Olá,

Visitante

Transformação da preceptoria em saúde em Campina Grande-PB: um projeto de intervenção “PSUS”

A preceptoria desempenha um papel fundamental na formação de novos profissionais de saúde, contribuindo para o desenvolvimento de competências técnicas e humanísticas, transmitindo valores éticos e práticas alinhadas com os princípios do SUS. Diante disso, o Hospital Sírio Libanês, em parceria com o Ministério da Saúde, desenvolveu o projeto de “Desenvolvimento da gestão de programas de residência e da preceptoria no SUS – DGPSUS”. No triênio 2021-2023, o município de Campina Grande – PB foi contemplado para receber o curso de Especialização em Educação na Saúde para preceptores do SUS referente a este projeto, para o qual 20 profissionais da rede, que atuam na preceptoria de Estágio Supervisionado ou de Programas de residência foram selecionados.
A especialização apresenta como objetivo a aplicação de projetos de intervenção que transformem a realidade local da preceptoria. Para tal, os vinte especializandos da turma 2021-2023 foram divididos em dois “grupos projetos de intervenção” (GPI) para o desenvolvimento e aplicação de dois projetos distintos. O Projeto de Intervenção (PI) surge como uma ferramenta educacional que capacita os estudantes a adquirirem uma ampla gama de conhecimentos e habilidades.
Considerando-se a necessidade de formação profissional adequada aos princípios do SUS bem como às Diretrizes Curriculares Nacionais, o Grupo de Intervenção 2 (GPI 2) optou por intervir na capacitação para a preceptoria dos profissionais da Atenção Primária em Saúde (APS).

O objetivo deste relato é discorrer a respeito do projeto de intervenção realizado pelo GPI 2: o primeiro ciclo de capacitação em preceptoria para os profissionais da APS de Campina Grande – PB. A necessidade desta capacitação surgiu a partir da percepção da ausência de formação adequada dos profissionais que atuam na preceptoria no município. Tal percepção emergiu por meio de conversas com os professores e coordenadores de estágio das Instituições de Ensino Superior (IES), com a gestão da educação em saúde da Secretaria Municipal e de um questionário google forms aplicado aos próprios profissionais da rede que atuam como preceptores, incluindo médicos, enfermeiros, dentistas e assistentes sociais. Vale salientar que este ciclo de capacitação foi dividido em 4 encontros de oito horas cada um, totalizando 40 uma carga horária de 40 horas e seus facilitadores foram os membros do grupo de especializandos do GPI 2. Este processo é descrito nas próximas seções deste trabalho.

Ao fim da capacitação foram formados 19 preceptores, um não pode comparecer por motivo de doença. Foi aplicado um formulário na plataforma google forms com os participantes para avaliação do curso e dos facilitadores. O forms possuía questões que abordavam o quão satisfeitos os preceptores estavam com os facilitadores, com as metodologias ativas utilizadas, com o tempo e a frequência dos encontros da capacitação e do deslocamento dos participantes na construção do aprendizado e de sua atuação como preceptor. Todos os resultados foram de satisfação. Como sugestões foi elencado majoritariamente a de fazer com que esta capacitação seja continuada e ampliada para todos os profissionais da APS de Campina Grande.
A capacitação em preceptoria foi importante também por ser um dos fatores que despertou na gestão municipal o interesse de capacitar os profissionais da APS como um todo, com o intuito de fortalecer as equipes, o processo de trabalho e a prestação do cuidado em saúde de forma geral, dando origem a uma nova proposta de capacitação/atualização denominada “Atualiza APS!”, para a qual os especializandos do curso do Sírio Libanês foram também convidados para participarem ativamente na construção dos TR e na atuação como facilitadores.

Desenvolver um projeto de intervenção em grupo transformou não só a prática de preceptoria dos profissionais capacitados, bem como despertou o potencial em fazer mais dos próprios especializandos. O projeto em grupo propiciou a aprendizagem da escuta e da resiliência, aprimorou o trabalho interprofissional e potencializou a prática da preceptoria. Aos profissionais que foram capacitados foi perceptível a mudança de práticas apresentadas através de relatos postados no canal de comunicação criado por meio da página no instagram @preceptorianosus_cgpb, elaborado para facilitar a interação com os profissionais.
Por fim, o projeto de intervenção tornou nítida a importância de transformar a formação profissional para atuação na preceptoria, para que o aprendizado dos estagiários seja cada vez mais eficiente, pois uma futura geração de profissionais capacitados para atuar no SUS irá conseguir transformar a qualidade da assistência prestada ao usuário potencializando ações de promoção e prevenção da saúde no âmbito de atuação do profissional. Os especializandos concluem esta foi uma experiência exitosa e que deve ser transformada em prática frequente da gestão municipal para fortalecer a APS e o SUS no município.

Principal

Waleska Fernanda Souto Nóbrega

drawaleskasouto@gmail.com

Cirurgião-dentista da APS

Coautores

Waleska Fernanda Souto Nóbrega*; Ana Clarissa Macedo Meira; Cristina Ruan Ferreira de Araújo; Flávia Alves Aguiar Siqueira; Hamana Oliveira Queiroz Bessa; Juliane Berenguer de Souza Peixoto; Luzimar Lacerda Rolim; Maria Luciene Gomes da Silva Laurentino; Thiago Assis Ferreira Santiago; Vânia Maria Oliveira de Farias

A prática foi aplicada em

Campina Grande

Paraíba

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Av. Jorn. Assis Chateaubriand, 1376 - Liberdade, Campina Grande - PB

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Waleska Fernanda Souto Nóbrega

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

15 abr 2024

e atualizada em

15 abr 2024

Início da Execução

25/05/2023

Fim da Execução

13/06/2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar de escolares com necessidades especiais
Paraíba
Práticas
A educação permanente dos profissionais de enfermagem como estratégia no enfrentamento à dengue
Paraíba
Práticas
Oficina de atualizacao dos cadastros para melhoria da cobertura vacinal em Junco do Serido-PB
Paraíba
Práticas
Educação em gênero no SUS e a proteção integral à mulher em situação de violência na atenção primária
Paraíba
Práticas
Era uma vez, apresentando uma história de cuidado e amor – a importância da educação vacinal desde o berço
Paraíba
Práticas
Estratégia de comunicação pública voltada à saúde no ambiente digital em Campina Grande
Paraíba
Práticas
Atuação do programa saúde na escola (PSE) no enfrentamento da dengue e outras arboviroses
Paraíba