Olá,

Visitante

Atuação e respostas do comitê intersetorial de controle das arboviroses no municipio de Fortaleza no ano de 2017

A circulação concomitante do vírus da dengue, chikungunya e zika em vários municípios brasileiros produziu mudanças no cenário epidemiológico das Arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti, ampliando e tornando mais complexo os desafios ao controle. O Município de Fortaleza é parte deste contexto. A Dengue é endêmica em Fortaleza desde o ano de 1986, desse ano até 2017 foram confirmados 314.784 casos da doença dos quais 268 evoluíram para óbito. A Chikungunya foi introduzida no ano de 2015 e nestes três anos já foram confirmados 80.803 casos e 170 óbitos. A Zika é considerada uma emergência em saúde publica, no biênio 2015-2016 foram confirmados 55 casos da Síndrome Congênita do Zika. Para o enfrentamento desse cenário o município de Fortaleza instituiu por meio do decreto 13.995/2017 o Comitê Intersetorial de Controle das Arboviroses, com o objetivo de promover ações intersetoriais e estabelecer responsabilidades por setores específicos que extrapolam o setor saúde, mas que tem impacto direto na redução dos criadouros, na prevenção e controle do Aedes aegypti, consequentemente no número de casos. No ano de 2017 o Comitê Intersetorial de Controle das Arboviroses manteve reuniões periódicas com a participação ativa de todos os setores e instituições envolvidas, momento em que era apresentada uma avaliação do cenário epidemiológico e definido estratégias por áreas. A Secretaria de Educação trabalhou com o “Selo escola Amiga da Saúde” e o “Detetive Marcelinho contra Aedes”. A estratégia Dia D de combate ao mosquito envolveu as instituições publicas com destaque para os setores de Educação e da Saúde. Nesse dia, sempre as quintas-feiras, eram realizadas inspeções nas unidades de saúde e escolas. Blitz sanitárias com notificação de 283 locais e autuação dos imóveis reincidentes de focos geradores, Operação Quintal Limpo para remoção e redução dos criadouros inservíveis, Senhora Faxina, projeto pioneiro da Secretaria Regional 01, envolvendo mais de 12.0000 idosos, Criação de 123 Brigadas nas instituições públicas e privadas, palestras e exposição do ciclo biológico do vetor, a Agência de Fiscalização de Fortaleza, passou a adotar como rotina em seus procedimentos a supervisão e exigências em relação ao encontro e eliminação dos criadouros no comércio da cidade, por outro lado a Secretaria de Conservação de Serviços Públicos, intensificou a coleta de lixo e remoção dos pneus abandonados em logradouros públicos, a Secretaria de Saúde por sua vez, desenvolveu Mutirões em bairros estratégicos, concentrando toda força de trabalho em um único dia e um determinado bairro, como também o Núcleo de Mobilização Social, alcançou um total de mais de 52.000 ações educativas, atingindo um público superior a 6000.000 pessoas, essa força de trabalho diferenciada, teve início em abril, concomitante ao maior número de casos mensais, junto com o mês de maio (43.712), essas intervenções contribuíram para a relevante redução de casos (87%) nos meses subsequentes, junho a julho. A atuação do Comitê Intersetorial de controle das Arboviroses promoveu a articulação entre as diversas politicas publicas da gestão, possibilitando intervenções ampliadas, sustentáveis e integrativas que contribuíram para redução das condições favoráveis a reprodução do Aedes aegypti.

Promover ações intersetoriais e estabelecer responsabilidades por setores específicos que extrapolam o setor saúde, mas que tem impacto direto na redução dos criadouros, na prevenção e controle do Aedes aegypti, consequentemente no número de casos.

A atuação do Comitê Intersetorial de controle das Arboviroses promoveu a articulação entre as diversas politicas públicas da gestão, possibilitando intervenções ampliadas, sustentáveis e integrativas que contribuíram para redução das condições favoráveis a reprodução do Aedes Aegypti.

Principal

Nélio Batista de Morais

covisfortaleza2.0@gmail.com

A prática foi aplicada em

Fortaleza

Ceará

Nordeste

Instituição

Fortaleza

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Ideiasus/Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 nov 2018

e atualizada em

13 mar 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
Controle das arboviroses no município de Brejo do Cruz – PB
Paraíba
Práticas
O Alcance dos indicadores da imunizaçâo do programa de qualificaçâo das ações de vigilância em saúde
Paraíba
Práticas
Acolhimento e seguimento intersetorial às crianças e adolescentes vítimas de violências
Paraíba
Práticas
Estudo das infecções do trato urinário na população de Queimadas (PB) atendida pelo SUS
Paraíba