Olá,

Visitante

Protocolo de passagem de plantão no serviço residencial terapêutico: um relato de experiência

A implementação de um protocolo de passagem de plantão na Residência Terapêutica visa melhorar a comunicação entre as cuidadoras e garantir a continuidade do cuidado prestado aos residentes. Ao enfrentar esses desafios, é possível fortalecer a implementação do protocolo de passagem de plantão na Residência Terapêutica, garantindo uma comunicação eficaz, uma transição suave entre os turnos e, o mais importante, a segurança e o bem-estar dos residentes. Diante disso, foi desenvolvido um protocolo de passagem de plantão no período de 4 meses, na residência tipo II, localizada no município de Queimadas-PB, sendo o público alvo as cuidadoras deste serviço. Este protocolo visa estabelecer diretrizes claras e eficazes para a comunicação durante a passagem de plantão na Residência Terapêutica, garantindo a continuidade e a qualidade do cuidado prestado aos residentes. O protocolo de passagem de plantão foi desenvolvido pela enfermeira responsável, com o respaldo da coordenação do CAPS. A elaboração do plano de ação para a implementação do protocolo seguiu algumas etapas pré-determinadas. Inicialmente, foi realizado um levantamento das principais dificuldades enfrentadas pelas cuidadoras durante a passagem de plantão, por meio de rodas de conversas e discussões em equipe. Em seguida, o protocolo foi elaborado, contemplando diretrizes claras para a troca de informações entre as cuidadoras durante as passagens de plantão. A fase subsequente consistiu na realização de treinamento e capacitação para os profissionais envolvidos. As atividades de capacitação tiveram início no mês de agosto de 2022 e foram conduzidas na própria residência terapêutica pela enfermeira responsável. Durante esses encontros, foram abordados aspectos como registros de observações, sinais de alerta, administração de medicações e orientações específicas para cada residente.

Algumas questões surgiram durante esse processo: como lidar com a atualização constante das informações sobre os residentes durante o turno? Informações importantes podem surgir repentinamente, exigindo uma comunicação rápida e precisa durante a passagem de plantão. Como garantir uma comunicação eficaz entre a Residência Terapêutica e a equipe multiprofissional do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) em casos de eventos significativos ou alterações no estado dos residentes? A falta de um canal de comunicação claro e ágil pode resultar em atrasos na assistência e na tomada de decisões. Como assegurar que todas as informações transmitidas durante a passagem de plantão sejam registradas de forma completa e precisa? A falta de registros adequados pode levar a lacunas na informação e dificultar a avaliação do cuidado prestado.

Foi elaborado um modelo padrão para passagem de plantão com tópicos para check-list, como também espaços para discorrer sobre alguma intercorrência durante o plantão. Foi realizado capacitação individual com cada umas das cuidadoras plantonistas, abordando sobre o protocolo estabelecido e a respeito das diretrizes de passagem de plantão durante 2 meses. A introdução do protocolo de passagem de plantão demonstrou ser uma estratégia eficaz para melhorar a comunicação interna e a coordenação do cuidado na Residência Terapêutica. A padronização dos procedimentos de troca de informações contribuiu para a promoção da segurança do paciente e para a prevenção de eventos adversos relacionados à assistência. Após a implementação do protocolo, observou-se uma melhoria significativa na comunicação entre as cuidadoras durante as trocas de turno. Além disso, a equipe multiprofissional do CAPS relatou uma maior frequência e qualidade das notificações sobre alterações no quadro clínico dos residentes, o que possibilitou uma intervenção mais rápida e eficaz nos casos de emergência ou agravamento do estado de saúde dos pacientes. A sistematização das práticas de passagem de plantão pode contribuir significativamente para a qualidade e segurança do cuidado prestado aos pacientes. A passagem de plantão, enquanto uma rotina crucial do serviço, requer a concepção de novas estratégias. Durante o acompanhamento da implementação do protocolo, observou-se uma resposta positiva por parte das cuidadoras, e os resultados alcançados têm motivado o aprimoramento contínuo deste procedimento. A evolução é notória na melhoria da comunicação, garantindo que as informações sejam transmitidas de maneira padronizada, objetiva e completa.

Essa iniciativa não apenas fortalece a equipe de cuidados, mas também promove uma assistência mais eficaz e centrada no paciente, ressaltando a importância do investimento em práticas que valorizem a comunicação efetiva e a colaboração entre os profissionais de saúde mental.

Principal

Lívia Maria Tavares Miranda

livia.miranda12@gmail.com

Enfermeira

Coautores

Lívia Maria Tavares Miranda, Rachell de Farias

A prática foi aplicada em

Queimadas

Paraíba

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Serviço Residencial Terapêutico

Rua Lúcio Ricardo M. Galdino, 15

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Lívia Maria Tavares Miranda

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

14 abr 2024

e atualizada em

15 abr 2024

Início da Execução

01/08/2022

Fim da Execução

01/11/2022

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
A importância do trabalho em rede para a efetivação da reinserção social aos dependentes químicos enquanto sujeitos de direitos: observações acerca do eixo reinserção social no Centro de Acolhimento e Atenção Integral Sobre Drogas do município de Cachoeiro de Itapemirim (ES)
Espírito Santo
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Explorando as possibilidades: atividade aquática no tratamento de TEA no município de Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Inovação do cuidado em saúde mental no município de São José do Sabugi-PB a partir da prática.
Paraíba
Práticas
Em boas mãos: valorização dos profissionais de saúde e os impactos na proatividade em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Ressignificando vidas através das artes manuais: uma vivência do CAPS I Umbuzeiro-PB
Paraíba