Olá,

Visitante

Grupo de Dor Crônica Utilizando Roda de Conversa e Práticas Integrativas Complementares em Saúde (Pics) na Atenção Primária

De acordo com a International Association for the Study of Pain (IASP), dor é uma sensação ou experiência emocional desagradável, associada com dano tecidual real ou potencial, sendo classificada como crônica quando de duração superior a 30 dias. A abordagem desta condição deve ser integral e interprofissional, na qual diferentes tecnologias e práticas podem ser empregadas. Isso requer a implementação de ações de recuperação da saúde, com foco na atenção primária, que promovam e estimulem a autonomia e o autoconhecimento dos sujeitos por meio de práticas inovadoras nas comunidades como rodas de conversa e PICS. Com isso, um Grupo de Dor Crônica Interprofissional atua como estratégia para o uso racional dos medicamentos e na construção do autocuidado apoiado, tendo como foco a troca de experiências entre usuários e profissionais no que se refere ao cuidado integral da pessoa nas diferentes áreas do saber.

Apresentar aos usuários práticas para o manejo da dor, e desenvolver sua autonomia para o controle e prevenção de incapacidades, utilizando rodas de conversas e PICS em uma abordagem de educação em saúde interprofissional. Devido alta procura de usuários com dor crônica, a fisioterapia do Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) propôs a equipe da estratégia de saúde da família (ESF) o grupo interprofissional de educação em saúde para desenvolver atividades coletivas com temas relacionados à dor crônica e PICS. o grupo teve frequência mensal. Os usuários foram encaminhados ao grupo após consulta médica. em cada encontro foi realizada roda de conversa com um tema específico: fitoterapia, uso racional de medicamentos, alimentação, aspectos psicológicos da dor, exercícios e ofertadas sessões de auriculoterapia e estimulação neural. No início de cada encontro foram aplicadas a Escala Visual Analógica (EVA) da dor e Diagrama de Corlett.

Foram realizados 7 encontros em 2018, onde participaram 35 pessoas. 15 participaram 3 ou mais vezes (critério de inclusão), os quais apresentaram média na EVA de 5,9 2,89 e 5,92,91 no primeiro e no último encontro respectivamente. A diferença na EVA pode estar relacionada à frequência de sua aplicação. Quanto ao diagrama de Corlett, observou-se uma diversidade de pontos de localização da dor. 80% apresentaram 5 ou mais locais de dor em pelo menos 1 encontro. Houve uma ampla aceitação na realização das PICS, com relatos positivos sobre as práticas. Os resultados variaram de acordo com o usuário e a melhora dos sintomas foi de acordo com a adesão, envolvimento e motivação do indivíduo às propostas do grupo.A dor crônica é multilocalizada e varia em cada indivíduo. A proposta de apresentar novas opções de tratamento complementar para dor crônica foi alcançado devido a satisfação dos usuários. Essa experiência reforça a importância do atendimento interprofissional na promoção da saúde, no cuidado continuado e integral. em 2019 aperfeiçoamentos foram feitos, como a realização da EVA no início e fim de cada encontro e a inclusão de um instrumento de avaliação da qualidade de vida.

Principal

Vanise Helena Formighieri Pereira

vanise.pereira@pinhais.pr.gov.br

Coautores

Marcelo Campese,, Lilian Mitsuko Tanikawa, Valéria Hanne, Gabriela Carrascosa Molina, Talita Gianello Gnoato Zotz

A prática foi aplicada em

Pinhais

Paraná

Sul

Instituição

Rua Vitório Sbalqueiro, 174 / Casa 14 - Curitiba-Paraná

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Adriane Da Silva Jorge Carvalho

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vigilância e Controle da Febre Amarela na Coordenadoria Regional de Saúde Sul do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
Sucessus 2018: Nossa Equipe É Show! – Valorização do Trabalhador do SUS e das Experiências Inovadoras no Cuidado em Saúde na Região de Vila Prudente/Sapopemba, Município de Sp
São Paulo
Práticas
Experiência de des institucionalização: o Resgate da Cidadania e da Dignidade no Relato de Profissionais e Pacientes
São Paulo
Práticas
Educação Permanente em Saúde Diária como Estratégia de Sustentação na Integração Entre Equipes Técnicas Distintas – Atenção Básica e Vigilâncias
São Paulo
Práticas
Avaliação Interdisciplinar e Diagnóstico Diferencial – Mobilização na Busca de uma Linha de Cuidado Assertiva no Cer de São Bernardo do Campo
São Paulo
Práticas
Intervenção do Farmacêutico do Nasf no Uso Irracional de Antiinflamatórios Não Esteroidais (Aines), uma Experiência da Ubs União
São Paulo
Práticas
Tecendo Redes: uma Experiência de Articulação do Trabalho em Rede Intersetorial em um Território de Saúde no Município de Assis/Sp
São Paulo
Práticas
Empoderamento Social em Defesa do SUS no Município de des calvado – Sp
São Paulo
Práticas
A Experiência de Implantação da Política de Saúde Integral para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Lgbt) na Região Central do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
des envolvimento da Gestão de Custos no SUS em São José do Rio Preto
São Paulo