Olá,

Visitante

Intervenções Educativas com Práticas de Incentivo ao Aleitamento Materno e Alimentação no Município de São Luís – Ma

A Atenção Básica se caracteriza como um espaço mais próximo à população, de contato inicial e centro de comunicação na sua amplitude com a Rede de Atenção à Saúde (BORNSTEIN, 2016). o contexto para a exploração do tema é preconizado por várias estratégias que visam diminuir a morbimortalidade da população infantil. (ORGANIZAÇÃo PAN-AMERICANA DE SAÚDE, 2014). A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam aleitamento materno exclusivo por 6 meses, complementado até dois anos ou mais, sendo que a partir desse período continua sendo importante fonte de nutrientes (BRASIL, 2009). Este trabalho vem se desenvolvendo desde 2015, com maior, nas Unidades Básicas de Saúde do município de São Luís, que fortalece as boas práticas do aleitamento materno, contribuindo para redução da mortalidade infantil. Dentro de esse contexto a educação alimentar e nutricional configura como campo de conhecimento e prática contínua e permanente, intersetorial e multiprofissional.

Objetivo geral:Descrever intervenções educativas sobre o aleitamento materno e alimentação complementar na Atenção Básica de São Luís – Ma.Objetivos específicos:Analisar práticas de incentivo ao aleitamento materno e alimentação complementar Citar ex o presente trabalho desenvolveu-se através de ações de educação permanente, de promoção e prevenção a saúde da criança e da mãe com foco em experiências de incentivo ao aleitamento materno e alimentação complementar na Atenção Básica, do município de São Luís- Ma. Aderiu-se a campanha de incentivo ao aleitamento materno em escolas, e creches, seguindo-se com palestras e orientações nas consultas de pré-natal, implantando cursos para gestantes sobre manejo, cuidados hospitalares, práticas educativas de alimentação complementar, promovendo os técnicos como agente multiplicador destas ações.

Foram desenvolvidas ações de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo e Alimentação Complementar com o 1º Seminário de Implementação da Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação curso de gestante nas UBS TURU e DJALMA MARQUES produção de material educativo (Cartilha de cuidados ao RN e Caderneta de Saúde da Criança Ludovicense) e fortalecimento da Norma Brasileira para Comercialização de Alimentos para Lactentes e Crianças de Primeira Infância, Bicos, Chupetas e Protetores de Mamilo e participação em ações alusivas em locais de grande fluxo de pessoas (shoppings, feiras, sala de espera de hospitais públicos).o aleitamento materno é a melhor e mais saudável alimentação nos primeiros meses de vida. Deve ser iniciado prontamente após o parto e continuando até os dois anos de vida ou mais. Estudos comprovam que o aleitamento materno confere efeitos de proteção para a criança e proporciona efeitos benéficos nutricionais, cognitivo, psicológicos, sociais e econômicos tanto para a mãe quanto para o bebê e a família.

Principal

Cleidimar Souza Cutrim Fonseca

cleidi.enfer@hotmail.com

Coautores

Thâmara Rodrigues Pestana, Samara Mendes Melo, Pamela Cirqueira Nunes

A prática foi aplicada em

São Luís

Maranhão

Nordeste

Instituição

Rua 03 , Qd 07 , Casa 46 , Bairro Cohatrac Iii , Cep : 65052-720 -São Luis-Ma

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Luís Carlos De Assunção Lula Fylho

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal