Olá,

Visitante

Projeto Vida: Humanizar É Preciso

o “Projeto Vida: Humanizar é Preciso” nasceu da necessidade de organizar o processo de trabalho do pré-natal no âmbito municipal, promover o índice de adesão das gestantes no primeiro trimestre de gestação, garantir consultas puerperais em tempo oportuno, acompanhar os recém-nascidos e as crianças até os 02 anos de idade, inserir a presença paterna (pré-natal do parceiro) durante as consultas de pré-natal e atividades de educação em saúde e assim reduzir a baixa cobertura do pré-natal, a taxa de mortalidade materna e infantil e complicações na gestação. Considerando a importância do pré-natal para o binômio mãe e filho, bem como seu início imediato para garantir o desenvolvimento de uma gestação segura e a detecção de possíveis agravos em tempo oportuno, este projeto promove interação das gestantes e seus familiares (parceiro) com os profissionais de saúde e oferta serviços qualificado e humanizado para público alvo em suas necessidades humanas básicas.

Atrair as gestantes e puérperas para os serviços de saúde, estreitar laços com a equipe de saúde, garantir a realização de um pré-natal de qualidade e humanizado, incorporar o pré-natal do parceiro, promover melhoria na assistência e ofertar serviços o desenvolvimento deste projeto se dá através dos atendimentos de rotina e periódicos nas unidades de saúde e grupos de gestantes programados de acordo com a necessidade percebida de cada equipe. E a cada semestre, ocorrem os grandes encontros temáticos, com a programação de atividades como dinâmicas, teatros, palestras, roda de conversas, depoimentos, sorteios de brindes e coffee-break. Além disso, em casos de gestantes em situação de vulnerabilidade social, busca-se parcerias sócias com: assistência social e instituições não governamentais que contribuem com materiais e produtos de enxoval, cesta básica, dentre outros itens. Desta forma, este projeto busca promover a saúde e assistir o seu público alvo como um todo.

A avaliação do alcance deste projeto é efetuada através da mensuração dos seguintes indicadores: proporção de criança menores de 2 anos vacinadas, número de casos de sífilis congênita em menores de 1 ano de idade e AIDS em menores de 5 anos, proporção de parto normal, redução da taxa de mortalidade infantil e materna, percentual de triagem neontal em tempo oportuno, percentual de presença paterna no pré-natal, percentual de cadastro de gestantes no primeiro trimestre de gestação e percentual de nascidos vivos de mãe com 7 ou mais consultas. Dentre os 10 indicadores supracitados, apenas o de percentual de presença paterna no pré-natal ainda se encontra deficiente, mas novas metodologias estão sendo inseridas para mudar esta realidade.o desenvolvimento deste projeto no município de Pedro Afonso, contribuiu de forma significativa para a qualidade de saúde da população, redução da mortalidade materno-infantil, diminuição de complicações na gravidez, maior adesão do público alvo aos serviços de saúde, melhor entrosamento dos integrantes da equipe de saúde entre si e a população alvo, motivação dos trabalhadores do SUS e a criação de parcerias sociais de algumas instituições na doação de enxoval e cestas básicas.

Principal

Míriam Fabiana Rodrigues Da Cruz Riberio

miriamfrc@gmail.com

Coautores

Ana Maria De Abreu, Kelly Lustosa, Edilene Cunha, Talita Quixabeira, Elionay Maeques

A prática foi aplicada em

Pedro Afonso

Tocantins

Norte

Instituição

Av. Numeriano Bezerra De Castro

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

José Martins De França

Conta vinculada

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Compulsão Decisória na Judicialização da Saúde, des estruturando e des afiando o Financiamento Finito do Sistema Único de Saúde
São Paulo
Práticas
Regulação do Acesso À Atenção Especializada: des coberta de um Iceberg e des afios A Serem Superados
São Paulo
Práticas
Fórum Permanente de Embu Guacu: uma Possibilidade de Organização do Cuidado Intersetorial
São Paulo
Práticas
Profilaxia Pré-Exposição ao Hiv (Prep) como Nova Estratégia para A Prevenção do Hiv – uma Experiência Multiprofissional
São Paulo
Práticas
Consultório na Rua: uma Ampliação da Abordagem das Pessoas Vivendo com Hiv/Aids Focando A Adesão
São Paulo
Práticas
Processo Formativo de Apoio em Saúde Mental no Município de Franco da Rocha – Sp
São Paulo
Práticas
Estruturação da Rede de Saúde de Franco da Rocha: Análise do Financiamento das Ações, Por Meio da Transferência de Recursos Obrigatórios e Voluntários ao Município
São Paulo
Práticas
Participação Social na Construção do Planejamento Estratégico em Saúde e do Plano de Educação Permanente no Território de Ermelino Matarazzo/Sp
São Paulo
Práticas
Impactos da Formação de Trabalhadores Sobre Práticas Relativas ao Uso Racional de Medicamentos: Experiência no Contexto do Plano Regional de Educação Permanente em Saúde (Pareps)
São Paulo
Práticas
A Assistência Farmacêutica como Veículo de Educação e Economia
São Paulo