Olá,

Visitante

Registro de Espécies Medicinais do Horto Medicinal do Programa Farmácia Viva no Site Splink.Org Como Garantia de Qualidade e Rastreabilidade, São Bento do Sul, Sc.

Período de Realização: Julho de 2018 até o presente momento. Objeto da Experiência: Plantas Medicinais do Farmácia Viva no Specieslink.org. Objetivo da Experiência: Relatar a importância do registro das espécies medicinais do Horto do Farmácia Viva em site de coleções biológicas. Metodologia: As espécies cultivadas no Horto Medicinal do Farmácia Viva são identificadas pelo biólogo integrante da equipe, que realiza a coleta e faz o registro fotográfico. Após preparo da exsicata e envio para o Herbário da FURB (denominado Herbário Dr. Miguel Klein) as mesmas recebem um número de registro. O biólogo, que possui coleção botânica registrada no site Specieslink.org, faz o registro da exsicata no site e publica as fotos das espécies do Farmácia Viva. Análise Crítica: A Coordenação do Farmácia Viva de São Bento do Sul está comprometida com a garantia da matéria-prima vegetal produzido na cadeia produtiva. O registro das espécies cultivadas tanto no herbário quanto no site (www.splink.org) são considerados procedimentos de controle de qualidade pela equipe do Programa. Estes procedimentos são preditores da seriedade com que o município faz a gestão da política de Plantas Medicinais, considerando todos os aspectos: desde o cultivo até a dispensação. Conclusões: O registro das espécies medicinais cultivadas no Farmácia Viva, tanto em Herbário quanto na internet, permitem rastreabilidade destas plantas e garantem a qualidade da Cadeia Produtiva de Plantas Medicinais municipal. As mudas e a matéria-prima vegetal provenientes do Horto medicinal do Farmácia Viva apresentam certificação de origem e possuem sua identificação botânica comprovada e registrada.

Criar recursos para garantir rastreabilidade de plantas medicinais e lotes de drogas vegetais produzidas no Programa Farmácia Viva. Um dos grandes gargalos dos programas de fitoterapia no Brasil é a falta de identificação botânica das espécies utilizadas e a falta de registro destas espécies em herbários oficiais.

O registro das espécies medicinais cultivadas no Farmácia Viva, tanto em Herbário quanto na internet, permitem rastreabilidade destas plantas e garantem a qualidade da Cadeia Produtiva de Plantas Medicinais municipal. As mudas e a matéria-prima vegetal provenientes do Horto medicinal do Farmácia Viva apresentam certificação de origem e possuem sua identificação botânica comprovada e registrada.

Principal

Ana Carla Koetz Prade

farmaciaviva@saobentodosul.sc.gov.br

A prática foi aplicada em

São Bento do Sul

Santa Catarina

Sul

Instituição

Hans Dieter Schmidt, 471, Centenário.

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Ana Carla Koetz Prade

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Mindfulness, uma estratégia para redução da ansiedade e manejo de peso
Rio Grande do Sul
Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba
Práticas
Práticas integrativas em um grupo tereapêutico “equilíbrio das emoções”
Paraíba
Práticas
Auriculoterapia uma práticas integrativas: como alternativa complementar no tratamento da ansiedade
Paraíba
Práticas
IMPLANTAÇÃO DE PRÁTICA INTEGRATIVA E COMPLEMENTAR NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE QUEIMADAS-PB
Paraíba
Práticas
A terapia comunitária integrativa como inclusão e bem-estar na terceira idade.
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Centro de Referência em MTC e Práticas Integrativas no Município de Duque de Caxias
Rio de Janeiro
Práticas
Planejamento orientativo do CTA/SAE Juara – MT, sobre protocolo de PEP às farmácias do Vale do Arinos.
Mato Grosso