Olá,

Visitante

Projeto agrotóxicos: Um olhar consciente

Na atualidade existem no Brasil diferentes modos de produção agrícola, entre elas pode-se citar a agricultura familiar, atividade está realizada por mão de obra familiar, em pequenas propriedades, sendo essencial para o desenvolvimento e segurança alimentar do país.
Mediante a realização destas atividades verifica-se um uso em grande escala dos agrotóxicos tanto na agricultura, pecuária, veterinária, bem como, nas ações de saúde pública. Os agrotóxicos são definidos como produtos químicos sintéticos usados para matar insetos, larvas, fungos, carrapatos sob a justificativa de controlar as doenças provocadas por esses vetores e de regular o crescimento da vegetação, tanto no ambiente rural quanto urbano (BRASIL, 2002; INCA, 2021).
A exposição a estes produtos pode gerar consequências sérias na vida daqueles que o manipulam. Carneiro et. Al., (2005) aponta que o Brasil desde 2008 é considerado um dos maiores consumidores de agrotóxicos do mundo, sendo um problema de saúde pública nacional. Estudos mostram que os agrotóxicos apresentam um nível de toxicidade podendo atingir o meio ambiente, os animais e de diferentes formas os seres humanos.
Sendo assim, observa-se que a execução de ações de vigilância em saúde deve ser realizada de forma contínua e sistemática com análise de dados e disseminação de informações sobre a saúde, proteção, prevenção e controle de riscos. Como a agricultura familiar apresenta características como falta de apoio técnico e orientações quanto a segurança, é preciso a adoção da prevenção e a prática segura das atividades.
Assim, o objetivo deste trabalho foi fazer um levantamento quanto a situação de saúde e condições de trabalho dos agricultores da cidade de Lagoa Seca, assim como, realizar atividades de conscientização quanto aos perigos e as medidas preventivas no uso de agrotóxicos;

Uso de agrotóxico provocando adoecimento e falta de informação quanto as medidas preventivas e adversas.

Implementação da importância do uso de EPI a partir de rodas de conversa, levantamento de dados quanto ao adoecimento local, bem como, informações sobre a situação de saúde dos agricultores da cidade de Lagoa Seca.

Realização de capacitações e treinamentos com os agricultores e profissionais da saúde quanto as consequências do uso de agrotóxicos.

Principal

Marcella Mayara Costa Araújo Aragão

marcella.may@hotmail.com

Engenheira de segurança do trabalho

Coautores

Marcella Mayara Costa Araújo Aragão David Lucas Ferreira de Queiroz Genilson Vitoriano dos Santos Lima Cilânea dos Santos Costa

A prática foi aplicada em

Campina Grande

Paraíba

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Maestro Alcides Leão,595, Santa Cruz, Campina Grande -PB

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Marcella Mayara Costa Araújo Aragão

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

26 mar 2024

e atualizada em

26 mar 2024

Condição da prática

Andamento

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Estudo das infecções do trato urinário na população de Queimadas (PB) atendida pelo SUS
Paraíba
Práticas
VIVER BEM É SER SAUDÁVEL: ACOMPANHAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS
Paraíba
Práticas
Vigilância Epidemiológica: relato de experiência sobre a operacionalização do trabalho no município de Quatis
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação antirrábica animal itinerante – a vigilância ambiental em saúde vai até você!
Rio de Janeiro
Práticas
Estratégia de rodízio para ampliação do acesso da população às vacinas com apresentação multidoses
Rio de Janeiro