Olá,

Visitante

Trajetória de Implantação da Residência em Medicina de Família e Comunidade, Município de Pequeno Porte no Interior de Sc: Benedito Novo Cenário de Prática Ensino-Serviço no SUS.

ObjetivoImplantação Residência em Medicina de Família e Comunidade, município de pequeno porte no interior de SC. Demonstrar/compartilhar a trajetória do município em conseguir implantar e manter o programa de residência médica.MetodologiaFácil aplicabilidade e relevância. Revisão e mudança nos processos de trabalho, planejamento local e adequações. Estrutura física: 2014 há 2017 adequação física, reforma e/ou construção, requalifica UBS. Materiais/insumos: permanentes/consumo-PMAQ, urgência e emergência (DEA, aspirador, TOTs, talas de imobilização, colar cervical, fios de sutura, pequenas cirurgias, biopsias, oximetro, estesiometros, fluxo de pico, oftalmoscópio, revisão da REMUME,etc). Legislação municipal: criação de lei, decreto e comitê gestor local, estabelecido contrapartida/bolsa formação mensal (R1 R$ 4.500,00 e R2 R$ 7.500,00). Ampliação de acesso: aumento nos atendimentos e procedimentos médicos e diminuição nos encaminhamentos externos.

Residência Médica pós graduação/especialização, treinamento em serviço, instituições de saúde (com preceptor especialista e/ou notório saber). COAPES: integração ensino-serviço e comunidade no âmbito do SUS, mais próxima dos municípios pequenos. O programa de residência médica MFC’: formar Médicos de Família e Comunidade para a atenção primária e redes de atenção à saúde, consolidação do SUS, princípios vigilância em saúde e ESF com alinhamento às diretrizes do SUS. Município fez inscrição em 2014, na coordenação estadual, carta de interesse com estrutura, cenário e indicadores de saúde. Médico preceptor presente na estrutura física porem, materiais insuficientes. Primeira inscrição nenhum residente inscrito, escolheram vagas na capital e litoral. Diante do cenário o município fez ações melhorando estruturas, planejamento, materiais e capacidade instalada para implantação da residência, “atrair” os residentes para interior com capacidade técnica e estrutural.

O médico preceptor acompanha 03 residentes, permanecem na mesma estrutura física pelo menos 7 períodos. Disponibilizando aos residentes troca de saberes, conhecimentos, discussão de casos c condutas. Preceptor remunerado mensalmente RS 500,00 por residente acompanhado. O Comitê municipal tem importante papel de acompanhamento da integração ensino-serviço e educação permanente constituído por residentes médicos, preceptor, gestão, profissionais de saúde c conselho municipal de saúde.

Principal

Jaqueline Ferrareis Menegasso

A prática foi aplicada em

Santa Catarina

Sul

Instituição

Benedito Novo

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Ideiasus/Conasems

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

22 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Programa Bolsa Família: processo formativo para profissionais da atenção primária
Paraíba
Práticas
Humanização na prática do cateterismo vesical de demora na atenção básica.
Paraíba
Práticas
Metodologias ativas no processo de atualização de profissionais de saúde: relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Incluir e apreender: parceria entre saúde e educação no acompanhamento multidisciplinar
Paraíba
Práticas
V amostra Paraíba, aqui tem SUS
Paraíba
Práticas
Autonomia reprodutiva: empoderamento de mulheres em vulnerabilidade através da inserção do DIU
Paraíba