Olá,

Visitante

Implementação da Rede de Apoio Aos Pacientes com Infecção Congênita Associada ao Vírus Storch ou Zika no Município de São José de Ribamar – Ma.

ObjetivoRelatar a implementação da rede de apoio para os pacientes portadores da infecção congênita associada aos vírus STORCH ou Zika no Município de São José de Ribamar- MA.MetodologiaTrata-se de um relato de experiência da implementação da rede de apoio aos pacientes portadores de infecção congênita associada aos vírus STORCH ou Zika, realizado no município de São José de Ribamar- MA a partir de janeiro de 2019.

A Infecção associada aos vírus STORCH ou Zika é uma malformação congênita onde o cérebro não se desenvolve de maneira adequada, estando relacionada a fatores genéticos, cromossômicos, exposições ambientais da mãe no período pré-natal ou perinatal. Sabe-se que o período intrauterino é uma fase crítica para o crescimento e desenvolvimento de órgãos e tecidos fetais, onde injúrias sofridas nessa fase interferem nesse processo. Mulheres grávidas, quando infectadas por agentes etiológicos teratogênicos, podem transmiti-los verticalmente. A Síndrome não conta com tratamento, nem cura. Entretanto, para que a criança tenha uma qualidade de vida melhor, é importante que seja acompanhada e estimulada precocemente. A vinculação com a Unidade Básica de Saúde é fundamental para este acompanhamento, ainda que haja necessidade de acompanhamento especializado. O atendimento na Atenção Básica e Atenção Especializada, conjuntamente, faz com que essas crianças e famílias sejam bem assistidas e amparadas.

A implementação da rede apoio, garante a assistência integral à saúde, através de uma equipe multidisciplinar e educação à criança com infecção congênita associada ao vírus STORCH ou Zika, com intersetorialização dos serviços de saúde, educação e assistência social, objetivando assegurar atenção e acolhimento às mulheres em idade fértil, mães e recém-nascidos, por meio da execução imediata de ações organizadas em Eixos de Atenção.

Principal

Willian Vieira Ferreira

A prática foi aplicada em

Maranhão

Nordeste

Instituição

São José de Ribamar

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ideiasus/Fiocruz, Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

05 fev 2018

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Projeto Arboviroses Zero: Desafios da Educação em Saúde para promover a saúde e prevenir as arboviroses no Município de Barra do Pirai-RJ
Rio de Janeiro
Práticas
Trabalho intersetorial no combate à dengue no município de Volta Redonda- RJ
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação extramuro: estratégia de ampliação de cobertura vacinal contra covid 19 no município de Volta Redonda(RJ)
Rio de Janeiro
Práticas
Adesão à plataforma Salus 2.0 como ferramenta para monitoramento dos casos e qualificação da assistência prestada ao usuários com sífilis no município de Rio das Ostras
Rio de Janeiro
Práticas
Dengue tô fora! uma experiência de intersetorialidade
Santa Catarina
Práticas
O Sarampo “Navegou” Pelo Rio Madeira e “Parou” em Porto Velho: Relatando A Experiência da Vigilância em Saúde do Município
Rondônia
Práticas
Enfrentamento do Surto de Sarampo no Município de Boa Vista: uma Experiência que Demonstrou o Quanto É Possível A Integração Entre Atenção Básica e Vigilância em Saúde
Roraima
Práticas
Cuidando de Quem Cuida: Um olhar Terapêutico Aos Profissionais de Saúde na Pandemia de Covid-19.
Paraíba
Práticas
Expresso Chagas 21