Olá,

Visitante

Vacinação em Dia! Estratégias para Recuperação das Coberturas Vacinais no Município de Vitória-es

O município de Vitória, capital do Estado do Espírito Santo, de acordo com o IBGE, possui população estimada de 369.534 habitantes. A Secretaria de Saúde de Vitória visando melhor referenciar as ações em saúde na cidade estratificou seu território em seis regiões de saúde, a saber: região Continental, região de São Pedro, região de Maruípe, região do Centro, região de Santo Antônio e região do Forte São João, cuja territorialização está explicitado no Plano Municipal de Saúde da capital. A capital possui a Atenção Primária estruturada com 18 equipes de Atenção Primária, 83 equipes de estratégia de saúde da família (ESF); o que corresponde a 80,89% de área territorial coberta pela ESF e quatro Unidades Básicas de Saúde. O Programa Municipal de Imunização (PMI) de Vitória, orientado pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) e vinculado à instância Estadual, está inserido na coordenação de Vigilância Epidemiológica subordinada à gerência de Vigilância em Saúde, que por ordem, compõe a pasta da Subsecretaria de Atenção em Saúde. O serviço de imunização compõe-se de uma Central de Imunobiológicos (CIB) e vinte e oito salas de vacinas que estão localizadas nas unidades de saúde distribuídas nas regiões de Saúde. Cada sala de vacina possui um Enfermeiro capacitado em sala de vacina que é responsável por organizar, em nível local, as ações de vacinação do território de acordo com suas características populacionais, atualizar os vacinadores referentes às notas técnicas vigentes, realizar a supervisão em boas práticas em vacinação e garantir que os processos de trabalho dentro da sala de vacina mantenham os padrões de qualidade e segurança preconizados pelo PMI.

Desde o ano de 2017, as coberturas vacinais da capital vêm apresentando uma queda das vacinas básicas do calendário infantil, e com a pandemia do novo Coronavírus, em 2020, tal problemática se agravou, acarretando na diminuição ainda maior da vacinação até um ano de idade, tal situação se agravou em virtude do medo da população em se expor, bem como seus filhos ao vírus, acarretando na diminuição da procura das famílias aos serviços de saúde, e consequentemente, a vacinação. Além disso, observou-se uma crescente onda dos movimentos antivacinas e propagação nas mídias sociais de informações inverídicas (fake news) que estão levando a população a desacreditar e/ou duvidarem da eficácia das vacinas, mesmo com a disponibilidade de informações técnicas e científicas também em circulação. Somado a isso, podemos destacar desafios vivenciados que podem estar contribuindo para o não alcance de coberturas vacinais, como o desabastecimento de vacinas por parte do Ministério da Saúde que tem levado o município a instituir dias de abertura de frasco de vacina nas unidades de saúde para otimização das doses. Como alternativa para minimizar o evento, o município adota o agendamento online como estratégia de otimização juntamente com a demanda espontânea. Ademais, inconsistência no sistema de informação tem contribuído para que doses de vacinas registradas não migrem para o banco de dados nacional por inúmeras situações, dentre as quais se destacam inconsistências no cadastro de profissionais no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde (CNES), validação do Cartão Nacional de Saúde (CNS) do usuário, registro de imunobiológicos com estratégia ou dose inválida, data de nascimento posterior a data de aplicação da vacina, entre outros. Mediante a esses problemas a equipe do PMI fortaleceu o monitoramento com correção das informações.

Em virtude do cenário de baixas coberturas vacinais, o PMI junto às equipes de saúde locais, iniciou a realização de ações de vacinação extramuro em escolas, praças da cidade, igrejas, hospitais, parcerias com outras secretarias municipais (assistência social, cultura, educação, dentre outras) e lideranças comunitárias, ofertando tanto as vacinas de campanha (covid-19 e influenza), como também, às vacinas de rotina para crianças, adolescentes, adultos e idosos. Promoveu a ampliaçãoda oferta de vacinação nas unidades de saúde, estimulando a abertura de unidades estratégicas em horário estendido durante a semana, bem como, aos finais de semana e feriados. Além disso, as unidades de saúde iniciaram a ampliação do horário da sala de vacina em horário compatível com o de abertura e fechamento da unidade de saúde, dando assim, maior acesso a população, principalmente àquela economicamente ativa, ao serviço de vacinação. Para mais, o PMI está com projeto em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (Imunização: Vacina Sim!), Escola Técnica do SUS e Rotary para promover uma capacitação ampliada em sala de vacina aos demais profissionais de saúde da Rede e das equipes de medicina e segurança do trabalho em empresas, focados em leitura básica de caderneta de vacinação, com a finalidade de ampliação do público com conhecimento em formação básica em vacinação. Como alternativa para minimizar o desabastecimento de imunobiológicos, o município adota o agendamento online como estratégia de otimização juntamente com o atendimento a demanda espontânea. Além disso, mediante as inconsistências do sistema de registro de vacinação a equipe do PMI fortaleceu o monitoramento com correção das informações.

Diante das baixas coberturas vacinais observadas no município de Vitória, acompanhando o cenário Estadual e Nacional, podemos observar que para este fato não é possível determinar se há uma só causa ou vários fatores, que sejam responsáveis pelas quedas das coberturas vacinais. O PMI de Vitória junto às equipes locais de saúde vem construindo e revisando estratégias para melhorar as coberturas vacinais do município, como: a ampliação de ações extramuros, funcionamento de unidades estratégicas em horário e dias alternativos, monitoramento dos indicadores das coberturas vacinais pela equipe central e local e agendamento online. Além disso, há um trabalho de conscientização nas escolas das equipes locais dos territórios junto ao Programa de Saúde nas Escolas (PSE) para combate a desinformação sobre a temática da vacinação e incentivo a vacinação.

Principal

Tatiane Comerio

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

30 ago 2023

e atualizada em

30 ago 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Experiência do Preventivo Humanizado no SUS
Maranhão
Práticas
Implantação do serviço de curativos na atenção básica do município de Arara: experiência exitosa
Paraíba
Práticas
Assistência odontológica aos trabalhadores da saúde municipal de Esperança: relato de experiência
Paraíba
Práticas
Caminhos do Cuidado, levando serviços de saúde para as comunidades rurais no município de Condado (PB)
Paraíba
Práticas
Gestar saudável – de 0 a 1000 dias
Paraíba
Práticas
Mapa territorial em saúde mental: instrumento exitoso do cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
Implementação da estratégia Tenda da Imunização para aumento de coberturas vacinais
Todos os Estados (Nordeste), Paraíba