Olá,

Visitante

Atencão Básica como Ordenadora da Rede: Experiencia do Município de Mafra/Sc

Atenção Básica – AB é o conjunto de ações de saúde individuais, familiares e coletivas que envolvem promoção, prevenção, proteção, diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos, cuidados paliativos e vigilância em saúde, desenvolvida por meio de práticas de cuidado integrado e gestão qualificada, realizada com equipe multiprofissional e dirigida à população em território definido, tendo na Saúde da Família – SF sua estratégia prioritária para sua expansão e consolidação devendo ainda seguir os princípios e diretrizes do SUS em consonância com a política de promoção da equidade em saúde. É a principal porta de entrada e centro de comunicação da Rede de Atenção à Saúde – RAS, coordenadora do cuidado e ordenadora das ações e serviços na rede. A coordenação do cuidado, centrada na pessoa, tem o objetivo de integrar e dar continuidade às ações de saúde prestadas por diferentes profissionais ou em diferentes serviços da rede, garantindo que o usuário receba o cuidado que necessita.

A presente experiência tem por objetivo relatar a forma de organização da Atenção Básica como ordenadora da Rede de Atenção à Saúde em Mafra SC, nas pactuações da definição das portas de entradas, fluxos, referências e contrarreferências em 2014, a cobertura era de 45%. Qualquer mafrense tinha direito ao acesso aos serviços de Saúde. o acesso desordenado provocava duplicidade de atendimento, prescrições de exames e receitas médicas, além do cuidado fragmentado e descontinuado. A coordenação entre níveis assistenciais foi imprescindível assim como articulação entre os serviços de saúde. A implantação das equipes de SF, fez a AB ser a porta de entrada principal da Rede de Atenção à Saúde – RAS. Desta forma iniciou-se o processo de ampliação da cobertura da Atenção Básica e em 2015 atingiu-se 100% cobertura ESF, com uma equipe Nasf-AB. A construção de fluxos e normas de acesso entre serviços e profissionais através da AB trouxe à saúde mafrense a ordenação do cuidado.

as 18 equipes SF, distribuídas em 13 Unidades de Saúde – UBS fez que o usuário buscasse sua UBS justamente pela expectativa que seu problema seja resolvido na própria, ou que a mesma possa ajudá-lo a acessar o serviço que poderá resolver seu problema, portanto, ela deve ser resolutiva e porta de entrada para outros serviços do sistema. A promoção de novos estilos de vida, o incentivo ao autocuidado, a prevenção de agravos associada à clínica ampliada, o acesso a medicamentos, exames, atividades de educação em saúde, o despertar do sentimento de pertencimento, os grupos de apoio e incentivo a participação popular, são exemplos da melhoria com a implantação da AB como ordenadora do cuidado.A AB, em Mafra, configurou-se como uma estratégia para superar e auxiliar na mudança do modelo de saúde fragmentado para a atenção integral, auxiliando no direcionamento das linhas de cuidado, favorecendo maior articulação e qualificação da rede de serviços que compõe o sistema de saúde mafrense. Por se tratar de um trabalho articulado entre as eSF e a Atenção Especializada é notório a qualificação do atendimento ofertado ao usuário mafrense trazendo benefícios para a saúde da população.

Principal

Susanne Stritzinger De Cassias

nasfmafrasc@gmail.com

Coautores

Jaqueline Fátima Previatti Veiga, Ariane Woehl, Alexandre Engel

A prática foi aplicada em

Mafra

Santa Catarina

Sul

Instituição

Rua Mathias Piechnick, 1407 Ap 302 - Bairro Jardim Do Moinho – Mafra/Sc - Cep 89306-038

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Jaqueline Fátima Previatti Veiga

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vigilância e Controle da Febre Amarela na Coordenadoria Regional de Saúde Sul do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
Sucessus 2018: Nossa Equipe É Show! – Valorização do Trabalhador do SUS e das Experiências Inovadoras no Cuidado em Saúde na Região de Vila Prudente/Sapopemba, Município de Sp
São Paulo
Práticas
Experiência de des institucionalização: o Resgate da Cidadania e da Dignidade no Relato de Profissionais e Pacientes
São Paulo
Práticas
Educação Permanente em Saúde Diária como Estratégia de Sustentação na Integração Entre Equipes Técnicas Distintas – Atenção Básica e Vigilâncias
São Paulo
Práticas
Avaliação Interdisciplinar e Diagnóstico Diferencial – Mobilização na Busca de uma Linha de Cuidado Assertiva no Cer de São Bernardo do Campo
São Paulo
Práticas
Intervenção do Farmacêutico do Nasf no Uso Irracional de Antiinflamatórios Não Esteroidais (Aines), uma Experiência da Ubs União
São Paulo
Práticas
Tecendo Redes: uma Experiência de Articulação do Trabalho em Rede Intersetorial em um Território de Saúde no Município de Assis/Sp
São Paulo
Práticas
Empoderamento Social em Defesa do SUS no Município de des calvado – Sp
São Paulo
Práticas
A Experiência de Implantação da Política de Saúde Integral para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Lgbt) na Região Central do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
des envolvimento da Gestão de Custos no SUS em São José do Rio Preto
São Paulo