Olá,

Visitante

Saúde Mental em Foco na Atenção Primária no Município de Messias-Al

As oficinas de capacitação objetivaram a identificação de agravos em saúde mental e a humanização do atendimento. Foi identificado que ao preparar os profissionais para acolher de forma adequada e humanizada, o usuário poderá ter um serviço de qualidade e resolutivo garantindo a consolidação das diretrizes da Política Nacional de Saúde Mental que visa à inclusão das ações de saúde mental no âmbito da Atenção Primária, contribuindo positivamente para a integralidade do cuidado e da medicina baseada em evidências. Entre os profissionais do CAPS foram escolhidos os apoiadores em saúde mental para cada equipe de ESF oferecendo suporte técnico. A equipe do Núcleo de Apoio a Saúde da Família – NASF realizou um trabalho de matriciamento junto as ESF, possibilitando um melhor conhecimento do perfil epidemiológico.

Vivemos numa sociedade onde os índices de transtornos mentais e dependência química cresce consideravelmente, em contrapartida a medicalização e a ausência de humanização nos acolhimentos são significativos. A análise da organização das ações de saúde mental na Atenção Primária do município de Messias – AL teve início em janeiro de 2014, sendo pautada nos resultados das capacitações promovidas pela equipe do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS, com os profissionais das equipes da Estratégia de Saúde da Família – ESF.

A organização da RAPS do município vem sendo desenhada com muito sucesso, sempre priorizando a importância do conhecimento e contribuindo para a mudança do olhar em saúde mental. Os profissionais das ESF ainda oferecem certa resistência com os usuários portadores de transtorno mental, orientando algumas vezes tratamentos puramente psiquiátricos e medicalizados. Em relação aos usuários dependentes químicos ainda possui uma grande subnotificação de agravos dificultando a constatação do real perfil epidemiológico do município. Considerando o número grande de pessoas que sofrem com algum transtorno mental e?ou dependência química, torna as ações em saúde mental na Atenção Primária em Saúde fundamental. As capacitações e cursos vêm minimizando os entraves e viabilizando as ações em rede. Os profissionais de saúde do município necessitam de um olhar mais ampliado diante do contexto da saúde mental, para que se proporcione a população um serviço eficaz evitando internações desnecessárias, gastos excessivos com medicamentos e ausência de notificações contribuindo para consolidar a saúde mental no âmbito da atenção Primária.

Principal

Francine Regina Camilo Candido

francinecandido2@gmail.com

A prática foi aplicada em

Messias

Alagoas

Nordeste

Instituição

R. Elpídio Cavalcante Lins

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Francine Regina Camilo Candido

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A importância do trabalho em rede para a efetivação da reinserção social aos dependentes químicos enquanto sujeitos de direitos: observações acerca do eixo reinserção social no Centro de Acolhimento e Atenção Integral Sobre Drogas do município de Cachoeiro de Itapemirim (ES)
Espírito Santo
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Explorando as possibilidades: atividade aquática no tratamento de TEA no município de Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Inovação do cuidado em saúde mental no município de São José do Sabugi-PB a partir da prática.
Paraíba
Práticas
Em boas mãos: valorização dos profissionais de saúde e os impactos na proatividade em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Protocolo de passagem de plantão no serviço residencial terapêutico: um relato de experiência
Paraíba
Práticas
Ressignificando vidas através das artes manuais: uma vivência do CAPS I Umbuzeiro-PB
Paraíba