Olá,

Visitante

Terapia Comunitária Como Estratégia de Saúde Mental no Pse na Diminuição da Violência Escolar.

Introdução:A juventude sempre foi considerada um período delicado e decisivo da vida humana. No entanto, no mundo atual os conflitos e desafios que envolvem a vida dos jovens vêm se exacerbando de forma incomum. Certamente, um país que não oferece aos jovens oportunidades adequadas de desenvolvimento pessoal e profissional tem pouco a esperar do futuro. Nesse contexto, a sociedade espera da escola publica uma contribuição significativa para que crianças e adolescentes tenham um futuro melhor, mas como a escola pode apoiar os jovens para que eles façam do mundo um lugar melhor para se viver?. ?Em seus escritos Paulo Freire sublinhava que educação libertadora é aquela que ajuda as pessoas a serem sujeitos da sua própria estória a e a transformar circunstancias da realidade quando ela se antepõe ao pleno desenvolvimento humano.?Objetivo:A violência corresponde hoje como uma das causas de morte no Brasil sendo que 80% dessas mortes são de jovens e crianças, vitimas da violência, resumindo hoje a população Brasileira tem morrido, mas por causas ligadas a violência do que por doenças. E foi pensando nisso que surgiu a realização da terapia comunitária nas escolas, pois parte dessa violência tem sido apresentada nas escolas e muitas dessas situações violentas vão para nos sites e redes sociais servindo muitas vezes como exemplo a outros jovens ou como prêmios ou formas de heroísmo ou coragem. E toda essa violência tem como base a falta de estrutura familiar o que tem ficado para a escola e o professor toda a responsabilidade na educação. A terapia comunitária vem com o objetivo de dá apoio, melhorar a auto estima a auto imagem(contaminada por ser negro e ser pobre) das crianças e jovens visando diminuir a violência escolar tendo como parceiros a escola e a família levando uma consciência de que a paz e educação é um processo construído por todos.MetodologiaEspaço de escutaAcolhimentoRodas de Terapia e rodas temáticas (incluindo pais e professores)Atividades dinâmicas

Melhorar a autoestima e autoimagem das crianças e jovens, visando diminuir a violência escolar.

Principal

Katia Silene Regina Brito da Silva

A prática foi aplicada em

Lauro de Freitas

Bahia

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Katia Silene Regina Brito da Silva

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Oficina Oportunizar /CAPS AD
Rio de Janeiro
Práticas
Desinstitucionalização do Hospital Colônia Itapuã: de um portal sombrio a um Solar iluminado.
Rio Grande do Sul
Práticas
SKCAPS: grupo de skate como tecnologia de cuidado em saúde mental infantojuvenil
São Paulo
Práticas
Oficina de jogos e desenho
Rio de Janeiro
Práticas
Oficina de Economia Solidária
Rio de Janeiro
Práticas
Terapia Comunitária Integrativa: um relato de experiência no município de Resende (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Grupo terapêutico: um espaço de acolhimento e de suporte para o final de semana, através da musica, violão e técnica da auriculoterapia
Rio de Janeiro
Práticas
Equipe multidisciplinar – um olhar psicossocial na atenção à infância e adolescência
Rio de Janeiro