Olá,

Visitante

Oficina de jogos e desenho /CAPS AD

A promoção da saúde mental entre usuários de álcool e outras drogas é essencial. Ao integrar atividades como xadrez e desenho, busca-se estimular o raciocínio lógico e proporcionar uma alternativa de convivência. Essas práticas não apenas oferecem lazer, mas também enfatizam a redução de danos, visto que cada hora dedicada a essas oficinas representa um período em que os participantes estão afastados do pensamento ou uso de substâncias. Observa-se a necessidade de fornecer meios de distração e entretenimento, reconhecendo que usuários enfrentam carência nesse aspecto. Assim, ao adotar o xadrez e o desenho como formas de lazer, busca-se não apenas estimular habilidades cognitivas, mas também prover um ambiente acolhedor que contribua significativamente para a qualidade de vida e a redução do uso de álcool e drogas.

Xadrez: Desenvolver habilidades cognitivas por meio do jogo de xadrez, estimulando raciocínio lógico e estratégico. Proporcionar lazer estruturado para usuários de álcool e outras drogas, incentivando concentração e socialização durante as partidas.
Contribuições para os pacientes: Aprimoramento do pensamento analítico, fortalecimento da tomada de decisões e fomento da convivência saudável, reduzindo o tempo dedicado ao uso de substâncias.

Desenho: Explorar expressão artística como terapia, promovendo aprendizado da técnica de desenho. Oferecer atividade criativa e inclusiva, estimulando imaginação e habilidade manual.
Contribuições para os pacientes: Estímulo à criatividade, melhoria da coordenação motora, promoção de concentração e ocupação construtiva do tempo, contribuindo para a redução do uso de álcool e outras drogas.

RESULTADOS: até 1500 CARACTERES

A implementação da oficina de xadrez revelou resultados promissores. Observou-se um desenvolvimento significativo das habilidades cognitivas, refletido no aprimoramento do raciocínio lógico e estratégico dos participantes. A socialização durante as partidas contribuiu para a construção de relações interpessoais, promovendo um ambiente coeso.
Um ponto digno de nota foi a observação de um participante que aplicava conceitos matemáticos durante as partidas de xadrez. Este fenômeno evidencia a diversidade de abordagens e a adaptabilidade do xadrez como estímulo cognitivo.
A oficina de desenho apresentou impactos expressivos. Os participantes experimentaram estímulo significativo à criatividade, evidenciado pelo aprimoramento das técnicas artísticas. A melhoria da coordenação motora fina foi notável, com reflexos não apenas nas atividades artísticas, mas também nas habilidades cotidianas.
Os resultados transcenderam o âmbito individual, refletindo-se na coesão grupal. A formação de uma comunidade de apoio entre os participantes foi notável, proporcionando um ambiente seguro para compartilhamento de experiências e superação de desafios comuns.
Além disso, a redução do tempo dedicado ao uso de álcool e outras drogas se mostrou evidente. Cada hora investida nas oficinas representou uma hora afastada dessas substâncias, destacando a eficácia da abordagem na promoção da redução de danos.
Em síntese, os resultados apontam não apenas para a eficácia das oficinas no desenvolvimento cognitivo e emocional, mas também destacam a relevância na construção de uma rede de apoio sólida e na redução do consumo de substâncias prejudiciais, evidenciando a abordagem integrada como fundamental na promoção de uma qualidade de vida mais saudável.

A integração de atividades como xadrez e desenho para promover a saúde mental entre usuários de álcool e outras drogas é uma abordagem eficaz e promissora. Ao estimular habilidades cognitivas e oferecer alternativas de lazer estruturado, essas oficinas não apenas proporcionam distração e entretenimento, mas também promovem a socialização e a construção de uma comunidade de apoio. Os resultados evidenciam o impacto positivo na redução do consumo de substâncias prejudiciais, ressaltando a importância de uma abordagem integrada na promoção de uma qualidade de vida mais saudável. Essas práticas não só contribuem para o desenvolvimento individual, mas também para o fortalecimento do suporte emocional e a formação de relações interpessoais significativas, reforçando a necessidade de investimento contínuo nessa área.

Principal

Bruna Ferreira Sanches

bubufsanches@yahoo.com.br

Psicóloga

Coautores

Bruna Ferreira Sanches; Luiz Cláudio Leal Pereira de Carvalho

A prática foi aplicada em

Barra Mansa

Rio de Janeiro

Sudeste

Esta prática está vinculada a

Rua Professor Pedro Vaz, n° 57, Centro

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Bruna Ferreira Sanches

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

27 mar 2024

e atualizada em

27 mar 2024

Início da Execução

12/01/2021

Condição da prática

Andamento

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Explorando as possibilidades: atividade aquática no tratamento de TEA no município de Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Inovação do cuidado em saúde mental no município de São José do Sabugi-PB a partir da prática.
Paraíba
Práticas
Em boas mãos: valorização dos profissionais de saúde e os impactos na proatividade em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Protocolo de passagem de plantão no serviço residencial terapêutico: um relato de experiência
Paraíba
Práticas
Ressignificando vidas através das artes manuais: uma vivência do CAPS I Umbuzeiro-PB
Paraíba
Práticas
Estruturação do cuidado em saúde mental de crianças e adolescentes vítimas de violência
Rio de Janeiro
Práticas
Estruturação da Rede de Cuidado para a Atenção às Crianças e Adolescentes com TEA e suas famílias
Rio de Janeiro