Olá,

Visitante

Situação Vacinal do Adulto – como A Busca Ativa Pode Auxiliar na Cobertura Vacinal e Conscientização da População Relato de Experiência da Esf Sossego do Município de Schroeder/Sc

A vacinação é uma das formas mais importantes de prevenir doenças infecciosas, evitar possíveis surtos e impedir que doenças já esquecidas voltem a adoecer a população. No Brasil, o calendário de Imunizações para as crianças é obrigatório e protegido pelo Estatuto da Criança e do Adolescente Lei 8.069/90. o grande desafio da ESF Sossego, é manter atualizada a situação vacinal do adulto, utilizando da conscientização como principal ferramenta, pois não existe amparo legal que obrigue o adulto à vacinação. A partir destas informações, a ESF fez o questionamento: como está a situação vacinal do adulto e quais estratégias adotar para melhorar esta situação? em 2017 a ESF Sossego, localizada no Município de Schroeder, ao norte do Estado de Santa Catarina, iniciou uma análise dos dados e percebeu que a situação vacinal do adulto em geral era irregular ou desconhecida e havia pouca procura de vacinas por parte dessa população.

Orientar o adulto sobre a atualização do esquema vacinal. Questionar a situação vacinal dos pais na sala de vacinas. Regularizar a situação vacinal de adultos da área de abrangência através da busca ativa no acolhimento e conferência de carteirinhas em 2018 iniciou-se a abordagem dos pacientes que passavam no acolhimento da ESF Sossego e pais que traziam os filhos para vacinar. Para aqueles que já tinham carteirinha realizava-se a conferência e atualização das vacinas atrasadas. Para os que não tinham carteirinha, iniciava-se os esquemas vacinais disponíveis para o adulto. E para aqueles que não queriam realizar vacinas, foi orientado sobre a importância da vacinação, e mesmo assim, continuasse recusando, a negativa era registrada em prontuário. Simultaneamente, as Agentes Comunitárias de Saúde solicitavam as carteirinhas de vacinas durante as visitas domiciliares, fotografando-as com seu tablet de trabalho e levando-as até a vacinadora para revisar e receber as orientações necessárias

Para análise selecionou-se as vacinas DT, Hepatite B, Febre Amarela e Tríplice Viral, realizando o levantamento das doses aplicadas (DA) nos anos de 2016 a 2018. Após comparava-se os mesmos anos sobre o total de DA. DT: 2016: 475DA. 2017: 524DA. 2018: 949DA. em 2018, o aumento em relação à 2016 foi de 99,7%. Hepatite B: 2016: 377DA. 2017: 393DA. 2018: 1071DA. Nesse caso, o aumento em 2018 em relação à 2016, foi de 184%. Tríplice Viral: 2016: 115DA. 2017: 189DA. 2018: 704DA. o aumento em 2018, em relação à 2016, foi de 512,1%. Febre Amarela : 2016: 0DA. 2017: 17DA. 2018: 1943DA. Total de Doses Aplicadas: 2016: 4405DA. 2017: 4867DA. 2018: 8906DA. o número total de vacinas no adulto dobrou entre os de 2016 e 2018 sendo de 102,1%.Nota-se o aumento do número de doses aplicadas e a importância de realizar busca ativa para vacinar adultos. Todo serviço de saúde pode implantar esta estratégia através do levantamento e gestão dos dados obtidos, pois apenas um questionamento na abordagem ao paciente, muda um cenário de cobertura vacinal no território. Destaca-se, a relevância do papel do ACS na busca ampla sobre vacinas nas visitas domiciliares, mantendo um patamar de qualidade na cobertura de vacinas.

Principal

Carina Aparecida Byczkovski Girardi

orlandot@schroeder.sc.gov.br

Coautores

Rhubia Aparecida Livramento Roik

A prática foi aplicada em

Schroeder

Santa Catarina

Sul

Instituição

Rua Alphons Maria Schmalz, Nº 150

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Orlando Tecilla

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

23 set 2023

e atualizada em

23 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Vigilância e Controle da Febre Amarela na Coordenadoria Regional de Saúde Sul do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
Sucessus 2018: Nossa Equipe É Show! – Valorização do Trabalhador do SUS e das Experiências Inovadoras no Cuidado em Saúde na Região de Vila Prudente/Sapopemba, Município de Sp
São Paulo
Práticas
Experiência de des institucionalização: o Resgate da Cidadania e da Dignidade no Relato de Profissionais e Pacientes
São Paulo
Práticas
Educação Permanente em Saúde Diária como Estratégia de Sustentação na Integração Entre Equipes Técnicas Distintas – Atenção Básica e Vigilâncias
São Paulo
Práticas
Avaliação Interdisciplinar e Diagnóstico Diferencial – Mobilização na Busca de uma Linha de Cuidado Assertiva no Cer de São Bernardo do Campo
São Paulo
Práticas
Intervenção do Farmacêutico do Nasf no Uso Irracional de Antiinflamatórios Não Esteroidais (Aines), uma Experiência da Ubs União
São Paulo
Práticas
Tecendo Redes: uma Experiência de Articulação do Trabalho em Rede Intersetorial em um Território de Saúde no Município de Assis/Sp
São Paulo
Práticas
Empoderamento Social em Defesa do SUS no Município de des calvado – Sp
São Paulo
Práticas
A Experiência de Implantação da Política de Saúde Integral para Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (Lgbt) na Região Central do Município de São Paulo
São Paulo
Práticas
des envolvimento da Gestão de Custos no SUS em São José do Rio Preto
São Paulo