Olá,

Visitante

Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06

CONSTANTES QUEIXAS DOS SERVIÇOS DE ATENÇÃo SECUNDARIA E TERCIARIA DA SUPERLOTAÇÃo DAS EMERGÊNCIAS COM PACIENTES HIPERTENSOS E DIABÉTICOS DESCOMPENSADOS ORIUNDOS DOS SERVIÇOS DE ATENÇÃo BÁSICA, ONDE SUAS DEMANDAS DEVERIAM SER RESOLVIDAS.

– VERIFICAR A FREQUÊNCIA DE PROCURA PELo SERVIÇo DE EMERGÊNCIA Do PACIENTE PORTADOR DE HIPERTENSÃo E DIABETES. – IDENTIFICAR QUAIS AS QUEIXAS QUE LEVARAM OS PACIENTES A BUSCAR A EMERGÊNCIA, PARA CONSTATAR SE o USo DA ATENÇÃo SECUNDÁRIA E/OU TERCIÁRIA A EQUIPE CONTA COM 25 GRUPOS CADA GRUPo COM 8 PACIENTES CADASTRADOS E ACOMPANHADOS. AS CONSULTAS JÁ SÃo REMARCADAS DE 6/6 MESES OU 4/4 MESES CONFORME OS PROTOCOLOS OU A CRITÉRIo Do MÉDICO. A ATIVIDADE EDUCATIVA É REALIZADA UMA VEZ Ao MÊS COM TEMAS DEFINIDOS PELA EQUIPE E DEMANDAS DOS PACIENTES. A ATIVIDADE EDUCATIVA NÃo ESTA RELACIONADA COM AGENDAMENTo Do PACIENTE. TODOS PACIENTES HIPERTENSOS E DIABETICOS DA EQUIPE SÃo VISITADOS REGULARMENTE PELo ACS A EQUIPE POSSUÍ 212 PACIENTES CADASTRADOS COM DIAGNÓSTICo DE HIPERTENSÃo E/OU DIABETES, ACOMPANHADOS No MODELo DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA, SENDo 134 APENAS HIPERTENSOS, 13 APENAS DIABÉTICOS E 65 HIPERTENSOS E DIABÉTICOS.

A COLETA FOI REALIZADA ATRAVÉS Do SISTEMA TRAKCARE (PRONTUÁRIo ELETRÔNICo DA SECUNDÁRIA E TERCIÁRIA). CRIADA UMA TABELA PARA TABULAÇÃo DOS DADOS COLETADOS, LEITURA DE ARTIGOS E MANUAIS Do MINISTÉRIo DA SAÚDE PELA EQUIPE, COM o OBJETIVo DE EMPODERAR E QUALIFICAR o SERVIDOR.- 33% DOS PACIENTE AVALIADOS POSSUÍRAM PASSAGEM NA EMERGÊNCIA EM 2017 – ESPECIALIDADES PROCURADOS NESSAS PASSAGENS (NEUROLOGIA, PSIQUIATRIA, GINECOLOGIA, ODONTOLOGIA, CIRURGIA, CARDIOLOGIA, OFTALMOLOGIA, ORTOPEDIA E CLÍNICA MÉDICA) – DENTRE OS QUE PASSARAM NAS DUAS ULTIMAS ESPECIALIDADES, AS QUEIJAS PRINCIPAIS FORAM SEPARADAS EM 9 GRUPOS: HIPERTENSÃO, DIABETES, ITU, DOENÇAS PULMONARES, DOR ABDOMINAL, DOR LOMBAR, ASMA E OUTROS – QUANTo A CLASSIFICAÇÃo DE RISCo DESTAS PASSAGENS PELA EMERGENCIA

Principal

Maria De Fátima Fernandes De Oliveira Pavezzi

maria.pavezzi@saude.df.gov.br

Coautores

#REF!

A prática foi aplicada em

Brasilia

Distrito Federal

Centro-Oeste

Instituição

Unidade Básica De Saúde Nº 9 De Samambaia

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Lídia Glasielle De Oliveira Silva

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Compulsão Decisória na Judicialização da Saúde, des estruturando e des afiando o Financiamento Finito do Sistema Único de Saúde
São Paulo
Práticas
Regulação do Acesso À Atenção Especializada: des coberta de um Iceberg e des afios A Serem Superados
São Paulo
Práticas
Fórum Permanente de Embu Guacu: uma Possibilidade de Organização do Cuidado Intersetorial
São Paulo
Práticas
Consultório na Rua: uma Ampliação da Abordagem das Pessoas Vivendo com Hiv/Aids Focando A Adesão
São Paulo
Práticas
Processo Formativo de Apoio em Saúde Mental no Município de Franco da Rocha – Sp
São Paulo
Práticas
Estruturação da Rede de Saúde de Franco da Rocha: Análise do Financiamento das Ações, Por Meio da Transferência de Recursos Obrigatórios e Voluntários ao Município
São Paulo
Práticas
Participação Social na Construção do Planejamento Estratégico em Saúde e do Plano de Educação Permanente no Território de Ermelino Matarazzo/Sp
São Paulo
Práticas
Impactos da Formação de Trabalhadores Sobre Práticas Relativas ao Uso Racional de Medicamentos: Experiência no Contexto do Plano Regional de Educação Permanente em Saúde (Pareps)
São Paulo
Práticas
A Assistência Farmacêutica como Veículo de Educação e Economia
São Paulo
Práticas
Programa de Automonitoramento Glicêmico para Paciente Diabético Insulinodependente
São Paulo