Olá,

Visitante

Detecção do 1º Caso de Raiva Canina e As Ações de Controle Executadas no Município de Hortolândia, São Paulo.

A raiva é uma zoonose que acomete mamíferos e está presente em todos os continentes com exceção da Antártida. No Brasil os morcegos são os principais transmissores da doença, mas também são registrados casos humanos transmitidos por outras espécies de animais silvestres, por herbívoros, por cães (variante viral canina) e de 2001 a 2017 foram registrados 4 casos humanos transmitidos por cães e gatos infectados com variantes virais de morcegos. No estado de São Paulo não há registros de casos humanos autóctones infectados por variante de cão desde 1997 e em 2018 foi confirmado um caso humano infectado por variante viral de morcego a circulação do vírus é detectada anualmente na população animal sendo de grande preocupação os casos registrados em cães e gatos decorrentes da infecção por variantes de morcegos entre 2003 e 2017 foram 17 casos em gatos e 8 em cães. Em Hortolândia o 1º registro de raiva em cão semi-domiciliado provocada por variante viral de morcego foi em julho de 2018.

Apresentar a detecção do 1º caso de raiva canina do município provocada pela infecção por variante viral de morcego e as ações de investigação e controle desencadeadas pela Unidade Básica de Saúde (UBS), Vigilância Epidemiológica (VE) e pela UnidadeA detecção do caso de raiva canina em 06/2018 surge como fruto do trabalho da UVZ de sensibilização dos Médicos Veterinários (MV) para a notificação de casos suspeitos de zoonoses. A comunicação entre os profissionais da UBS, VE e UVZ na investigação, na adoção das medidas profiláticas e para o ágil envio da amostra à São Paulo para o diagnóstico laboratorial foi fundamental. A UVZ ficou responsável pela ação de bloqueio da raiva (ações definidas por os critérios técnicos desencadeadas em um território que visam evitar novos casos em cães, gatos e seres humanos) os insumos necessários a estas ações e a ampla divulgação do caso na imprensa se deu pela articulação da secretaria de saúde com demais secretarias e com a vigilância estadual.

O trabalho das equipes que compõem a vigilância em saúde com os demais serviços de atenção à saúde é de fundamental importância para a execução de ações eficientes e eficazes, para tanto há que se ter uma política de trabalho voltada para a integração entre as equipes. A reestruturação do serviço de controle de zoonoses de Hortolândia em 2017 de acordo com a Portaria MS nº1138/2014 possibilitou a qualificação e incremento das ações de controle de zoonoses, agravos relevantes para a saúde pública

Principal

Tosca de Lucca Benini Tomass Rezende

tosca_delucca@yahoo.com.br

A prática foi aplicada em

Hortolândia

São Paulo

Sudeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

N

Foi cadastrada por

Ideiasus/Conasems

Conta vinculada

mayaragoncalves.job@gmail.com

02 jun 2023

e atualizada em

22 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Trabalho intersetorial no combate a dengue no município de Volta Redonda (RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação extramuro: estratégia de ampliação de cobertura vacinal contra covid 19 no município de Volta Redonda(RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto saúde do trabalhador rural: integração intersetorial e avaliação da situação de saúde de trabalhadores
Rio de Janeiro
Práticas
Adesão à plataforma Salus 2.0 como ferramenta para monitoramento dos casos e qualificação da assistência prestada ao usuários com sífilis no município de Rio das Ostras
Rio de Janeiro
Práticas
O Sarampo “Navegou” Pelo Rio Madeira e “Parou” em Porto Velho: Relatando A Experiência da Vigilância em Saúde do Município
Rondônia
Práticas
Enfrentamento do Surto de Sarampo no Município de Boa Vista: uma Experiência que Demonstrou o Quanto É Possível A Integração Entre Atenção Básica e Vigilância em Saúde
Roraima
Práticas
Cuidando de Quem Cuida: Um olhar Terapêutico Aos Profissionais de Saúde na Pandemia de Covid-19.
Paraíba
Práticas
Expresso Chagas 21
Práticas
Qualificação do Sistema de Informação Sobre Mortalidade (Sim) – uma Questão de Estratégia
Pará