Olá,

Visitante

População Transexual do Município de Pelotas: Experiência do Grupo Multiprofissional

o presente relato de experiência procura demonstrar como se desenvolvem as atividades realizadas no Município de Pelotas, destinada para atendimento a população LGBT, fazendo um recorte a comunidade Transexual que residem no Município. A secretaria Municipal de Saúde em parceria com a Secretaria de Assistência Social e o Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas, ofertam atendimento multiprofissional aos usuários do SUS, garantindo aos mesmos entre os serviços a acesso à hormonoterapia.

Garantir acesso de qualidade a população LGBT aos serviços de saúde ofertados pelo município Pelotas. o serviço é composto por uma equipe multiprofissional, com reuniões frequentes para discussão de casos e organização do serviço. o fluxograma dos atendimentos ocorre por livre demanda, através da procura do usuário por um dos dispositivos ofertados. em um primeiro momento é realizado o acolhimento do mesmo, sendo feita uma escuta ativa de suas necessidades. Observado o objetivo pretendido, é feita uma avaliação psicológica, e quando percebida a necessidade o mesmo é encaminhado ao grupo de apoio a população transexual, o qual objetiva a troca de experiências e informações sobre o processo de transição em que se encontram, além de acolhida de suas angústias e anseios e possibilitando futuramente encaminhamento para acompanhamento médico.

Garantir ampliação de acesso aos serviços de saúde e livre de preconceito a comunidade LGBT. Até o final de 2018 foram atendidos pelo grupo de apoio aproximadamente 35 pessoas, sendo que destas 12 já estão em acompanhamento com a equipe de endocrinologistas do Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas, possibilitando a está parcela da população a garantia de sua identidade de gênero. A partir de ações pontuais da SMS, ampliou-se a discussão sobre as necessidades específicas desta população, dando visibilidade e qualificando os serviços no acolhimento as demandas de uma população historicamente vulnerável.Através das reinvindicações dos grupos sociais o Brasil passou a dar visibilidade a população LGBT, o ponto de partida foi a Política de Assistência à Saúde da População LGBT. Assim os municípios passaram a discutir a importância de um olhar para essa população e suas demandas específicas, a SMS com base na PNI LGBT firmou parceria com a SAS e profissionais do HE, tornando possível promover serviços que garantam que a população LGBT tenha as suas necessidades de saúde atendidas.

Principal

Bianca Medeiros Da Silveira

biancamedeirosdasilveira@gmail.com

Coautores

Thais Isabel Huckembeck Medeiros, Angelina Pontes Da Silva,

A prática foi aplicada em

Pelotas

Rio Grande do Sul

Sul

Instituição

Rua Barão De Cotegipe, 362, Blobo 5, Ap.420 Cidade Pelotas/Rs Cep: 96075-030

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Leandro Leitzke Thurow

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Título: Autismo – uma causa municipal.
Paraíba
Práticas
TEA/TDAH: inclusão sem discriminação
Paraíba
Práticas
Visita de luto – uma atitude humanizada
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação Sem Barreiras: um Grande Desafio
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Vacinação: Estratégias para o Aumento da Cobertura Vacinal no Município de Barrolândia – TO
Todos os Estados (Norte)
Práticas
Plano de Recuperação do Faturamento Ses/Df
Distrito Federal
Práticas
Sala de Situação Ses-Df
Distrito Federal
Práticas
Rede Inovases
Distrito Federal
Práticas
Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06
Distrito Federal