Olá,

Visitante

Repercussões Positivas de Imunização, na Cobertura Vacinal em Crianças de 0 a 4 Anos, do Município de Reriutaba-Ce

Categoria não especificada

As ações de imunização que ocorrem no Município de Reriutaba, são realizadas de forma descentralizada, a aplicação de vacinas ocorre nas 09 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 1 Unidade de Apoio, a Rede de Frio Municipal tem disponível 2 câmaras refrigeradoras que realizam a conservação em temperatura adequada de +2 a +8 °C, é realizado o armazenamento, conservação e distribuição de forma adequada, para as UBS’s, os imunobiológicos são transportados pelos veículos exclusivos de cada UBS, que ocorre de forma regular de acordo com a demanda, a disponibilidade das vacinas ocorre por instâncias (Federal, Estadual, Regional e Municipal), no qual são disponibilizadas para cada Unidade Básica de Saúde de acordo com a solicitação. As salas de vacinas são todas informatizadas com Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC – ESUS), a busca ativa é realizada de diversas formas, de acordo com a população adscrita de cada área no território do Município. Atuam nessa busca os profissionais de saúde vinculados em cada UBS, tais como: Enfermeiros; Técnicos de Enfermagem (VACINADORES); Agente Comunitário de Saúde; AGENTE DE IMUNIZAÇÃO, como também a articulação de profissionais de outros setores. O monitoramento das Coberturas Vacinais é realizado pelos Sistemas de Informação do Ministério da Saúde, tais como, SIPNI WEB, PEC, DATASUS e em planilhas no drive implantadas e implementadas no Município. As ações de capacitação com os profissionais de saúde, acontecem rotineiramente e de acordo com a necessidade de forma pontual seguindo cronogramas do Ministério da Saúde. Existem dificuldades de acesso aos sistemas de informação quando há indisponibilidade de internet ou devido inconsistência operacional.

O cenário com relação a Imunização encontrado no município de Reriutaba no início do ano de 2021, foi que não contava com salas de vacinas ativas em todas as suas 09 Unidades Básicas de Saúde e 1 Unidade de Apoio, o serviço de Imunização somente existia em 02 Unidades para atender a demanda de todo o território, verificava-se que as famílias não conseguiam se deslocar do interior para a sede em tempo hábil, não garantindo assim a proteção necessária as crianças, e consequentemente a baixa cobertura vacinal no ano de 2020 de 42,83%, junto dela a não qualificação profissional, número reduzido de técnicos em enfermagem habilitados ao trabalho em sala de vacina, matéria prima reduzida, acondicionamento e manejo inadequado dos imunobiológicos. O objetivo do município diante desse cenário era de aumentar a taxa de cobertura vacinal em crianças menores de 0 a 4 anos de idade

O projeto “MINHA VIDINHA PROTEGIDA” aborda estratégias de resolutividade significativa no contexto cobertura da vacinal e seu monitoramento, através da peça chave que é o Agente de Vacinação, responsável por toda a estratégia deste projeto, bem como a participação ativa deste na garantia de êxito no esquema vacinal completo de acordo com a faixa etária da criança acompanhada. O projeto utilizou em sua formulação 4 pontos de ação para garantir a quebra de paradigmas que pudessem estar interferindo na adesão correta as campanhas de vacinação no município. Foram eles: Foco no profissional com a criação do agente de vacinação, com capacitação multidisciplinar, perfil definido e caracterização própria; a Flexibilização de horários com a flexibilização do horário de vacina, para abranger contraturno escolar e horário de expediente de trabalho do responsável; a Vacinação extramuros com a criação de pontos de vacinação fora das salas de vacinas registradas e o Fortalecimento da campanha com a criação de canal virtual para esclarecer dúvidas sobre vacinação. Norteados por essa proposta podemos contar também com a colaboração de toda a equipe da atenção primária, gerentes, equipe técnica, agente comunitários de saúde para divulgação e sensibilização do projeto dentro dos territórios. Profissionais qualificados e exclusivos para sala de vacina, com estrutura adequada e monitoramento diário realizado pelo Agente de Vacinação e alcance de metas estabelecidos pela Célula de Atenção Primária e Imunização. Por pensarmos em um profissional exclusivo que garante o monitoramento eficaz, trabalho de conscientização e práticas lúdicas que vai de encontro a realidade das famílias em conjunto aos equipamentos intersetoriais.

Desde a implementação do projeto, sua realização consolidou-se nas 10 salas de vacinas ativas e nas abrangências do seu território, através de vistas domiciliares realizadas pelo Agente de vacinação. A atuação do Agente de Vacinação sem dúvida foi a estratégica básica para o sucesso das práticas, um profissional com atribuições especificas voltadas exclusivamente a Imunização, o trabalho contínuo deste profissional junto à comunidade e a equipe de saúde, proporcionou resultados rápidos e significativos no que diz respeito ao monitoramento de cobertura vacinal, a capacitação ativa dos profissionais das salas de vacina, insumos necessários ao trabalho, vínculo da equipe com as atividades em Imunização. Com a implementação do projeto em menos de um ano, conseguimos o marco histórico e obtivemos destaque a nível nacional no Programa Previne Brasil, aumento da cobertura vacinal na série histórica do município. No ano de 2020 o município detinha a taxa de cobertura vacinal de 42,83% e em 2021 esse número evolui significativamente para 82,52 %. Esse resultado se dá por todo empenho, dedicação, compromisso, responsabilidade de todos os profissionais da Atenção Primária em Saúde (APS), Equipe da Célula de Imunização e com o fortalecimento da atuação do Agente de Vacinação.

Principal

MAYRILLANE MESQUITA DE SOUSA

A prática foi aplicada em

Região

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Instituição Privada

Foi cadastrada por

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

A prática foi cadastrada em

23 dez 2023

e atualizada em

23 dez 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Ações intersetoriais: integrando estratégias no combate às arboviroses na cidade de Belém do Brejo da Cruz (PB)
Paraíba
Práticas
Os caminhos para alcançar os indicadores de desempenho do Previne Brasil pelo município de Bom Jesus (PB)
Paraíba
Práticas
Re(h)abilitando a interdisciplinaridade e o cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
ADESÃO DAS GESTANTES AO PRÉ-NATAL ODONTOLÓGICO: UMA PROPOSTA DE INTERVENÇÃO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE
Paraíba
Práticas
A PRÁTICA DE PRIMEIROS SOCORROS NO CONTEXTO DE UM CURSO TÉCNICO PARA AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE
Paraíba
Práticas
Vacinação nos espaços de formação: experiência no 2º Congresso Nordestino de Pediatria
Paraíba
Práticas
A (in) visibilidade de quem está em situação de rua: caminhos possíveis para cuidado em saúde
Paraíba