Olá,

Visitante

Vacina também é coisa de gente grande

O projeto de intervenção é realizado na Estratégia de Saúde da Família (ESF) Tucuns dos Donatos, localizada na zona rural do município de Pedro II, região norte do estado do Piauí, a 200 km da capital Teresina. Esta unidade presta atendimento a uma população de aproximadamente 3.145 pessoas, abrangendo uma média de 30 (trinta) comunidades rurais, algumas distantes até 70km da sede do município. O mapa desta ESF divide-se em oito microáreas, onde vivem aproximadamente 2.130 (duas mil cento e trinta) pessoas na faixa etária de 20 a 85 anos, em sua maioria de baixa renda, tendo como principais fontes de recurso, os benefícios sociais e a agricultura familiar. Durante os atendimentos de descentralização percebeu-se que os adultos e os idosos, ao serem indagados sobre vacinação, quase nunca tinham caderneta de vacinação, ou quando a possuíam, esta trazia somente poucos registros, muitas vezes, com esquemas vacinais incompletos, ou, quando completos, eram, em sua maioria, de campanhas como a Influenza. Ao analisar os sistemas de informações de imunização e ao questionar os pacientes que buscavam atendimentos clínicos diversos na unidade, pouquíssimas eram as informações obtidas acerca da vacinação de adultos e idosos. Eram poucos os que tinham cartão de vacinação e muitos os que, sequer, tinham conhecimento da importância deste, outros achavam que só as crianças precisavam mantê-lo atualizado.

Nas reuniões mensais de equipe, foi possível perceber que a falta de informação era a mantenedora deste ciclo, faltava conhecimento não só por parte da população, como também entre os próprios membros da equipe. Muitos eram os desafios, como: problemas de fluxo, má realização de busca ativa e inadequação no preenchimento do sistema. A taxa de abandono era altíssima nesta faixa etária, já que somente um pequeno percentual da população conseguia comprovar seus esquemas de vacinação completos.

Para o estabelecimento de algumas estratégias de fortalecimento e execução do projeto, foi realizada a divulgação do Projeto Vacina também é coisa de Gente Grande entre os dezessete membros da equipe e a execução de atividade de Educação Continuada com os agentes comunitários de saúde, equipe de enfermagem e demais membros da equipe sobre as ações de imunização na população adulta. Além disso, foi feito um levantamento dos dados dos pacientes que são atendidos em cada microárea, respeitando a faixa etária descrita, logo após, foi realizada a divulgação da ação de vacinação da população adulta junto à comunidade e foi feita a convocação da população. As ações de imunização foram efetivadas por meio de atendimentos descentralizados nas oito microáreas da ESF, além disso, foi realizada uma busca ativa para vacinação dos faltosos. Foram emitidos os relatórios de vacinação, o que tornou possível a identificação na comunidade dos pacientes que seguiam sem comprovantes de vacinação, ou com atraso na administração de doses, o que favoreceu a atualização da situação vacinal dos pacientes adultos encaminhados pelos ACS durante a busca ativa.

Para que as estratégias de imunização pudessem ser concretizadas, foi realizada uma avaliação periódica da situação vacinal da população de referência da equipe, a fim de identificar não vacinados e reduzir prováveis suscetibilidades. O monitoramento se deu de forma rápida, por meio do controle em sala de vacina, avaliação dos cartões dos pacientes que compareceram ao posto, e ainda, através de visitas dos Agentes Comunitários de Saúde e atendimentos domiciliares, com base nas informações que constam no comprovante de vacinação dos residentes na área de abrangência. Ao término de cada quadrimestre, foram realizados comparativos dos relatórios emitidos pelo sistema de informação e-SUS AB PEC, a fim de verificar os avanços da equipe. Ademais, para uma avaliação mais minuciosa das coberturas vacinais, realizou-se, ainda, a análise e a vigilância das áreas para o acompanhamento da evolução dos indicadores de vacinação. Três indicadores foram estratégicos e serviram como objeto de monitoramento: cobertura vacinal, homogeneidade de coberturas e taxa de abandono de vacinação. O projeto trouxe grande engajamento da equipe, de maneira que todos os membros passaram a preocupar-se com a efetivação das ações de imunização da população adulta que reside na área de abrangência da ESF, o que culminou com melhoria significativa da cobertura vacinal dos adultos de todo o território adscrito, influenciando, também, na melhoria do conhecimento da população acerca da importância da imunização nesta faixa etária. O que se pode perceber é à medida que as pessoas não convivem mais com as mortes e incapacidades causadas pelas doenças imunopreveníveis, passam a não mais perceber o risco que estas doenças representam para a sua própria saúde, para os membros de sua família, e para a comunidade. Nesse cenário, aparece o medo dos eventos adversos e a circulação de notícias falsas sobre os imunobiológicos, que se sobrepõem ao conhecimento sobre a importância e os benefícios das vacinas. No entanto, foi possível obter resultados significativos, o que tornou a realização do projeto uma experiência exitosa e que pode ser expandida às outras ESF, aumentando não só a cobertura vacinal, mas também, o conhecimento da população sobre imunização, o que ajudou muito na efetivação do projeto.

Principal

Manoel Messias Rodrigues Da Silva

ideiasus@gmail.com

Coautores

Manoel Messias Rodrigues Da Silva

A prática foi aplicada em

Pedro II

Piauí

Nordeste

Esta prática está vinculada a

ImunizaSUS

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

30 ago 2023

e atualizada em

26 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba