Olá,

Visitante

Centro de Atenção Psicossocial para Tratamento de Usuários de Álcool e outras Drogas – Caps Ad

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:Propiciar ampliação das possibilidades de um fazer artístico inserido na dinâmica da instituição de saúde, num trabalho processual, em constante transformação e diálogo na relação com os usuários do CAPS.DINÂMICA E ESTRATÉGIAS DOS PROCEDIMENTOS USADOS:O lugar de encontro com produção estética nas oficinas de artes no CAPS ad Laranjeiras foi acontecendo nas ofertas de atividades que fomos construindo junto à necessidades, sempre mutáveis, dos grupos de pessoas que usufruíram do serviço ao longo de oito anos — oficinas de pintura sobre telas e outros suportes, oficinas de mosaico, de fotografia, de poesia e ilustração, de fotonovela, mas não só isso: a circulação pela cidade, ou melhor, pelas cidades que compõem a Grande Vitória para absorver, integrar e transformar o que de estético era oferecido.Assim, os usuários do serviço passaram a circular pelos espaços públicos ligados à arte e à cultura: Palácio Anchieta, Museu de Arte Dionísio Del Santo (MAES), Museu do Negro (MUCANE), Teatro Carlos Gomes, Escola de teatro e dança FAFI, Galeria Virgínia Tamanini, Galeria Homero Massena (Vitória), Centro de Artes, Galeria de Arte e Pesquisa , Galeria Espaço Universitário ( na UFES), Museu Histórico da Serra, Casa do Congo, Casa de Pedra (na Serra), Museu Vale, Museu Homero Massena, Convento da Penha e Centro Histórico da Prainha (em Vila Velha). Puderam apreciar e discutir as exposições de Camille Claudel e Rodin, Michelângelo, Nenna, Regina Silveira, Hilal Sami Hilal, Mestres Espanhóis, Mestres Franceses, Meditações Extravagantes, entre muitas outras. Passaram também a incorporar elementos das artes moderna e contemporânea em suas próprias experimentações poéticas, criando composições que foram além de suas questões de crivo pessoal e naturalizações culturais.Em 2007 e em 2012, com apoio de toda equipe do CAPS, foram organizadas a I e a II Mostra Artística na Biblioteca de Valparaíso e, desde então, as produções dos usuários das nossas oficinas têm participado de vários eventos, promovidos pelo CAPS ou por outras instituições. Alguns usuários passaram a seguir sua própria trajetória artística, participando de editais de arte e cultura do município (um deles, Teófilo Roberto de Souza, foi selecionado pela Lei de Cultura e Arte Chico Prego), outros fazem trabalhos autônomos utilizando o conhecimento construído nas oficinas

O artista é um experimentador ocasional, que funciona como catalisador de individuações. Suely RolnikO trabalho proposto é resultado de uma série de encontros que se deram na oficina de arte e cinema, no CAPS ad Laranjeiras, chamada pelos usuários que participam de Oficina Produzindo a vida. Esses encontros motivaram a criação de um curta-metragem de ficção, intitulado O Sonho de Zé, com participação dos usuários na construção do roteiro, argumento, direção e atuação.O meu papel, enquanto artista plástica atuante nessa instituição, foi o de facilitar e motivar esse processo, assim como ser responsável pelas filmagens e pela edição das imagens, com o aval do grupo. Portanto, trata-se de uma experiência coletiva.

O protagonismo dos usuários na feitura e condução da história (os diálogos foram todos criados por eles), assim como as propostas de edição das cenas (finalizadas por mim, com o aval do grupo) possibilitam não apenas a expressão de pensamentos e sentimentos acerca da problemática do uso abusivo de substâncias psicoativas e sua condução pelas instâncias jurídicas e de saúde, mas também a reflexão sobre as possibilidades estéticas presentes na vida e que ganham força no contato com a arte.Além disso, a desnaturalização de ideias acerca do perfil do usuário de substâncias psicoativas e dos preconceitos envolvidos nessas ideias, existentes na sociedade de forma geral e nas concepções dos próprios profissionais de saúde, se faz necessária, a fim de enxergarmos o sujeito na sua integralidade, nas instâncias sociais, psíquicas, políticas, estéticas e afetivas. Um sujeito pode ser potente e criativo, mesmo passando por problemas de saúde, e isso também diz respeito ao uso abusivo de álcool e outras drogas.As vivências estéticas extremamente novas e dinâmicas para as pessoas que chegam ao CAPS ad Laranjeiras não se dão por meio do ensino artístico formal e acadêmico

Principal

Flávia de Macedo Cavallini

capsad.sesa@serra.es.gov.br

A prática foi aplicada em

Serra

Espírito Santo

Sudeste

Instituição

AV. TALMA RODRIGUES RIBEIRO, 5416

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Flávia de Macedo Cavallini

Conta vinculada

emanoel.filho@fiocruz.br

02 mar 2016

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Oficina de jogos e desenho
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de Economia Solidária
Rio de Janeiro
Práticas
Terapia Comunitária Integrativa: um relato de experiência no município de Resende (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo terapêutico: um espaço de acolhimento e de suporte para o final de semana, através da musica, violão e técnica da auriculoterapia
Rio de Janeiro
Práticas
Equipe multidisciplinar – um olhar psicossocial na atenção à infância e adolescência
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto Adoles-SER- a clínica em movimento. Cuidado e promoção de saúde mental de adolescentes
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Avaliação diagnóstica do TEA no SUS e capacitação dos pais como forma primordial de intervenção
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de Estimulação Cognitiva como estratégia de cuidado ampliado para indivíduos com dependência de álcool
Rio de Janeiro
Práticas
Os dados do CAPS1 Minha Vida como indicador avaliativo do serviço na supervisão clínico-institucional
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo de familias em um CAPS infanto-juvenil
Rio de Janeiro