Olá,

Visitante

Organização do Processo de Trabalho na Atenção Primária em Saúde Utilizando Ferramentas Analisadoras e Estratégicas.

O projeto acima intitulado, teve sua motivação na análise do seguinte cenário: – Dificuldade das Equipes no planejamento da Organização do Processo de Trabalho, bem como de monitoramento e avaliação sistematizada pela gestão através das coordenações -Ações não realizadas a partir de perfil epidemiológico Ausência de diagnóstico situacional e de um modelo de atenção com base na integralidade e que atue de acordo com a realidade e especificidade do usuário – linha do cuidado -Desvalorização de ferramentas estratégicas existentes, entre elas: Matriz de Intervenção, Fluxograma, Mapas Analíticos, elementos do Eixo Estratégico Transversal de Desenvolvimento do PMAQ (Autoavaliação, Monitoramento, Educação Permanente, Apoio Institucional e Cooperação Horizontal), AMAQ e Gestão Compartilhada (PNH, PTS). O Projeto em execução teve início em novembro/2018, com etapas definidas conforme descrito na metodologia com desenvolvimento nas áreas de trabalho e UBSs das 18 esquipes de Saúde da Família.

ObjetivoGeral: Qualificar o processo de trabalho da Atenção Primária para melhorias no cuidado à população. Específico: Sistematizar avaliação, monitoramento e planejamento das ações em saúde num processo participativo, envolvendo os vários autores.Metodologia1. Elaboração de Check lists para visita da equipe GI na UBS e do Questionário de Satisfação do Usuário 2. Pesquisa por amostra, nas áreas, com foco em pessoas dos grupos prioritários (gestantes, puérperas, hiperdia e outros), com aplicação do questionário, posteriormente compilado para apresentação a equipe 3. Visita à UBS para supervisão, avaliação da organização geral, registros, instrumentos e reunião para discussão do questionário e da avaliação 4. Entrega dos check lists à equipe para correção das inconformidades com prazos estabelecidos 5. Retornos da Equipe GI à UBS para monitoramento 6. Encontro da equipe GI com a equipe da UBS para compartilhamento dos avanços e melhorias a partir das várias percepções.

O projeto em desenvolvimento já apresenta resultados exitosos. A finalidade envolve muitas possibilidades e alternativas, autores, recursos e influências. Percebe-se barreiras e tensões, mas, também, aspectos facilitadores como a cooperação e mudanças nos ambientes e posturas. O processo segue utilizando a ferramenta de gestão PDCA, e ao final pretende-se alcançar como impacto o objetivo da qualificação e melhoria no cuidado, mensurado pelo alcance de indicadores e metas e satisfação do usuário.

Principal

Raimunda da Cunha Carneiro

A prática foi aplicada em

Alto Alegre do Pindaré

Maranhão

Nordeste

Instituição

R. São Vicente, 145

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

22 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
1º Audiência Regional de Saúde de Campo: Regionalizar é Preciso – Exercitando a Participação Social e Vencendo os Vazios Assistenciais.
Paraná
Práticas
Sala de Situação: Um Instrumento Facilitador para Implantação de Gestão Compartilhada em Cidade de Pequeno Porte
Mato Grosso
Práticas
Apoio Institucional Como Dispositivo para o Fortalecimento das Redes de Atenção À Saúde na 13ª Região de Saúde da Paraíba
Paraíba
Práticas
Gestão Financeira da Saúde na Prática Municipal
Paraná
Práticas
A Regulação do Acesso no Município de Vitória: o Caminho para a Equidade e Integralidade do Cuidado
Espírito Santo
Práticas
Apoiadores Municipais da Política Nacional de Humanização, Fomentando os Núcleos Técnicos de Humanização nos Distritos Sanitários de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Maceió/Al
Alagoas
Práticas
Implantação do Fluxo de Investigação de Óbito: Integração Entre Atenção Básica e Vigilância Sanitária
Bahia
Práticas
“Relato Experiência da Implantação do Modelo de Gestão Municipal de Casos, Integrando Grupos Prioritários e Condições Crônicas”.
Paraná
Práticas
Educação permanente do Cosems RN e o planejamento regional
Rio Grande do Norte