Olá,

Visitante

Imunização na Terceira Idade: Educação em Saúde como Estratégia para Adesão de Idosos em um Município do Estado do Maranhão

Categoria não especificada

Esta estratégia de fortalecimento mostra as ações desenvolvidas pelo Município de Axixá/MA, no que tange a Educação em Saúde como forma de melhorar a cobertura vacinal contra Influenza em idosos. Utilizou-se dados do percentual de cobertura vacinal alcançados nas campanhas de imunização ocorridas entre os anos de 2020 à 2022, retirados da plataforma Localizasus e tabulador Tabnet/Datasus. Evidenciou-se que a cobertura vacinal contra Influenza em idosos com 60 anos ou mais, atingiu 100,43% no ano de 2020 e apresentou queda consecutiva nos anos posteriores, 73,23% em 2021 e 67,39% em 2022, respectivamente. É indiscutível os malefícios que a falta de vacinação acarreta para a população idosa, assim, para que essa realidade seja alterada, faz-se imprescindível o desenvolvimento de ações que favoreçam o aumento da adesão à vacinação, priorizando a educação em saúde como abordagem principal nesse processo. Como estratégia, durante as reuniões e as palestras educativas com os idosos, atividades lúdicas de dança, atividades musicais com cones e balões, além de alongamento e rodas de conversas, vem sendo utilizadas pelas equipes de saúde. É necessário a implementação de estratégias de captação de idosos para que a adesão à vacina seja intensificada e as metas de imunização contra influenza no município, possam alcançar o patamar de cumprimento daquela proposta pelo Ministério da Saúde, desse modo, considera-se a educação em saúde uma excelente ferramenta como estratégia de convencimento e conscientização dos idosos.

Para aplicação prática do trabalho foi utilizado dados sobre a situação vacinal de idosos acima de 60 anos, residentes no município de Axixá/MA, no que tange às doses de vacina contra Influenza aplicadas nos anos de 2020, 2021 e 2022, através do acesso às páginas do LOCALIZASUS E TABNET DATASUS. A vacinação contra Influenza acontece em forma de campanha em todo território nacional, com o objetivo da mobilizar a população na prevenção de complicações decorrentes da doença, além de diminuir a ocorrência de óbitos e a pressão sobre o sistema de saúde. (BRASIL, 2022). A meta de cobertura vacinal para Influenza, determinada pelo Ministério da Saúde é vacinar pelo menos 90% dos grupos prioritários, dentre eles a população de 60 anos ou mais (BRASIL, 2023). Ao analisar o quantitativo de idosos com 60 anos ou mais cadastrados no município de Axixá/MA entre os anos de 2020 à 2022, observa-se que o número de pessoas idosas aumentou de 1150 em 2020 para 1371 em 2021, permanecendo inalterado no ano 2022 (1371 idosos), podendo essa constante estar condicionada possivelmente pela não atualização censitária nesse período. De acordo com o Ministério da Saúde (2023), a vacinação contra a influenza é a principal forma de prevenir e reduzir a morbimortalidade entre idosos. Correlacionando com dados de cobertura vacinal alcançados durante a realização da campanha de imunização contra a Influenza entre os anos de 2020, 2021 e 2022, verifica-se que a cobertura vacinal atingiu 100,43% no ano de 2020 e apresentou queda consecutiva nos anos posteriores, 73,23% em 2021 e 67,39% em 2022, respectivamente. Esses dados revelam que houve prevalência significativamente menor na adesão dos idosos para a vacinação contra influenza não tendo atingido a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, nos últimos dois anos. Cavalcante; et al (2020) revelam em seu estudo que os principais fatores que levam a não vacinação dos idosos são considerados fatores modificáveis, como, por exemplo: medo dos efeitos adversos; crença que a vacina provoca reação; crença de adoecimento após tomar a vacina e não crença na eficácia da vacina. É indiscutível os malefícios que a falta de vacinação acarreta para a população idosa, assim, para que essa realidade seja alterada, faz-se imprescindível a mobilização dos profissionais que atuam na atenção básica, para o desenvolvimento de ações que possam diminuir distorções e favoreçam o aumento da adesão vacinal contra Influenza no âmbito municipal.

Após análise dos dados, junto às equipes de saúde da família, vigilância epidemiológica e equipe multidisciplinar, foram elencadas estratégias fundamentais para melhoria da cobertura vacinal nas campanhas de vacinação contra Influenza em idosos do município, priorizando a educação em saúde como abordagem principal nesse processo. Inicialmente as equipes realizaram uma busca ativa em cada localidade de abrangência para identificar os idosos que apresentavam maior resistência à vacinação, para tanto, lançou-se mão de visitas domiciliares mais frequentes, fornecendo informações sobre a vacina também em domicílio. Levando em consideração que realizar Educação em Saúde para população idosa requer adoção de metodologias que levem em consideração o processo fisiológico do envelhecer junto com as crenças, valores e modo de vida que essa população possui, as equipes de saúde municipal vem utilizando como estratégia durante as reuniões e palestras educativas com os idosos, atividades lúdicas de dança, atividades musicais, atividades com cones e balões, atividades de alongamento e rodas de conversas, propiciando sempre a participação ativa desses indivíduos com práticas dialogadas e ofertando orientações confiáveis para população sobre a importância e segurança da vacina, amenizando os efeitos negativos das fake news. Como estratégia de aplicação de doses durante a campanha, disponibilizou-se a imunização em domicílio, para os idosos que não têm condições de se deslocar aos locais de vacinação ou que apresentam outro tipo de resistência e também realização de vacinação extramuro, para facilitar o acesso da população idosa mais próximo de casa.

A taxa de cobertura vacinal dos idosos contra influenza no município de Axixá reduziu significativamente nos anos de 2021 e 2022, podendo essa redução estar relacionada possivelmente às crenças, mitos e falta de informação ou orientação em relação aos efeitos das vacinas por parte da população idosa. É necessário a implementação de estratégias de captação de idosos para que a adesão à vacina seja intensificada e as metas de imunização contra influenza no município, possam alcançar o patamar de cumprimento daquela proposta pelo Ministério da Saúde, desse modo, considera-se a educação em saúde uma excelente ferramenta como estratégia de convencimento e conscientização dos idosos. Em suma, as ações de educação em saúde devem respeitar a cultura e saberes de cada indivíduo e de cada localidade, sendo conduzida com aplicação de atividades que facilitem o entendimento, para que as pessoas idosas conheçam o calendário vacinal disponível no SUS e confiem na vacina, fazendo com que eles se sintam acolhidos e inseridos no processo de imunização.

Principal

RENATA SOUSA CAMPOS

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Os caminhos para alcançar os indicadores de desempenho do Previne Brasil pelo município de Bom Jesus (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba