Olá,

Visitante

Usando uma Escala de Risco Familiar Baseada na Ficha A: Relato de Um Agente Comunitário de Saúde

A universalidade, a integralidade e a equidade são princípios fundamentais do Sistema Único de Saúde (SUS). A Atenção Básica tem como estratégia principal de organização a Saúde da Família. Para sua reorganização no Brasil, surge a Estratégia de Saúde da Família (ESF), que foca suas atividades no diagnóstico situacional da família e da comunidade. A ESF preconiza como uma de suas importantes atividades a visita domiciliar. Entre as atribuições do Agente Comunitário de Saúde, segundo o modelo assistencial da estratégia saúde da família, a visita domiciliar é uma das suas atividades primordiais.Diante disso e da importância da sistematização direcionada à priorização da visita domiciliar para o processo de trabalho, utilizou-se a escala de risco familiar de Coelho e Savassi para descrever o grau de risco das famílias cadastradas. Objetivo: Descrever o grau de risco das famílias da micro área 06 da equipe 140 da Unidade de Saúde da Família Água Fria, Distrito Sanitário III de João Pessoa/PB, segundo a escala de risco familiar de Coelho e Savassi, para auxiliar na priorização das visitas domiciliares.Metodologia: Trata-se de um estudo, caracterizado como relato de experiência, onde se aplicou a Escala de Risco Familiar de Coelho e Savassi, para definir as prioridades de visita domiciliar. Foram acompanhadas 113 famílias cadastradas. Os dados utilizados foram obtidos através das fichas A, de acompanhamento do ACS. O instrumento utilizado para avaliação foi a Escala de Risco Familiar de Coelho e Savassi.Resultados: Das 113 famílias acompanhadas, 55 apresentaram baixo risco

A Estratégia Sáúde da Família – ESF, preconiza como uma de suas importantes atividades a visita domiciliar. Entre as atribuições do Agente Comunitário de Saúde, a visita domiciliar é uma das suas atividades primordiais. Diante disso e da importância da sistematização direcionada à priorização da visita domiciliar para o processo de trabalho, utilizou-se a escala de risco familiar de Coelho e Savassi para descrever o grau de risco das famílias cadastradas.

Principal

Josealdo Rodrigues Leite

A prática foi aplicada em

João Pessoa

Paraíba

Nordeste

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Josealdo Rodrigues Leite

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Implementação do Protocolo do “Ponto G da Gestação”/Dia da Semana Escolhido para a Realização do Pré Natal Através do Cuidado em Rede/ Ampliação do Acesso
Rio de Janeiro
Práticas
Análise de Fichas de Monitoramento de Doenças Diarreicas Agudas por Profissionais de Enfermagem
Rio de Janeiro
Práticas
Instalação de Telas Impregnadas com Inseticida nas Residências de Usuários com Contraindicação Absoluta da Vacina de Febre Amarela
Rio de Janeiro
Práticas
Capacitação de Agentes Comunitários de Saúde e Agente de Combate As Endemias para Realização de Visita Domiciliar em Cojunto
Rio de Janeiro
Práticas
Promoção de Inclusão Produtiva com Segurança Sanitária
Mato Grosso do Sul
Práticas
Comitê de Prevenção da Mortalidade Materna, Infantil e Fetal: a Experiência do Município de Castanhal/ Pa.
Pará
Práticas
Monitoramento da Circulação Viral da Influenza e outros Vírus Respiratórios em Belém do Pará, por Meio da Vigilância Sentinela da Síndrome
Pará
Práticas
Comitê Intersetorial de Combate a Dengue: Fórum Democrático e Participativo
Rio de Janeiro
Práticas
As Ações Intersetoriais Como Ferramenta para o Processo de Trabalho da Vigilância em Saúde Ambiental no Atendimento Aos Casos de Transtornos de Acumulação Compulsiva
Paraná
Práticas
Projeto Ache o Barbeiro
Paraná