Olá,

Visitante

A Centralização do Setor Judicial da Saúde e o Impacto Econômico no Município de São Bento do Sul/Sc

A judicialização da Saúde é um problema enfrentado pelos municípios que compromete parte dos recursos destinados à saúde pública. Os gastos com o setor judicial em São Bento do Sul são previstos através de dotação orçamentária, constituída pelo setor contábil da secretaria municipal de saúde para amparar estes gastos. Com a crescente demanda das ações e consequentemente aumento nos gastos, falta de estruturação e logística, foi criado em 2016 o Núcleo de Atendimento Judiciário da Saúde (NAJS), anexo às instalações da secretaria municipal de saúde. É considerado um setor independente e específico para o controle e acompanhamento das demandas judiciais e atendimento aos pacientes, coordenado por um Farmacêutico Clínico. O trabalho desenvolvido foi construído com a inserção de dados em planilhas manuais, alimentadas diariamente, obtendo-se assim, uma visão ampla em relação a situação das demandas judiciais. Nesse contexto, o Cuidado Farmacêutico sob o olhar do Farmacêutico Clínico e o acolhimento do paciente, em um setor específico e centralizado, foi de suma importância para o desenvolvimento e êxito do trabalho realizado.

O relato da experiência tem por objetivo demonstrar como o processo de centralização do setor judicial da secretaria municipal de saúde de São Bento do Sul promoveu melhoria no acesso ao serviço, no atendimento humanizado e reverteu em economia para o município. O presente trabalho realizou uma avaliação dos resultados obtidos no âmbito municipal a partir da criação do NAJS. Com a centralização do setor judicial, voltado ao acolhimento/acompanhamento dos pacientes atrelados as ações judiciais, toda a logística que envolve o âmbito dos medicamentos/insumos, como aquisição, recebimento, guarda, dispensação, passaram a ser realizados em um local apenas. Até o ano de 2017, as solicitações de negativas eram realizadas diretamente no setor de protocolos da Prefeitura Municipal, gerando demandas burocráticas e de logística. A partir da centralização do NAJS, o setor ficou responsável por essas solicitações, facilitando a fundamentação da fase pré-processual a partir do acolhimento ao paciente e análise individualizada de cada caso. Em 2019 iniciou-se a compilação de dados referente as ações judiciais em planilhas, obtendo-se uma visão ampliada de toda movimentação judicial na saúde. Em 2020 foi elaborada a planilha de devolução de medicamentos enviados pelo Estado e não retirados pelos pacientes. Esta ferramenta foi útil no entendimento dos fatores que levaram a não retirada dos medicamentos, bem como o custo dispendido.

O relato da experiência tem por objetivo demonstrar como o processo de centralização do setor judicial da secretaria municipal de saúde de São Bento do Sul promoveu melhoria no acesso ao serviço, no atendimento humanizado e reverteu em economia para o município. O presente trabalho realizou uma avaliação dos resultados obtidos no âmbito municipal a partir da criação do NAJS. Com a centralização do setor judicial, voltado ao acolhimento/acompanhamento dos pacientes atrelados as ações judiciais, toda a logística que envolve o âmbito dos medicamentos/insumos, como aquisição, recebimento, guarda, dispensação, passaram a ser realizados em um local apenas. Até o ano de 2017, as solicitações de negativas eram realizadas diretamente no setor de protocolos da Prefeitura Municipal, gerando demandas burocráticas e de logística. A partir da centralização do NAJS, o setor ficou responsável por essas solicitações, facilitando a fundamentação da fase pré-processual a partir do acolhimento ao paciente e análise individualizada de cada caso. Em 2019 iniciou-se a compilação de dados referente as ações judiciais em planilhas, obtendo-se uma visão ampliada de toda movimentação judicial na saúde. Em 2020 foi elaborada a planilha de devolução de medicamentos enviados pelo Estado e não retirados pelos pacientes. Esta ferramenta foi útil no entendimento dos fatores que levaram a não retirada dos medicamentos, bem como o custo dispendido. Com a criação do NAJS e o atendimento do profissional Farmacêutico, o resultado obtido foi satisfatório e de impacto econômico positivo para o município de São Bento do Sul. No ano de 2016, o município teve um gasto com as ações judiciais em torno de R$ 1.200.000.00. No ano de 2021, os gastos não ultrapassaram R$ 305.000,00, indicando uma economia de R$ 895.000,00, ou seja o município gastou ¼ do valor em relação a 2016. No ano de 2021, em conjunto com a procuradoria do município, foram extintos 73 processos por desídia do paciente, término de tratamento e óbito. A organização do setor e o controle realizado pelo profissional farmacêutico sobre o recebimento de insumos e retirada por parte dos pacientes proporcionou economia significativa para o município e para o Estado. Os excedentes foram identificados e devolvidos, gerando economia inclusive para o âmbito estadual. [15:06, 20/05/2022] Ana Carla: A centralização do setor judicial da saúde com a a atuação do Farmacêutico clínico ampliou a funcionalidade do NAJS, revertendo em economia para o município, ampliação do acesso dos pacientes e desburocratização do serviço. Apesar das dificuldades encontradas como controle dos processos, gastos, das dispensações, adequação na elaboração das solicitações de negativas municipais, atualmente o setor está bem estruturado. Foi observado redução significativa nos gastos e na extinção dos processos em relação ao ano de 2016, quando o município ainda não contava com o setor. A instituição de um Núcleo de Atendimento Judiciário da Saúde de forma centralizada permite a elaboração de estratégias para redução da judicialização da saúde e seus impactos econômicos, as quais estão em constante construção.

Principal

Karen Cristina Giraldi Uhlick

med.judiciais@saobentodosul.sc.gov.br

A prática foi aplicada em

MG

Minas Gerais

Sudeste

Instituição

São Bento do Sul

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Karen Cristina Giraldi Uhlick

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Projeto Dormir e Sonhar Evita Medicar: a Gestão Clínica do Medicamento com Ênfase na Saúde Holística para a Contribuição do Uso Racional e Desprescrição de Benzodiazepínicos.
Santa Catarina
Práticas
Manipulação de Fórmulas Farmacêuticas Fitoterápicas (Farmácia Viva do SUS Tipo Iii)
Minas Gerais
Práticas
Impacto da Atenção Farmacêutica na Atenção Básica no Munícipio de São Bentinho – Pb
Paraíba
Práticas
A organização da Assistência Farmacêutica Municipal no Âmbito do Ceaf e Seu Impacto no Acesso de Medicamentos
Rio de Janeiro
Práticas
Cultivo e Uso de Plantas Medicinais no Município de Quissam㠖 Rj
Rio de Janeiro
Práticas
O Planejamento Estratégico Situacional Como Ferramenta de Gestão para Qualificação da Assistência Farmacêutica no Município de Canguçu/Rs
Rio Grande do Sul
Práticas
Projeto Farmácia Emergencial
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto Cuidar da Nossa Gente
Rio de Janeiro
Práticas
A Estruturação da Assistência Farmacêutica no SUS Volta Redonda Como Estratégia do Protagonismo Farmacêutico no Cuidado e os Benefícios para a População.
Rio de Janeiro
Práticas
Arranjo Produtivo Local – Apl e a Assistência Farmacêutica em Plantas Medicinais e Fitoterápicos no Sistema Único de Saúde do Município de Toledo
Paraná
2 / 41234