felizes e vacinadas. O município, cuja população estimada é de 9.300 habitantes, conta com cinco unidades de saúde, sendo quatro de Estratégia Saúde da Família, e duas salas de vacinação descentralizada. Todo processo de trabalho é elaborado pela equipe gestora e enfermeiras responsáveis pela vacinação, com foco em campanhas vacinais e na conscientização da importância de manter o calendário de vacinação em dia.

Ambulancha, no Oeste do Pará, leva vacinas e mais saúde às populações ribeirinhas. Foto: Ronilma Santos

 

Abaixo, seguem para consulta as 42 experiências que estão no banco de práticas da Plataforma IdeiaSUS Fiocruz:

Por Katia Machado, Plataforma IdeiaSUS Fiocruz

Gostou? Compartilhe clicando abaixo

Palavras-chave

Você pode se interessar também