Olá,

Visitante

Diagnóstico de Atendimento da População Hipertensa/Diabética da Equipe 474/06

CONSTANTES QUEIXAS DOS SERVIÇOS DE ATENÇÃo SECUNDARIA E TERCIARIA DA SUPERLOTAÇÃo DAS EMERGÊNCIAS COM PACIENTES HIPERTENSOS E DIABÉTICOS DESCOMPENSADOS ORIUNDOS DOS SERVIÇOS DE ATENÇÃo BÁSICA, ONDE SUAS DEMANDAS DEVERIAM SER RESOLVIDAS.

– VERIFICAR A FREQUÊNCIA DE PROCURA PELo SERVIÇo DE EMERGÊNCIA Do PACIENTE PORTADOR DE HIPERTENSÃo E DIABETES. – IDENTIFICAR QUAIS AS QUEIXAS QUE LEVARAM OS PACIENTES A BUSCAR A EMERGÊNCIA, PARA CONSTATAR SE o USo DA ATENÇÃo SECUNDÁRIA E/OU TERCIÁRIA A EQUIPE CONTA COM 25 GRUPOS CADA GRUPo COM 8 PACIENTES CADASTRADOS E ACOMPANHADOS. AS CONSULTAS JÁ SÃo REMARCADAS DE 6/6 MESES OU 4/4 MESES CONFORME OS PROTOCOLOS OU A CRITÉRIo Do MÉDICO. A ATIVIDADE EDUCATIVA É REALIZADA UMA VEZ Ao MÊS COM TEMAS DEFINIDOS PELA EQUIPE E DEMANDAS DOS PACIENTES. A ATIVIDADE EDUCATIVA NÃo ESTA RELACIONADA COM AGENDAMENTo Do PACIENTE. TODOS PACIENTES HIPERTENSOS E DIABETICOS DA EQUIPE SÃo VISITADOS REGULARMENTE PELo ACS A EQUIPE POSSUÍ 212 PACIENTES CADASTRADOS COM DIAGNÓSTICo DE HIPERTENSÃo E/OU DIABETES, ACOMPANHADOS No MODELo DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA, SENDo 134 APENAS HIPERTENSOS, 13 APENAS DIABÉTICOS E 65 HIPERTENSOS E DIABÉTICOS.

A COLETA FOI REALIZADA ATRAVÉS Do SISTEMA TRAKCARE (PRONTUÁRIo ELETRÔNICo DA SECUNDÁRIA E TERCIÁRIA). CRIADA UMA TABELA PARA TABULAÇÃo DOS DADOS COLETADOS, LEITURA DE ARTIGOS E MANUAIS Do MINISTÉRIo DA SAÚDE PELA EQUIPE, COM o OBJETIVo DE EMPODERAR E QUALIFICAR o SERVIDOR.- 33% DOS PACIENTE AVALIADOS POSSUÍRAM PASSAGEM NA EMERGÊNCIA EM 2017 – ESPECIALIDADES PROCURADOS NESSAS PASSAGENS (NEUROLOGIA, PSIQUIATRIA, GINECOLOGIA, ODONTOLOGIA, CIRURGIA, CARDIOLOGIA, OFTALMOLOGIA, ORTOPEDIA E CLÍNICA MÉDICA) – DENTRE OS QUE PASSARAM NAS DUAS ULTIMAS ESPECIALIDADES, AS QUEIJAS PRINCIPAIS FORAM SEPARADAS EM 9 GRUPOS: HIPERTENSÃO, DIABETES, ITU, DOENÇAS PULMONARES, DOR ABDOMINAL, DOR LOMBAR, ASMA E OUTROS – QUANTo A CLASSIFICAÇÃo DE RISCo DESTAS PASSAGENS PELA EMERGENCIA

Principal

Maria De Fátima Fernandes De Oliveira Pavezzi

maria.pavezzi@saude.df.gov.br

Coautores

#REF!

A prática foi aplicada em

Brasilia

Distrito Federal

Centro-Oeste

Instituição

Unidade Básica De Saúde Nº 9 De Samambaia

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Lídia Glasielle De Oliveira Silva

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vigilância das Síndromes Febris Agudas
Práticas
A Redução da Mortalidade Infantil no Município de Guarujá-Sp
São Paulo
Práticas
Promovendo e Fazendo a Saúde do Homem no Território
Tocantins
Práticas
Elaboração Coletiva de Um Guia Prático de Diluição de Medicamento Intravenoso Adulto
Rio de Janeiro
Práticas
Experiências no Enfrentamento da Febre Amarela no Município de Valença em 2018, os Desafios Ante Principais Peculiaridades do Município, Problemas e Desafios da Gestão Local de Saúde
Rio de Janeiro
Práticas
“Implementação do Programa Seja Bem Vindo – Visita Aberta no Hospital de Pronto Socorro Canoas”
Rio Grande do Sul
Práticas
Ressignificação do processo de adolescer
Minas Gerais