Olá,

Visitante

Integração entre atenção básica e vigilância em saúde na prevenção do mosquito Aedes Aegypti

A adaptação do mosquito Ae. aegypti vem aumentando com o passar dos anos, no ano de 2012 o município registrou a presença de focos do mosquito, que ao longo do tempo tornou-se infestado pela presença do vetor. Os índices de infestação predial realizados no município principalmente nos meses de novembro a maio apontam um alto índice de infestação predial. em meio a estes fatos, continuamente ações são desenvolvidas, além do trabalho rotineiro das Agentes de Endemias e das Agentes Comunitárias de Saúde nas visitas aos imóveis e na eliminação de criadouros, desenvolve-se conjuntamente a isso, palestras nas escolas, feiras de saúde, orientações sobre as doenças em grupos de risco, dia D de combate ao vetor, utilização da mídia local de forma orientativa e a confecção de repelente natural caseiro como método paliativo e preventivo. A confecção do repelente natural pelas agentes têm o intuito de influenciar a população a produzir seu próprio repelente e fazer a utilização de modo contínuo.

Promover a prevenção das doenças transmitidas pelos mosquito Aedes aegypti, como Dengue, Zíka Vírus, Febre Chikungunya e Febre Amarela Urbana, através da confecção de repelente natural a base de cravo-da-índia. A elaboração do repelente natural foi realizado pelas Agentes Comunitárias de Saúde e Agentes de Endemias, buscando desenvolver as práticas integrativas do SUS associando a Atenção Básica na prevenção de doenças e as ações de Vigilância em Saúde no combate ao vetor. o repelente natural teve como base o cravo-da-índia que é rico em óleo essencial e eugenol, uma propriedade inseticida que afasta insetos, além de álcool 70% e óleo de amêndoas. Foram produzidos distribuídos em feiras de saúde, grupos de risco e para a população em geral. em cada frasco continha a composição do produto juntamente com a forma de preparo do mesmo, para que a população pudesse dar continuidade ao trabalho preventivo fazendo seu próprio repelente.

A adesão ao produto foi bastante expressiva, atingindo grande parte da população urbana. Os usuários relataram a eficácia do produto e muitos fizeram a confecção do repelente natural e atualmente fazem o uso do mesmo. A interação das equipes na confecção do repelente criou espaço para além da educação permanente envolvimento na busca de ações eficazes e que ampliem o acesso e principalmente desenvolvam ações de promoção e prevenção de doenças.as ações de prevenção da Vigilância em Saúde juntamente com promoção da saúde através da Atenção Básica são ferramentas fundamentais para interrupção da cadeia de transmissão das doenças transmitidas pelo Ae. aegypti. o repelente é um dos métodos preventivos mais utilizados contra as picadas de insetos. A confecção de repelentes naturais facilita o acesso à população, bem como o baixo custo, tornando o mesmo acessível a todas as classes sociais.

Nenhuma recomendação foi adicionada para o cravo-da-índia, planta que espanta mosquito da dengue

Principal

Amanda Cristina Negri

vigambiental.tapejara@gmail.com

A prática foi aplicada em

Tapejara

Rio Grande do Sul

Sul

Instituição

Rua Tranquilo Basso, 315 Tapejara - Rio Grande Do Sul

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Maeli Caroline Brunetto Cerezoli

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

22 maio 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal