Olá,

Visitante

Gravidez na Adolescência: Vamos Falar Sobre Isso!

Nos últimos anos, vem ocorrendo um aumento significativo na incidência de gravidez na adolescência no Brasil como no mundo. No ano de 2017 no município de Baixa Grande do Ribeiro com população estimada de 11.375 hab. (IBGE/2017) apresentou 32,5% de casos de gravidez na adolescência. as taxas de gravidez na adolescência podem ser explicadas por diferentes causas. Dentre a complexidade de fatores de riscos para analisar essa questão, destacamos os aspectos socioeconômicos, assim como a diminuição global para idade média da menarca e da primeira relação sexual compõem um cenário de risco que contribui com esse índice. Para além dos fatores biológicos, a gravidez na adolescência deve ser abordada de modo subjetivo, compreendendo os aspectos emocionais e as relações sociais na vivência da mulher, suas reflexões sobre o presente e o futuro, a serem consideradas na construção do projeto de vida dos adolescentes. Faz-se necessário, portanto, promover a escuta e o apoio a essas adolescentes.

o seguinte projeto tem por objetivo geral reduzir o índice de gravidez na adolescência em Baixa Grande do Ribeiro – PI e por objetivo especifico conhecer o perfil das gestantes adolescentes no município. : o primeiro passo foi conhecer o perfil das gestantes adolescentes no município, para isso foi elaborado um instrumento para coleta de dados. No segundo passo as gestantes foram convidadas a participar de uma roda de conversa com as equipes de saúde, neste momento foram aplicados os formulários e logo em seguida iniciou-se o diálogo a respeito da gravidez na adolescência. as adolescentes então foram incentivadas a darem seu depoimento, aquelas que não se sentiam a vontade para falar, foram orientadas a escrever sobre o sentimento de viver a gravidez na adolescência e o que elas diriam para outras adolescentes. o terceiro passo foi às rodas de conversas realizadas durante o PSE tendo por base a pesquisa e o depoimento das adolescentes.

Na pesquisa prevaleceu às idades de 16 anos e 19 anos ambos com 26,31%. 66% informaram renda inferior a 1 salário mínimo. 90% afirmaram que alguém da família também foi mãe adolescente, 69% moravam junto quando engravidou 55% não estudavam mais, 48% afirmaram que cabe a mulher prevenir a gravidez, enquanto somente 38% afirmaram que cabe a homens e mulheres. No que se refere às razões pela qual engravidou apenas 4% falaram que foi devido à falta de informação enquanto 59% relataram descuido. Quanto ao inicio da vida sexual prevaleceu à idade de 16 anos com 31%. Após conhecimento do perfil e implementação do projeto o índice de gravidez na adolescência que era 32,5% no ano de 2017 passou a ser 27% no ano de 2018, com redução de 5,5%.Na tentativa de melhor entender a gravidez na adolescência é importante focalizar o olhar sobre como as adolescentes compreendem o processo de gestar nessa fase de vida, para que possam ser buscadas estratégias coerentes com as necessidades desse público. Desta forma é primordial a inserção dos pais, de educadores, e equipes de saúde em projetos integrados envolvendo setores de saúde, educação, acompanhado-as e estimulando-as a assumirem praticas sexuais segura.

Principal

Gleiciane Lucena Paz Brasil

gleicilucena@hotmail.com

Coautores

Aline Guimarães Da Costa, Cristina Leite Da Silva, Jam Milla Das Neves Ribeiro, Valeria Boson Castro,

A prática foi aplicada em

Baixa Grande do Ribeiro

Piauí

Nordeste

Instituição

Avenida Sebastião Leal, S/N, Centro, Baixa Grande Do Ribeiro

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Valéria Boson Castro

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vigilância e Controle da Febre Amarela na Coordenadoria Regional de Saúde Sul do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
Sucessus 2018: Nossa Equipe É Show! – Valorização do Trabalhador do SUS e das Experiências Inovadoras no Cuidado em Saúde na Região de Vila Prudente/Sapopemba, Município de Sp
São Paulo
Práticas
Experiência de des institucionalização: o Resgate da Cidadania e da Dignidade no Relato de Profissionais e Pacientes
São Paulo
Práticas
Educação Permanente em Saúde Diária como Estratégia de Sustentação na Integração Entre Equipes Técnicas Distintas – Atenção Básica e Vigilâncias
São Paulo
Práticas
Avaliação Interdisciplinar e Diagnóstico Diferencial – Mobilização na Busca de uma Linha de Cuidado Assertiva no Cer de São Bernardo do Campo
São Paulo
Práticas
Intervenção do Farmacêutico do Nasf no Uso Irracional de Antiinflamatórios Não Esteroidais (Aines), uma Experiência da Ubs União
São Paulo
Práticas
Tecendo Redes: uma Experiência de Articulação do Trabalho em Rede Intersetorial em um Território de Saúde no Município de Assis/Sp
São Paulo
Práticas
Empoderamento Social em Defesa do SUS no Município de des calvado – Sp
São Paulo
Práticas
A Experiência de Implantação da Política de Saúde Integral para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Lgbt) na Região Central do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
des envolvimento da Gestão de Custos no SUS em São José do Rio Preto
São Paulo