Olá,

Visitante

Vacinação para Além Dos Muros Das Unidades de Saúde

Categoria não especificada

A vacinação é a principal ferramenta de prevenção primária de doenças e uma das medidas mais bem-sucedidas em saúde pública, com melhor custo-efetividade. Além disso, a imunização evita incapacidades e cerca de 2 a 3 milhões de mortes em todo o mundo, a cada ano. A dificuldade no acesso se configura como barreira e faz com que cerca de 20 milhões de crianças percam as vacinas anualmente, com destaque para as mais pobres e marginalizadas e as que vivem em áreas remotas. Nesse contexto, as ações extra muro de vacinação são vistas com uma medida de controle das doenças imunopreveníveis, sendo capaz de evitar a reemergência de doenças eliminadas no país.

A implementação de estratégias para aumentar a cobertura vacinal não é algo atual, visto já ocorrem desde 1980 através de ações como: lembrete para familiares/pacientes; recursos digitais; ações de educação em saúde; busca ativa e capacitação, entre outras. A ampliação do acesso é definida através do funcionamento de unidades de imunização com horário estendido e mudanças na logística com aplicação em ponto fixo, porta-a-porta e em serviço móvel. Nesse sentindo, considerando a extensa área territorial do município e a baixa cobertura do Programa de Saúde da Família, vimos a necessidade da implantação de uma unidade móvel, com objetivo de alcançar maior número de munícipes que não tem disponibilidade de se dirigir a uma unidade de saúde para receber uma vacina. Consideramos esta ação de extrema importância para a saúde, pois visa contribuir para o crescimento dos indicadores da vacinação e, consequentemente, para a redução dos casos de doenças.

Como metodologia de trabalho definimos que as ações serão realizadas em uma unidade móvel nos finais de semana, em uma escala distribuída nos bairros no decorrer do ano de 2023 e 2024. Pretende-se com essa estratégia de vacinação, realizada fora da unidade de saúde, alcançar populações que provavelmente não teriam acesso ao programa de humanização. As estratégias ou metodologia de vacinação poderão variar conforme a necessidade e característica de cada bairro, compreendendo: a busca ativa casa a casa; posto fixo ou volante de vacinação; dia D de mobilização. Serão priorizadas as áreas mais longínquas, como bairros periféricos e áreas rurais, cujo o acesso da população as vacinas é comprometido devido a restrição do horário de funcionamento das unidades de microáreas, que são aquelas localizadas em espaço geográfico delimitado onde residem até 750 pessoas e que corresponde à área de atuação de um Agente Comunitário de Saúde (ACS). A ação será desenvolvida em três momentos, sendo que no primeiro momento o bairro receberá divulgação previa referente ao ponto de vacinação. Para essa divulgação poderão ser utilizadas diferentes técnicas de comunicação com a comunidade, como panfletagem; canais oficiais da Prefeitura; rádio comunitária; avisos nos comércio/igrejas; por meio de mensagens via WhattsApp e outros canais disponíveis. Já o segundo e o terceiro momento irão ocorrer simultaneamente no dia da ação, onde os agentes comunitários de saúde farão a busca ativa casa a casa, divulgando a ação no bairro, bem como o ponto de vacinação, que será instalado em local estratégico onde os profissionais estarão aguardando a comunidade com a finalidade da imunização. No ponto serão ofertadas as vacinas do calendário vacinal e de campanhas. No decorrer das ações os profissionais estarão orientando a população sobre a importância de se manter o calendário vacinal atualizado, desmistificando qualquer informação falsa (fake news) acerca do assunto e enfatizando a segurança e benefícios trazidos pela imunização.

Reconhecemos a imunização como um importante instrumento de proteção à saúde, por isso entendemos que fundamental o desenvolvimento de ações que ampliem e promovam a vacinação no município de Mairiporã. Com a proposta de criação dos pontos de vacina volantes pretende-se alcançar um grupo de usuários que, muitas vezes, não teriam disponibilidade de se dirigir a uma unidade de saúde para receber a imunização. Acreditamos que a vacinação extramuros seja de extrema importância para saúde, pois contribui para o crescimento dos índices da vacinação e, consequentemente, para a redução dos casos de doenças, além de ajudar manter os pais, os adultos e os idosos estimulados a essa prática de saúde, mostrando claramente os benefícios para cada um e o efeito de proteção para todos, a partir dela. Desatacamos que, a fim de obter maior eficácia no programa de vacinação, seja necessária a combinação de diferentes estratégias, como a ampliação do horário e de dias de funcionamento da sala de vacina para que a população possa dispor de mais opções de horários e dias para atualizar a situação vacinal, combinadas ao monitoramento dos cartões de vacina, a busca ativa de faltosos, a implantação de novas estratégias de comunicação para sensibilização da população e capacitação constante dos profissionais de saúde, entre outros. No entanto, a falta de acesso e interesse do cidadão com regularidade a vacina pode levar a um desânimo de buscá-la, gerando então a interrupção ou mesmo o abandono de esquemas de vacinas que deveriam ter uma continuidade, propiciando o retorno das doenças até então controladas, o que nos faz acreditar que os pontos de vacinação volantes consistem em uma estratégia de grande relevância para a melhoria e ampliação da cobertura vacinal.

Principal

glaucia aparecida dos santos fernandes

Coautores

Daniela Gomes de Oliveira Teixeira Faria, Raphael Aparecido de Souza, Fabiana Sousa de Jesus Ribeiro , Tathiana Galerani Emílio Cecconello

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

10 abr 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Caminhos estratégicos da APS frente a cobertura vacinal no município de Bernardino Batista
Paraíba
Práticas
Ampliando leque da rede: fortalecimento dos vínculos entre equipes e escola.
Paraíba
Práticas
Relato de experiência: humanização na atenção ao usuário no pronto atendimento de Pilar (PB))
Paraíba
Práticas
Implantação de laserterapia na rede de atenção à saúde de Pilar (PB): relato de experiência
Paraíba
Práticas
Paciente protagonista de sua terapia: o cuidado farmacêutico com pacientes atendidos no CAPS de Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Atenção e cuidado ao paciente portador de feridas no SUS em Pilar (PB)
Paraíba
Práticas
Quando a saúde vai além dos muros das UBS
Rio de Janeiro