Olá,

Visitante

A Incorporação da Busca Ativa Vacinal À Estratégia Vacina Mais Campina: Rumos da Intersetorialidade

Campina Grande é um dos municípios do Estado da Paraíba com população estimada de 413.830 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – 2021, sendo a segunda cidade com maior número de habitantes. No Setor Saúde, a Estratégia Saúde da Família funciona como exímio modelo de reorganização da Atenção Primária à Saúde (APS) e se configura como a porta de entrada do sistema. A APS do município está composta por 119 Equipes de Saúde da Família, distribuídas em 07 Distritos Sanitários podendo contar ainda com 04 Centros de Saúde, 04 Policlínicas Distritais, 01 Unidade Mista localizadas na Zona Rural da cidade, 01 Equipe de Consultório na Rua, 10 Unidades com o Programa Saúde na Hora, 03 Equipes do Melhor em Casa, 03 equipes de saúde no Sistema Prisional, 01 maternidade pública e 02 maternidades, filantrópica e privada conveniadas ao SUS e integradas à Rede de Atenção Materna e Infantil, Rede Cegonha. Atualmente, temos uma capacidade para 94 salas de vacina na APS distribuídas nos respectivos Distritos Sanitários, 03 salas nas maternidades e uma na Central Municipal de Rede de Frio (CMRF). A logística e organização do processo de trabalho em imunização na rotina dar-se com a garantia de abastecimento das salas de vacinas da APS, por Distrito Sanitário, e permanente disponibilização sistemática e programada a atender às necessidades das equipes por meio de uma ferramenta oficial e específica adotada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) o que permite lisura e agilidade no processo de solicitação, controle, entrega e monitoramento da retroalimentação. Processo possível a partir do abastecimento da CMRF que recebe, rigorosamente e de forma regular, os imunobiológicos da 3ª Gerência Regional de Saúde na primeira semana de cada mês. Neste sentido, a avaliação acerca dos indicadores e as reflexões sobre as necessidades de um planejamento efetivo, exigiu um plano de ação com foco na garantia de mais acesso e facilitação para adesão principalmente para alcance da população estimada no município que inclui crianças menores de um ano, ou entre um e menor de dois anos de idade como sendo 5.951 crianças, faixa etária prioritária para qual é indispensável iniciar e manter atualização do calendário vacinal.

Diante da reflexão sobre os problemas e desafios das ações de imunização foi elaborado o Plano Municipal de Imunização (PMI) baseado em quatro eixos estratégicos levando em consideração as possibilidades de execução no cenário local com o objetivo de recuperar as altas e homogêneas coberturas vacinais no âmbito municipal, favorecendo a eliminação e o controle das doenças imunopreveníveis com foco nas diversas causalidades que favorecem essa realidade apontadas na Pesquisa ImunizaSUS. Os quatro eixos do PMI são: • Eixo 1 = Busca Ativa Vacinal (BAV) – Unicef; • Eixo 2 = Estruturação da Rede Municipal de Imunização; • Eixo 3 = Fortalecimento das articulações intrassetoriais e intersetoriais; • Eixo 4 = Comunicação e educação em imunização.

Seguem abaixo estratégias de fortalecimento das ações de imunização por cada eixo do PMI: Eixo 1 = Busca Ativa Vacinal (BAV) – UNICEF • Busca Ativa Vacinal em áreas de alta vulnerabilidade social tanto pelas equipes da Estratégia de Saúde da Família como pela equipe de vacinação itinerante, realizando a vacinação em algum equipamento cedido por algum representante da comunidade, bem como indo nos domicílios das pessoas (vacinação casa a casa), em feiras, praças e parques da cidade; • Implantação do “Carro da Vacina” que pode ser solicitado através do telefone da Central de Relacionamento da Secretaria Municipal de Saúde – contato: (83) 3077-1321 ou pessoalmente na Rede de Frio Municipal. A equipe de vacinação itinerante vai até a residência das pessoas com limitações físicas, cognitivas e/ou sociais e que precisam ser vacinadas, e que não pertencem a uma área de cobertura pela ESF; • Trabalho em conjunto da equipe de Vigilância em Saúde (equipe de vacinação itinerante) e das equipes da Atenção Primária à Saúde (equipes da ESF) em ações de vacinação extramuro – realização de BAV em escolas e creches municipais, em Centros de Referência de Assistência Social (CRAS); • Fortalecimento das ações de imunização realizadas pelas equipes da Atenção Primária à Saúde, vinculadas ao Programa Saúde na Escola – PSE; • Busca Ativa Vacinal também de registros nas maternidades do município; • Realização do “Dia V” que consiste em uma campanha local a nível Distrital, onde todos os meses conforme cronograma pré-estabelecido todas as salas de vacina daquele Distrito Sanitário, mesmo as que estão inativas, ofertam vacinas a população, fazendo um trabalho de busca ativa na área de abrangência e ampla divulgação; • Fase de implantação da plataforma tecnológica da BAV – UNICEF que irá permitir detectar as causas do atraso vacinal por criança sinalizando para que cada equipe de saúde faça a intervenção para atualização da caderneta de vacinação conforme a vivência de cada família; Eixo 2 = Estruturação da Rede Municipal de Imunização • A gestão municipal deverá fazer melhorias na infraestrutura das salas de vacina municipais deixando-as adequadas conforme preconiza as Resoluções específicas, manuais e documentos técnicos do Ministério da Saúde; • Aquisição de câmaras frias para acondicionamento de imunobiológicos e de aparelhos de ar-condicionado para climatização das salas de vacina e equipamentos digitais para registro das vacinas nos sistemas de informação do Ministério da Saúde; • Organização do processo de trabalho dos serviços de imunização a possibilitar a administração das vacinas com prática paritária do registro dos imunobiológicos em todos os instrumentos de verificação; • Implantação do “Sábado da Vacina” ofertando vacinas aos sábados pela manhã nas 10 Unidades Básicas de Saúde com o Programa Saúde na Hora e em pontos de vacinação em área de grande circulação de pessoas, a exemplo do ponto instalado no Terminal de Integração; • Ampliação da oferta de imunobiológicos na sala de vacina do Instituto Elpídio de Almeida – ISEA, não restritos apenas as vacinas BCG e Hepatite B, contemplando a garantia de todos os imunobiológicos que constituem o calendário vacinal da mulher gestante, recém-nascido, lactente e criança menor de 01 ano; • Monitoramento mensal da cobertura vacinal pelas equipes da ESF; • Abastecimento das salas de vacina conforme solicitação dos profissionais. Eixo 3 = Fortalecimento das articulações intrassetoriais e intersetoriais • Celebração de parcerias intrassetoriais – vacinação em serviços hospitalares públicos e privados, UPA-24h, SAMU-192, Clínicas, etc.; • Implantação do projeto piloto no Hospital da Criança e do Adolescente por meio da parceria com residentes e preceptoria com abertura de canal de comunicação e acionamento da equipe de vacinação itinerante na perspectiva de realização das vacinas ainda no ambiente hospitalar frente à identificação de criança com vacinas em atraso e com condições clínicas que permitam o resgate e a atualização vacinal e/ou aprazamentos. O residente de pediatria também orienta a família acerca da vacina a ser administrada e prepara um resumo com todas as orientações, incluindo o protocolo a ser adotado nas situações de hesitação vacinal; • Parceria com a Secretaria de Educação (SEDUC) – vacinação nas escolas e creches; disponibilização da equipe da brinquedoteca da SEDUC durante a vacinação deixando o processo lúdico e atrativo para as crianças, ação de destaque do PSE a partir do eixo saúde para educação; • Parceria com a Secretaria de Assistência Social (SEMAS) – vacinação nos CRAS/CREAS com a presença das equipes dos CRAS/CREAS, bem como dos Agentes do Programa Criança Feliz; • Parceria com a Secretaria de Juventude, Esportes e Lazer (SEJEL) – vacinação em parques da cidade e em eventos poliesportivos, • Parceria com a Superintendência de Trânsito e Transporte Público de Campina Grande (STTP-CG) – instalação de um ponto de vacinação no Terminal de Integração, o qual funciona de segunda a sábado; • Parceria com Universidades Públicas e Privadas tanto para ações de imunização como para capacitações dos profissionais, além de realização de Projetos como o PET em Saúde – Imunização; • Participação do “Dia D” Estadual e/ou Nacional abrindo vários serviços de vacinação aos sábados; • Participação da equipe de vacinação itinerante em eventos da Prefeitura Municipal de Campina Grande, a exemplo do “Campina Bem Cuidada”, o qual consiste em levar serviços de várias secretarias a diversos bairros da cidade, permanecendo por uma semana em cada bairro; “Mutirão Saúde de Verdade”, eventos culturais como o “Natal Iluminado”, entre outros. Eixo 4 = Comunicação e educação em imunização • As ações de vacinação são divulgadas na imprensa local e algumas repercutiram positivamente no âmbito nacional atraindo para o município equipes de imprensa UNICEF e TV Brasil; • Executando estratégias de imunização engajada em comunicação digital através de redes sociais e mídias para fomentar a vacinação; • Elaboração de projetos e campanhas de vacinação no município, • Divulgação da campanha local de Multivacinação “Vacina com Amor e Consciência”; • Realização do I Seminário Multiprofissional de Imunização na APS; • Curso de atualização para os residentes da Residência Médica de Medicina de Família e Comunidade, Residência de Pediatria e preceptores, composto por 4 módulos integrados, a saber: Módulo 1 – Atualização do calendário vacinal e recuperação do atraso vacinal; Módulo 2 – Efeitos adversos da vacinação; Módulo 3 – Calendário de vacinação do prematuro; Módulo 4 – Vacinação contra COVID-19 e estudo de casos clínicos. • Implantação do Projeto de educação continuada denominado “Vacina com Conhecimento” para os profissionais das salas de vacina da Atenção Primária à Saúde – as capacitações estão sendo realizadas bimestralmente por Distrito Sanitário; • Elaboração de material de apoio sobre imunização para os profissionais de saúde e de certificados de incentivo a vacinação para as crianças; • Implantação dos Proedimentos Operacionais Padrão – POP’s sobre imunização; • Atividade de educação em saúde com o teatro de fantoches abordando temas de imunização (ainda em fase de implantação); • Canais de comunicação com disponibilização de acesso para comunidade e também profissionais com divulgação de links de vídeos sobre vacinação no âmbito municipal: https://www.youtube.com/watch?v=j3ykJquEF6U ; https://www.youtube.com/watch?v=xDLlYC3J6gs .

A estratégia de imunização no município de Campina Grande em execução tem fortalecido as ações de vacinação, integrado atores como parceiros sociais e de educação para movimentação permanente, além do alinhamento seguro através da BAV/UNICEF. Tal fato tem possibilitado maior expressão em números de vacinas e alcance da população alvo por retomada da adesão e ampliação de pontos dinâmicos, instalados em locais estratégicos que melhor atendam às rotinas e ao trânsito diário de pessoas, além da manutenção e qualificação das salas de vacinas instaladas nas maternidades e UBS. Notadamente, a cobertura vacinal ainda está baixa, aquém do nosso propósito, haja vista o atraso vacinal detectado por monitoramento das crianças, destacar-se, uma vez que estas precisam de muitos esquemas devidamente completos para que possamos considerar a cobertura vacinal adequada, completa e alcançada. A situação traze-nos à reflexão acerca do período pandêmico e os impactos difíceis que instalaram-se para este alcance, uma vez que no início da introdução das vacinas contra COVID-19, as campanhas limitavam a oportunidade para atualização do calendário vacinal devido o intervalo de 14 dias, inicialmente exigido, e mesmo depois da retirada da recomendação pelo MS fez-se necessário trabalho intenso de desconstrução dessa informação e da insegurança causada pela circulação de notícias falsas sobre vacinação, constituindo outro desafio. Faz-se necessário, portanto, um trabalho contínuo, intenso e aos pares para recuperação efetiva e factível das altas coberturas vacinais. Os resultados positivos advindos do trabalho compartilhado podem ser apreciados nas ações realizadas durante o período de 14 de julho a 30 de setembro de 2022 com a Estratégia Vacina Mais Campina e BAV/UNICEF que chegou a realizar ações de vacinação em 65 Escolas e Creches Municipais, administrando 2.057 doses de vacinas contra Influenza, 1.292 doses de vacinas contra covid-19, 4.394 doses de vacinas de rotina e 941 doses de vitamina “A”, totalizando 8.684 administrações no âmbito escolar, ilustrando que parcerias são válidas e fortalecem processos e resultados. A partir da experiência, Campina Grande segue com ações de destaque e nesse momento estar a desenvolver junto ao PSE ações de impacto acessando as escolas e creches e apoiando-se na equipe itinerante de vacinação (DVS) com vistas nas áreas de abrangência limitada por ausência de equipamento de saúde no território e/ou outras fragilidades. Destacaram-se também ações de vacinação nos Centros de Referência de Assistência Social – CRAS em dois períodos no ano de 2022, os nas 11 unidades CRAS do município em dois períodos no ano de 2022, os quais foram de 19/07 a 04/08/2022 e de 13 a 27/09/2022, com administração de 602 doses de vacinas contra Influenza, 541 doses de vacinas contra covid-19, 509 doses de vacinas de rotina e 87 doses de vitamina “A” no primeiro período e 117 doses de vacina contra Influenza, 99 doses de vacina contra covid-19, 409 doses de vacinas de rotina e 47 doses de vitamina “A” no segundo período nos serviços de assistência social supracitados, vindo a computar 2.411 doses de vacinas e vitamina “A” nos CRAS durante os dois períodos mencionados. Dentre os resultados alcançados, pode-se destacar o aumento da aplicação de vacinas infantis de 85% na cidade em 2022. No primeiro semestre foram aplicadas aproximadamente 25.725 doses de vacinas de rotina e no segundo semestre, quando as ações foram desenvolvidas, consta o alcance de aproximadamente 47.820 doses, representando crescimento de 85% em relação ao período em que as ações não eram executadas. Entre julho e dezembro de 2022, a BAV foi realizada em 11 CRAS, 23 escolas e 42 creches, além de várias vacinações em domicílio e em áreas de alta vulnerabilidade social. Nas redes sociais, as campanhas de engajamento criaram uma atmosfera positiva em torno da vacinação e atingiram mais de um milhão de pessoas/contas, o que significa dizer que populações de outros municípios, circunvizinhos e até de outros estados, também foram impactadas pela comunicação de Campina Grande sobre a vacina.

Principal

Samira Emanuele De Azevedo Luna

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

30 ago 2023

e atualizada em

30 ago 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vivência em atendimento em grupo de portadores de Diabetes Mellitus da Esf Itapuca, Resende, RJ
Rio de Janeiro
Práticas
A descentralização das ações de controle da tuberculose no município de Volta Redonda
Rio de Janeiro
Práticas
O matriciamento de cardiologia e endocrinologia no fortalecimento a atenção à doenças crônicas
Rio de Janeiro
Práticas
A expansão do processo matricial no município de Volta Redonda – uma experiência exitosa
Rio de Janeiro
Práticas
A importância da equipe multidisciplinar no programa de osteoporose de Penedo – Itatiaia (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Sensibilização da APS para o cuidado integral da população em situação de rua da cidade de Resende
Rio de Janeiro
Práticas
Coordenação do cuidado, ordenação da rede de atenção à saúde e o e-SUS AB como ferramenta de gestão
Rio de Janeiro