Olá,

Visitante

O Matriciamento Como Processo de Trabalho do Nasf

Finalidade da Experiência:•

A população de Rio do Sul é atendida por 13 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 4 extensões que atuam como Estratégias de Saúde da Família – ESF, estas contam com o apoio de uma equipe de NASF. O NASF foi criado pelo Ministério da Saúde em 2008 com o objetivo de apoiar a consolidação da Atenção Básica no Brasil, ampliando as ofertas de saúde na rede de serviços, assim como a resolutividade, a abrangência e o alvo das ações. No desenvolvimento das ações do NASF em Rio do Sul sentiu-se a necessidade de aprimorar o trabalho em equipe e buscar ações para o sistema de guias de referência e contra-referência, diminuir os encaminhamentos consecutivos, evitar a desresponsabilização e a transferência de pacientes que deviam ser preferencialmente cuidados em seu território, sem que haja a diluição de responsabilidades entre os profissionais envolvidos, ou seja, fazer um NASF atuante em sua totalidade. Visando estas questões, analisou-se as bibliografias que tratam de NASF e observou-se menções ao matriciamento no entanto percebeu-se pouca compreensão sobre o termo porem sabia-se da necessidade de usar esta ferramenta, a partir de estudos mais amplos como da Política Nacional de Humanização – PNH, o Caderno de Atenção Básica do NASF (CAB NASF) e o Guia Prático de Matriciamento em Saúde Mental começou-se a utilizar e a aperfeiçoar esta ferramenta no processo de trabalho. Diante disso entende-se o matriciamento como “um suporte técnico especializado que é ofertado a uma equipe interdisciplinar em saúde a fim de ampliar seu campo de atuação e qualificar suas ações”, sendo uma ferramenta de transformação, não só do processo de saúde e doença, mas de toda a realidade dessas equipes. O apoio matricial facilita a vinculação do usuário aos serviços de saúde, sem que haja a diluição de responsabilidades, pois os casos são compartilhados no momento das reuniões periódicas de equipe, da discussão de casos, da definição de linhas de intervenção e de projetos terapêuticos. Pensando no processo saúde/doença e intervenção como algo complexo e dinâmico, torna-se imprescindível a participação do NASF nos espaços de planejamento e organização da UBS – reuniões gerais, reuniões de equipe, discussões de casos/estratégias, articulação com a comunidade e o conhecimento do território a partir das informações privilegiadas das UBS.

A ferramenta do matriciamento mostra-se eficaz pois atinge os objetivos propostos gerando um relexo positivo para as equipes das UBS, do NASF e da comunidade. Destaca-se a importância do material bibliográfico disponibilizado pelo Ministério da Saúde. Considerando as finalidades deste processo de trabalho e analisando os resultados, o matriciamento constitui-se numa ferramenta de transformação, não só do processo de saúde e doença, mas de toda a realidade dessas equipes e comunidades. É perceptível esta mudança após a implantação do projeto, sendo hoje uma ferramenta imprescindível para o NASF.

Principal

Livia Regina Koester

sau.nasf@riodosul.sc.gov.br

A prática foi aplicada em

Rio do Sul

Santa Catarina

Sul

Instituição

Rua Tuiuti, nº 154 – Centro

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Livia Regina Koester

Conta vinculada

07 jun 2016

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Programas de provimento médico federais: estratégias de monitoramento e avaliação municipais
Rio de Janeiro
Práticas
Acessibilidade no SUS: Implantação de um laboratório da Língua Brasileira de Sinais em unidades de Estratégia da Família em São Pedro da Aldeia
Rio de Janeiro
Práticas
Arte como instrumento de cuidado na Atenção Primária à Saúde
Bahia
Práticas
O Agente Comunitário de Saúde e a integralidade do cuidado no controle das Arboviroses.
Rio de Janeiro
Práticas
O Nasf de Armação dos Búzios como uma fênix em tempos sombrios: novas tecnologias a serviço do cuidado
Rio de Janeiro
Práticas
ATHIS Casa Saudável
Rio Grande do Sul
Práticas
Campanha Permanente de Castração de Cães e Gatos: Combate Estratégico às Zoonoses Centrado nos Princípios do SUS e no Conceito Território em Saúde, em Gurupi – To
Tocantins
Práticas
Cuidado de Enfermagem aos Portadores de Diabetes com “Pés Diabéticos” em Equipe de Estratégia Saúde da Família Relato de Experiência
Rondônia
Práticas
Territorialização e Expansão do Acesso na Atenção Básica em Pimenta Bueno: Redução de Nove para Duas Áreas des cobertas Pelos Agentes Comunitários de Saúde – Acs
Rondônia