Olá,

Visitante

o Monitoramento do Plano Municipal de Saúde e o Planejamento para A Execução das Ações Propostas no Município de Campestre/MG

Os instrumentos de gestão do SUS são essenciais para o planejamento adequado das políticas de saúde em suas três esferas de governo e possibilitam ainda a participação de diversos envolvidos para a formulação de ações objetivas no planejamento do SUS. o município de Campestre, sul Minas, veio até meados de 2017 utilizando o Plano Municipal de Saúde e a Programação Anual de Saúde como um instrumentos obrigatórios e não como potencial ferramenta que possa aumentar o sucesso do SUS local. Diante da necessidade, iniciaram-se em 2017 o planejamento do plano com uso de suas ferramentas de gestão (própria) e criação de uma metodologia de avaliação constante desses instrumentos ao qual estabelecia ações e três situações no monitoramento categorizadas.

Acompanhar a execução do plano municipal de saúde e orientar o gestor no planejamento, tomada de decisão e ações que permitam efetividade do SUS no município. Após a elaboração e aprovação do Plano Municipal de Saúde e da Programação Anual de Saúde com todas as considerações da proposta de governo e das conferências municipais executadas em 2017 a gestão percebeu a necessidade de monitorar a execução desse instrumento para que possibilite o planejamento e a efetivação das políticas de saúde local. Foi criado pelo departamento de planejamento da Secretaria Municipal de Saúde uma planilha que identificava todas as propostas de execução do PMS e da PAS ao qual o gestor poderia sinalizar três opções, sendo: Alcançou, Alcançou Parcialmente e Não Alcançou. Foi possível com a equipe avaliar cada proposta pactuada e qual a realiza situação da mesma.

A Secretaria Municipal de Saúde juntamente com o Conselho Municipal avaliou todas as propostas classificando cada uma delas, obtendo um cenário apresentado como: 56,88% Alcançado, 24,77% Alcançado Parcialmente e 18,34% Não Alcançado. Com a apresentação da situação referente ao monitoramento do PMS e da PAS o gestor teve a oportunidade de rever as propostas que não foram alcançadas se iram permanecer no Plano Municipal ou se não, além é claro de definir novas estratégias para executar o pactuado. o monitoramento ainda possibilitou que o Controle Social tivesse participação direta no processo de avaliação e garantiu que a gestão entendesse melhor a necessidade dos usuários do SUS.o monitoramento é necessário para que a gestão possa avaliar a execução dos serviços de saúde corrigir pontos negativos e ajustar os que foram identificados como parcialmente alcançados. A intensificação do monitoramento dos instrumentos de gestão garantiu que houvesse ampla participação no planejamento das ações e na efetivação do Plano Municipal de Saúde e da Programação Anual e foi possível estabelecer uma ferramenta inovadora e contínua.

Principal

Maurício Durval De Sá

mauspu@gmail.com

Coautores

Helieverton Ramos Da Silva

A prática foi aplicada em

Campestre

Minas Gerais

Sudeste

Instituição

Rua Aurora Ramos, 45 - Centro - Campestre/Mg - Cep: 37.730-000

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Vagner Miranda Silvio

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal