Olá,

Visitante

Vacinar para Proteger: Metodologias Sistematizadas Aplicadas para o Alcance da Cobertura Vacinal em Pindoretama-Ceará

Categoria não especificada

O trabalho desenvolvido se trata de um relato de Estratégias de Fortalecimento das Ações de Imunização no território municipal de Pindoretama. Localizada no litoral Leste do Ceará, atualmente possui 20.430 habitantes. Com a pandemia da Covid-19, o município sofreu uma brusca queda em sua cobertura vacinal. Sendo a imunização a esperança de dias melhores, a equipe de saúde não mediu esforços para alcançar novamente suas coberturas vacinais, lutando diariamente contra as fake news que causaram medo e descrença nos benefícios das vacinas. Em 2021, o alcance da cobertura vacinal das crianças menores de dois anos foi de 53% em hepatite A, 71% em Pneumocócica, 63% em Varicela, 72% em Meningo C, 60% em Poliomielite e com a taxa de abandono da Tríplice Viral em 49.5%, todos abaixo da meta. O município precisou adotar medidas efetivas para o aumento de sua cobertura vacinal, iniciando com a busca ativa de todos os públicos-alvo, priorizando crianças, idosos e gestantes com a ajuda de todos profissionais da Estratégia Saúde da família, como resultado da busca ativa houve a necessidade de levar os imunizantes até as residências das pessoas com pendências em vacinação, principalmente as da zona rural. Entendeu-se diante do alto número de pessoas em atraso, que somente as esperar nos postos de Saúde não seria suficiente, desta forma foi locado um veículo exclusivo para a vacinação o qual auxilia os postos de Saúde levando a vacina até a residência dos moradores mais distantes e daqueles que não frequentam as unidades de Saúde assiduamente. As Unidades básicas de Saúde precisaram se reorganizar em seus processos e fluxos de imunização, controlando e monitorando os habitantes de suas áreas, preenchendo cartões controle de vacinação manualmente e atualizando todas as doses com pendências de registros nos sistemas de informação. O número de salas de vacinas informatizadas aumentou de 30% para 100%. Estratégias estão sendo elaboradas para implantação, dentre elas o monitoramento precoce de gestantes do município para ter uma previsão da quantidade de crianças que nascerá, oportunizando as equipes tempo de se prepararem para atender este bebê, facilitando o acompanhamento de vacinação mês a mês após seu nascimento, contratação de serviço de mensagens de textos automáticas, que ao conectar-se aos sistemas de informações municipal envie automaticamente mensagens para o celular dos usuários informando que a data de vacinação do paciente se aproxima e a criação do programa caderneta nota 10, que premia crianças que ao completarem Dois anos de idade e apresentarem caderneta de vacinação atualizada com todas as doses preconizadas no calendário de imunização, com Um kit escolar completo que garantirá todos os itens necessários para o início da fase Escolar, tal premiação será realizada anualmente com evento específico e divulgado nas redes sociais do município. Após as ações realizadas pelo município, concluímos o ano de 2022 com uma cobertura vacinal em crianças menores de Dois anos com 97,12% em Hepatite A, 118% em Pneumocócica, 104% em Varicela, 116% em Meningo C, e com a taxa de abandono da Tríplice viral em 17%.

O município de Pindoretama precisou adotar medidas efetivas para o aumento de sua cobertura vacinal, iniciando com a busca ativa de todos os públicos-alvo, priorizando crianças, idosos e gestantes com a ajuda dos agentes comunitários de Saúde, profissionais da estratégia Saúde da família e equipe de Vigilância em Saúde. Como resultado da busca ativa houve a necessidade de levar os imunizantes até as residências das pessoas com pendências em vacinação, principalmente as da zona rural, entendeu-se diante do alto número de pessoas em atraso, que somente as esperar nos postos de Saúde não seria suficiente, desta forma o município precisou locar um veículo exclusivo para a vacinação, veículo este que auxilia os postos de Saúde levando a vacina até a residência dos moradores mais distantes e daqueles que não frequentam as unidades de Saúde assiduamente. As Unidades básicas de Saúde precisaram se reorganizar em seus processos de imunização, controlando e monitorando os habitantes de suas áreas, preenchendo cartões controle de vacinação manualmente e atualizando todas as doses com pendências de registros nos sistemas de informação. O número de salas de vacinas informatizadas aumentou de 30% para 100%, com utilização total dos recursos de vacinação oferecidos pelo sistema Esus-pec do ministério da Saúde, deixando de registrar as doses aplicadas por coleta de dados simplificada (CDS) que é um registro tardio, para registrar no PEC-ONLINE, onde o registro acontece em tempo real com qualidade na informação de data, lotes e validades dos imunobiológicos. Com rede de internet e computadores em todas as salas de vacinas, os técnicos que nelas atuam, passaram por treinamento para registro de informação, monitoramento da cobertura vacinal e dos indicadores em imunização, bem como atualização dos conhecimentos em imunização e práticas humanizadas de aplicação das vacinas.

Mesmo com o grande avanço na cobertura vacinal do município, algumas estratégias estão sendo elaboradas para implantação, dentre elas o fortalecimento das ações do programa saúde na Escola, com foco na orientação de país e responsáveis pelos alunos sobre os benefícios da imunização. Monitoramento precoce de gestantes do município para se ter uma previsão da quantidade de crianças que nascerá, oportunizando as equipes tempo de preparar-se para atender este bebê, facilitando assim o acompanhamento de vacinação mês a mês após seu nascimento. Divulgação diária sobre cobertura vacinal e doenças imunopreveníveis nas rádios comunitárias, contratação de serviço de mensagens de textos automáticas, que ao conectar-se aos sistemas de informações municipal envie automaticamente mensagens para o celular dos usuários informando que a data de vacinação do paciente se aproxima e a criação do programa caderneta nota 10, que premia crianças que ao completarem Dois anos de idade e apresentarem caderneta de vacinação atualizada com todas as doses preconizadas no calendário de imunização, com Um kit escolar completo que garantirá todos os itens necessários para o início da fase Escolar, tal premiação será realizada anualmente com evento específico e divulgado nas redes sociais do município, servindo assim de incentivo aos pais ou responsáveis, garantindo maior assiduidade no posto de saúde mês a mês.

A importância das vacinas revelou-se fortemente com a campanha de vacinação contra covid-19, que possibilitou que o mundo voltasse as suas atividades normais, o que antes era motivo de medo e pânico, foi mudando pouco a pouco com o avançar de cada grupo prioritário. Com as vacinas de rotina esse cenário é o mesmo, basta lembrar da paralisia infantil que matou e sequelou diversas crianças mundo a fora, tendo só o Brasil no ano de 1953 registrado mais de 746 casos e com a vacinação em larga escala contra Poliomielite em 1980, hoje podemos dizer que há 34 anos já não existem mais casos da doença. Existem em nosso território determinadas resistências, algumas delas advindas de questões religiosas e outras por medo das reações adversas dos imunobiológicos. Sente-se falta das divulgações de campanhas nas grandes mídias nacionais e do baixo incentivo financeiro destinado aos municípios para a imunização. Após as ações realizadas pelo município, concluímos o ano de 2022 com uma cobertura vacinal em crianças menores de Dois anos com 97,12% em Hepatite A, 118% em Pneumocócica, 104% em Varicela, 116% em Meningo C, e com a taxa de abandono da Tríplice viral em 17%. A pesquisa do ImunizaSUS agrega conhecimentos enriquecedores, pois sua base teórica foi formulada através da perspectiva de imunização das comunidades Brasileiras e é somente desta forma que se consegue analisar a realidade individual de cada povo e comunidade. Recomenda-se que através de todos os dados obtidos na pesquisa, as esferas de governo realizem sua contribuição para efetivação das estratégias, bem como a presença frequente de membros da união e Estado nos municípios, juntos, assim, a vacina chegará ao braço de cada Brasileiro.

Principal

Francisco Felipe Costa Alencar

Coautores

Emanuel Costa Mota, Maria Cremilda Sousa Silva

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro