Olá,

Visitante

Saúde e assistência social- resgatando a autoestima e saúde mental das mulheres da zona rural de Barra de Santana-PB

Apresentação
A academia da Saúde se destaca como um ponto de partida da atenção básica com potencial de fortalecer e qualificar as ações de promoção da saúde nas comunidades ampliando-se através da assistência social.
Nesta perspectiva, o município aderiu ao Programa Barra Ativa, ampliando as atividades físicas as localidades de difícil acesso, visando atender em especial, mulheres usuárias de medicamentos ansiolíticos e antidepressivos.
Neste sentido, planejou-se de forma intersetorial, de modo que tanto a saúde quanto a assistência social pudessem interagir com este público. A academia de Saúde com promoção e prevenção e a assistência social a partir do serviço de convivência e fortalecimento de vínculos com a parte cultural, considerando a dança como uma alternativa de resgate da autoestima e saúde mental das mulheres da zona rural.
Assim, através da necessidade de trabalhar as usuárias dos serviços de forma ampliada (corpo e mente) as duas secretarias se uniram para desenvolver o trabalho integrado visando à melhoria da saúde e qualidade de vida da população do município de Barra de Santana.
Objetivos
Este relato de experiência tem por objetivo dar visibilidade ao trabalho integrado, multidisciplinar e intersetorial realizado com os usuários dos SUS ( Sistema Único De Saúde) e SUAS (Sistema Único Da Assistência Social).

Nos objetivos específicos buscamos:
– Aplicar estratégias intersetoriais no desenvolvimento de processos de trabalho para intervenção coletiva na comunidade;
– Trabalhar Saúde Corporal e Saúde Mental, visando o desenvolvimento individual e coletivo da população;
– Identificar através do trabalho em rede de serviços municipais, maneiras de melhorar a qualidade de vida dos usuários dos serviços;
– Identificar os usuários que estão necessitando de atenção ampliada e inseri-los nos serviços de Saúde e Assistência Social.

Com a emancipação feminina vieram também novas responsabilidades, que acabaram trazendo uma sobrecarga para as mulheres e as consequências desse acúmulo de novas tarefas, foi responsável também por trazer problemas principalmente no que tange a saúde mental das mesmas. Diante desse contexto, vimos a necessidade de focar no trabalho intersetorial e integrado, para trabalhar a saúde mental das mulheres e consequentemente facilitando o processo de prevenção e cura de outras doenças.

De acordo com o relato das usuários desse trabalho desenvolvido, mostra visivelmente uma melhora no aspecto geral da saúde física e mental dos mesmos. Algumas alegam que em decorrência de fatores do envelhecimento, climatério e menopausa, adoeceram mais e se acumularam com doenças já pré-existentes, entre elas se destacam: as doenças crônicas como Diabetes, Hipertensão, sequelas da Chikungunya ,COVID e os problemas psicológicos (ansiedade e depressão). Tendo em vista a melhoria deste cenário, a Secretaria de Saúde em articulação com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Humano estão desenvolvendo trabalhos que objetivem a recuperação gradativa das sequelas de doenças virais, crônicas e psicológicas que acabam por afetar diretamente a autoestima do público aqui referido.
Como resultados mais expressivos deste trabalho foram:
Estabilização da Pressão Arterial;
Diminuição da Glicose e Colesterol;
Alta médica de acompanhamentos do Centro de Apoio Psicossocial (CAPS);
Melhora das condições físicas e mentais relacionadas às possíveis sequelas da COVID-19 e Chikungunya;
Melhoria da autoestima das mulheres;
Empoderamento e autonomia das mulheres;
Estabilidade Emocional de pessoas com depressão e ansiedade;
Intervenção precoce nos casos de diabetes e hipertensão arterial;
Identificação e Intervenção em casos de violação de violência contra as mulheres;
Integração e inclusão Social;
Ampliação da Atenção Primária da Saúde e da Assistência Social;

https://www.valesaude.com.br/saude-v/saude-mental-da-mulher-por-que-devemos-falar-mais-sobre-isso/

https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2023-08/pos-pandemia-45-das-mulheres-mostram-algum-tipo-de-transtorno-mental

Principal

Ana Cristina Silva de Oliveira

anacoonap@gmail.com

Assistente Social

Coautores

Ana Cristina Silva de Oliveira Aluska da Silva Antonia Araujo Gomes

A prática foi aplicada em

Barra de Santana

Paraíba

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Rua Elvira Amorim s/n - Centro, Barra de Santana

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Ana Cristina Silva de Oliveira

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

13 abr 2024

e atualizada em

13 abr 2024

Condição da prática

Andamento

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba
Práticas
Do ambulatório LGBTQIAPNB+ ao Café com Diversidade: garantindo acesso e fortalecimento de vínculos
Paraíba
Práticas
Fato ou fake: utilizando a força da internet no combate a fake news sobre vacinação em Esperança – PB.
Paraíba
Práticas
Projeto saúde na feira: ampliando o acesso de serviços de saúde no município de Ingá.
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Promoção da saúde mental dos trabalhadores da estratégia de saúde da família: cuidando do cuidador.
Paraíba