Olá,

Visitante

A Mente Que Reflete Arte

Finalidade da experiência

O CAPS de Lucas do Rio Verde atua a oito anos atendendo pessoas que sofrem com transtornos mentais severos e/ou persistentes, incluindo os transtornos relacionados às substâncias psicoativas (álcool e outras drogas). O atendimento é realizado por equipe multidisciplinar que elabora, junto com o paciente, o Plano Terapêutico Individual, sendo que, na aplicabilidade do referido plano a equipe constatou diversas dificuldades de adesão do paciente ao tratamento, e como consequência, dificuldades no processo de melhoria do quadro de saúde como um todo. Daí surgiu a proposta de integrar mais a equipe e oferecer uma variada gama de atividades terapêuticas de forma atrativa, com diversos profissionais para atender as diferentes expectativas dos pacientes, instigando-os a aderir ao tratamento. Assim, há um ano e cinco meses, essa expectativa vem sendo desenvolvida no CAPS, tendo o trabalho manual como estratégia central e eixo norteador das ações.

As ações desenvolvidas nessa experiência de trabalho podem ser aplicadas a qualquer equipe mínima do CAPS, bastando para tanto e, acima de tudo, o interesse, o empenho e o comprometimento de cada profissional e da equipe como um todo. Os recursos financeiros necessários são poucos, pois se utiliza muito material reciclável, vários que os próprios pacientes trazem, além de muita criatividade, valendo ressaltar é claro, que é imprescindível a atuação de um (a) artesão (a). Muitos impactos positivos são visíveis já a curto prazo, especialmente na adesão ao tratamento, sendo que, a médio e longo prazo, constata-se a melhora do quadro de saúde e consequentemente a elevação da qualidade de vida da pessoa e da família como um todo. O atendimento às pessoas que sofrem com transtornos mentais severos e/ou persistentes, incluindo os transtornos relacionados às substâncias psicoativas (álcool e outras drogas) é desafiador, instigante e bastante complexo. Exige muito planejamento, organização, monitoramento, criatividade e uma conduta profissional pautada no trabalho multidisciplinar que preserva a atuação privativa, mas a harmoniza e a complementa com a atuação da equipe. Dessa postura, surgiu a presente experiência que está produzindo bons resultados tanto no desempenho de cada profissional, quanto na atuação multidisciplinar, mais especialmente na adesão e positiva evolução do tratamento dos pacientes, impulsionando-nos a tornar as ações sempre mais personalizadas e promotoras de vida com qualidade e dignidade à pessoa em tratamento de saúde mental.

Principal

Vanessa Adriane Furlan

capsfelizcidade@gmail.com

A prática foi aplicada em

Mato Grosso

Centro-Oeste

Instituição

Av. Mato Grosso – Bairro Rio Verde.

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Vanessa Adriane Furlan

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A importância do trabalho em rede para a efetivação da reinserção social aos dependentes químicos enquanto sujeitos de direitos: observações acerca do eixo reinserção social no Centro de Acolhimento e Atenção Integral Sobre Drogas do município de Cachoeiro de Itapemirim (ES)
Espírito Santo
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Explorando as possibilidades: atividade aquática no tratamento de TEA no município de Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Inovação do cuidado em saúde mental no município de São José do Sabugi-PB a partir da prática.
Paraíba
Práticas
Em boas mãos: valorização dos profissionais de saúde e os impactos na proatividade em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Protocolo de passagem de plantão no serviço residencial terapêutico: um relato de experiência
Paraíba
Práticas
Ressignificando vidas através das artes manuais: uma vivência do CAPS I Umbuzeiro-PB
Paraíba