Olá,

Visitante

Unificação das Ações dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Endemias.

ObjetivoApoiado legalmente pela PNAB 2017 e entendendo que o usuário é algo único e complexo e não pode ser atendido em “blocos” de atenção, a Secretaria de Saúde promoveu a unificação das atividades de ACS e ACE.

Este trabalho é um relato de experiência implantada no município de Ubiratã/PR. Com população de 21.119 habitantes estimativa IBGE 2018, mas com Sistema de Informação em Saúde atendendo aproximadamente 30 mil usuários ativos. O município conta com 8 equipes de ESF, com cobertura de 100 % da área urbana e rural, mais 1 Equipe NASF 1, CAPS, CEO e Centro de Especialidades. Em 2017, na construção do plano municipal de saúde de Ubiratã, 2018 – 2021, após o levantamento do perfil do TERRITÓRIO, classificando a população por risco familiar, identificaram-se problemas na organização da área, com equipes sobrecarregadas atendendo dezenas de famílias de alto risco. Concomitante a este processo o trabalho de endemias, ainda que protocolar não era totalmente eficaz e precisava ser otimizado, pois não refletia a vulnerabilidade do Território, não considerava o vinculo familiar no seu trabalho de rotina, muito menos o risco familiar na prevenção de doenças e promoção a saúde no ambiente familiar.

A unificação dos ACS e ACE permite a otimização do tempo de trabalho, considerando os riscos familiares e agravos sanitários para organização do processo de trabalho de prevenção e promoção a saúde, integrando as ações da atenção básica e vigilância em saúde, evitando a dicotomia do cuidado familiar no domicilio.

Principal

Selma de Souza

A prática foi aplicada em

Sul

Instituição

Ubiratã

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

04 dez 2015

e atualizada em

22 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Objeto de Aprendizagem Sobre o Calendário Vacinal de Pessoas Vivendo com Hiv/Aids para Profissionais de Saúde
Rio Grande do Sul
Práticas
Telemedicina: o Telediagnóstico de Espirometria Como Estratégia de Fortalecimento da A.P.S.
Rio de Janeiro