Olá,

Visitante

Biblioterapia A Psicoterapia Através da Leitura e da Escrita Literária como Método Terapêutico para Usuários da Rede de Saúde

É espantoso o número crescente de pessoas diagnosticadas com transtornos mentais e sua projeção pelas décadas futuras, isso nos força a buscar alternativas terapêuticas além das convencionais. Visando um tratamento diferenciado para essas pessoas, assim como métodos preventivos e promocionais de saúde, temos utilizado da Biblioterapia para responder essa demanda. Entretanto, vale destacar que nosso modelo de trabalho vai além da Biblioterapia convencional, pois usa, além da leitura, a escrita como diferença fundamental. Os resultados obtidos até o momento têm se mostrado satisfatórios.

Prevenir e promover saúde mental através do aumento de capital cultural e simbólico dos participantes, atrelado ao aumento de vínculos sociais. Tratar pacientes que apresentam transtornos mentais leves ou algum sofrimento psíquico. o grupo se reúne na Biblioteca pública do bairro, com participação da bibliotecária. Inicialmente, cada participante passa por uma avaliação psicológica e depois, é inserido no grupo. Os textos literários são selecionados conforme a demanda do grupo, lido em conjunto depois discussão/reflexão sobre os mesmos. No próximo encontro, o mesmo texto é lido, “destrinchado” em detalhes e nova discussão é feita, correlacionando com a vivência de cada um. Num terceiro encontro, os participantes são convidados a escrever contos inspirados na leitura, discussão e vivência pessoal. E no quarto encontro é feita uma leitura dos textos produzidos e possíveis revisões. No encontro seguinte é escolhido um novo texto e o processo reinicia.

Depois de mais de um ano realizando esse trabalho semanal, foram mais de 50 oficinas com média de 05 participantes em cada. Observando essas pessoas de frequência mais acidua, podemos perceber que as queixas diminuíram, assim como pudemos notar maior capacidade de lidar com os problemas do dia a dia. Outro fator observado se refere à um aumento significativo de capital cultural, simbólico e social.Vale ressaltar que essa metodologia vai além da biblioterapia convencional, sendo um processo terapêutico inovador até então, já que usa da escrita e discussão, e não apenas da leitura. Neste sentido, conforme demonstrado ampliou-se a capacidade de lidar com os problemas do cotidiano, além do aumento do capital cultural, simbólico e social, referido.

Principal

leandro.unzueta@gmail.com

Coautores

Sandra Aparecida De Moraes, Guilherme Assis, Rodolfo Strufaldi

A prática foi aplicada em

São Bernardo do Campo

São Paulo

Sudeste

Instituição

Rua Angelina Scopel Pinotti, 287. Ferrazópolis. São Bernardo Do Campo - Sp

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal