Olá,

Visitante

Trajetória de Implantação da Residência em Medicina de Família e Comunidade, Município de Pequeno Porte no Interior de Sc: Benedito Novo Cenário de Prática Ensino-Serviço no SUS.

ObjetivoImplantação Residência em Medicina de Família e Comunidade, município de pequeno porte no interior de SC. Demonstrar/compartilhar a trajetória do município em conseguir implantar e manter o programa de residência médica.MetodologiaFácil aplicabilidade e relevância. Revisão e mudança nos processos de trabalho, planejamento local e adequações. Estrutura física: 2014 há 2017 adequação física, reforma e/ou construção, requalifica UBS. Materiais/insumos: permanentes/consumo-PMAQ, urgência e emergência (DEA, aspirador, TOTs, talas de imobilização, colar cervical, fios de sutura, pequenas cirurgias, biopsias, oximetro, estesiometros, fluxo de pico, oftalmoscópio, revisão da REMUME,etc). Legislação municipal: criação de lei, decreto e comitê gestor local, estabelecido contrapartida/bolsa formação mensal (R1 R$ 4.500,00 e R2 R$ 7.500,00). Ampliação de acesso: aumento nos atendimentos e procedimentos médicos e diminuição nos encaminhamentos externos.

Residência Médica pós graduação/especialização, treinamento em serviço, instituições de saúde (com preceptor especialista e/ou notório saber). COAPES: integração ensino-serviço e comunidade no âmbito do SUS, mais próxima dos municípios pequenos. O programa de residência médica MFC’: formar Médicos de Família e Comunidade para a atenção primária e redes de atenção à saúde, consolidação do SUS, princípios vigilância em saúde e ESF com alinhamento às diretrizes do SUS. Município fez inscrição em 2014, na coordenação estadual, carta de interesse com estrutura, cenário e indicadores de saúde. Médico preceptor presente na estrutura física porem, materiais insuficientes. Primeira inscrição nenhum residente inscrito, escolheram vagas na capital e litoral. Diante do cenário o município fez ações melhorando estruturas, planejamento, materiais e capacidade instalada para implantação da residência, “atrair” os residentes para interior com capacidade técnica e estrutural.

O médico preceptor acompanha 03 residentes, permanecem na mesma estrutura física pelo menos 7 períodos. Disponibilizando aos residentes troca de saberes, conhecimentos, discussão de casos c condutas. Preceptor remunerado mensalmente RS 500,00 por residente acompanhado. O Comitê municipal tem importante papel de acompanhamento da integração ensino-serviço e educação permanente constituído por residentes médicos, preceptor, gestão, profissionais de saúde c conselho municipal de saúde.

Principal

Jaqueline Ferrareis Menegasso

A prática foi aplicada em

Santa Catarina

Sul

Instituição

Benedito Novo

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Ideiasus/Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

22 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba
Práticas
Adote um sorriso: auto estima e saúde, buscar sorrisos felizes é nossa prioridade.
Paraíba
Práticas
Adesão às consultas de puericultura: uma intervenção na estratégia de saúde em Esperança – PB
Paraíba
Práticas
Descentralização do cuidado: levando as práticas de atividade física a população da zona rural
Paraíba
Práticas
Reterritorialização: desafios e avanços no município de Campina Grande-PB
Paraíba