Olá,

Visitante

Terapia Comunitária Como Estratégia de Saúde Mental no Pse na Diminuição da Violência Escolar.

Introdução:A juventude sempre foi considerada um período delicado e decisivo da vida humana. No entanto, no mundo atual os conflitos e desafios que envolvem a vida dos jovens vêm se exacerbando de forma incomum. Certamente, um país que não oferece aos jovens oportunidades adequadas de desenvolvimento pessoal e profissional tem pouco a esperar do futuro. Nesse contexto, a sociedade espera da escola publica uma contribuição significativa para que crianças e adolescentes tenham um futuro melhor, mas como a escola pode apoiar os jovens para que eles façam do mundo um lugar melhor para se viver?. ?Em seus escritos Paulo Freire sublinhava que educação libertadora é aquela que ajuda as pessoas a serem sujeitos da sua própria estória a e a transformar circunstancias da realidade quando ela se antepõe ao pleno desenvolvimento humano.?Objetivo:A violência corresponde hoje como uma das causas de morte no Brasil sendo que 80% dessas mortes são de jovens e crianças, vitimas da violência, resumindo hoje a população Brasileira tem morrido, mas por causas ligadas a violência do que por doenças. E foi pensando nisso que surgiu a realização da terapia comunitária nas escolas, pois parte dessa violência tem sido apresentada nas escolas e muitas dessas situações violentas vão para nos sites e redes sociais servindo muitas vezes como exemplo a outros jovens ou como prêmios ou formas de heroísmo ou coragem. E toda essa violência tem como base a falta de estrutura familiar o que tem ficado para a escola e o professor toda a responsabilidade na educação. A terapia comunitária vem com o objetivo de dá apoio, melhorar a auto estima a auto imagem(contaminada por ser negro e ser pobre) das crianças e jovens visando diminuir a violência escolar tendo como parceiros a escola e a família levando uma consciência de que a paz e educação é um processo construído por todos.MetodologiaEspaço de escutaAcolhimentoRodas de Terapia e rodas temáticas (incluindo pais e professores)Atividades dinâmicas

Melhorar a autoestima e autoimagem das crianças e jovens, visando diminuir a violência escolar.

Principal

Katia Silene Regina Brito da Silva

A prática foi aplicada em

Lauro de Freitas

Bahia

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Katia Silene Regina Brito da Silva

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Projeto Adoles-SER- a clínica em movimento. Cuidado e promoção de saúde mental de adolescentes
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Avaliação diagnóstica do TEA no SUS e capacitação dos pais como forma primordial de intervenção
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de Estimulação Cognitiva como estratégia de cuidado ampliado para indivíduos com dependência de álcool
Rio de Janeiro
Práticas
Os dados do CAPS1 Minha Vida como indicador avaliativo do serviço na supervisão clínico-institucional
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo de familias em um CAPS infanto-juvenil
Rio de Janeiro
Práticas
Promoção da educação em saúde mental à adolescentes da escola pública: semeando hoje para colher no amanhã
Pernambuco
Práticas
Plantão psicológico na escola
Pernambuco
Práticas
Grupo de Práticas Corporais
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina Saúde é Lazer
Rio de Janeiro
Práticas
Alongacaps
Rio de Janeiro