Olá,

Visitante

Verde, amarelo e vermelho: protocolo de classificação das consultas por grau de prioridade no Centro Especializado de Saúde de Quissamã (RJ)

A rede de saúde de Quissamã possui 09 unidades básicas com 100% de cobertura da população pela Estratégia Saúde da Família, 02 dispositivos de saúde mental, 01 Hospital, 01 Unidade Emergencial e 01 Centro Especializado de Saúde (CES) com 25 especialidades médicas. A atenção especializada tem papel complementar no cuidado integral do usuário quando estabelecidos diálogos com a Atenção Primária à Saúde. Foi detectada pela gestão municipal a necessidade de gerenciar a fila de espera do CES e para isso estabelecer prioridade para atendimento de pacientes de risco, com maior brevidade, encaminhados pelos médicos e enfermeiros de família, a clínica médica do Hospital e a Unidade Emergencial. Além da espera para o agendamento das consultas, em função da demanda reprimida, não havia priorização do atendimento, isto é, as marcações eram realizadas por ordem cronológica, independente da gravidade do problema de saúde do usuário. Diante disso, os serviços de saúde dialogaram com a Regulação Municipal e definiram um protocolo visando dar prioridade ao agendamento, seguindo um padrão de cores definido por verde, amarelo e vermelho. Sabendo da importância da integração entre os serviços de saúde e objetivando dar continuidade ao cuidado do paciente em tempo oportuno foi implementado o processo de trabalho nos serviços de saúde e monitorado os encaminhamentos realizados para o CES. Com isso houve uma maior aproximação da rede, qualificação da assistência prestada e satisfação do usuário.

1.Classificar os encaminhamentos quanto ao grau de prioridade para agendamento do usuário, referenciado pela rede municipal de saúde, para consultas médicas no Centro Especializado de Saúde;
2. Envolver os profissionais de saúde no gerenciamento da fila de espera;
3. Qualificar o cuidado em saúde.

A implementação do protocolo de classificação de prioridade no agendamento de consultas no CES teve início em março de 2023 e, desde então, observamos que as referências para a atenção especializada tornaram-se mais criteriosas. Houve redução da fila de espera para consultas médicas em algumas especialidades, pois a exigência de estratificação de risco pelo profissional através da clínica e dos resultados de exames, gerou uma maior qualificação no referenciamento do usuário. Anteriormente à implementação do protocolo, muitos dos encaminhamentos eram sem fundamento clínico ou mesmo sem hipótese diagnóstica, conhecido, como “encaminhamento aoao”. Os diálogos estabelecidos, entre a Subsecretária de Saúde, a Gestão do Sistema Municipal de Informação e as Coordenações do Complexo Regulador Municipal, o Centro Especializado de Saúde e Estratégia Saúde da Família, para a implantação e monitoramento do protocolo produziu um maior comprometimento dos profissionais de saúde e coordenações, um melhor acolhimento dos usuários e redução do agravamento do problema de saúde.

A intervenção no processo de trabalho e seu monitoramento trouxe importantes resultados tanto para o usuário quanto para a gestão de saúde do município. O cuidado do paciente em tempo oportuno reduz o agravamento do estado de saúde e o custo do sistema de saúde. O atendimento em rede só é possível com o diálogo entre os profissionais e serviços. O trabalho em equipe foi fundamental e o compartilhamento de responsabilidades entre os atores envolvidos foi um fator de sucesso para o desenvolvimento do trabalho que busca garantir o acesso dos usuários com atenção humanizada e uso racional de recursos e, por conseguinte, um atendimento qualificado e equânime.

Principal

Sabrine Santos Pereira

santospereirasabrine@gmail.com

Subsecretária de Saúde

Coautores

Sabrine Santos Pereira Delba Machado Barros Milena da Paixão Gonçalves Viana Patrícia Santos da Silva

A prática foi aplicada em

Quissamã

Rio de Janeiro

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Rua Conde de Araruama, 425 - Centro

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Sabrine Santos Pereira

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

01 abr 2024

e atualizada em

01 abr 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Ideação suicida e tentativas de suicídio: uma análise de casos do SAMU 192 no interior do estado do RJ.
Rio de Janeiro
Práticas
Samuzinho: Educação em saúde e primeiro socorros na escola para a promoção do SAMU 192.
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do programa de gestão transparente do tempo resposta no SAMU 192: uma missão desafiadora
Rio de Janeiro
Práticas
Indicadores para monitoramento das ações de promoção e atenção a saúde do homem em Petrópolis
Rio de Janeiro
Práticas
Fluxo dos pacientes oncológicos atendidos na UNACON da região Noroeste – RJ
Rio de Janeiro