Olá,

Visitante

Rede de Proteção À Criança e ao Adolescente em Situação de Risco para a Violência.

Em 1998 e 1999 técnicos do Instituto de Pesquisa e Planejamento de Curitiba, em parceria com a Secretaria Municipal da Saúde, Secretaria Municipal da Criança e Sociedade Paranaense de Pediatria, realizaram um levantamento no Instituto Médico Legal de Curitiba (IML), evidenciando um número significativo de crianças e adolescentes vítimas de violência. Também foram levantados dados de atendimento pelo SOS Criança e pelo Conselho Tutelar. A magnitude do problema, evidenciado pelo grande número de negligências, de violências física, sexual e psicológica e os casos de abandono apontaram para a necessidade urgente da criação e implantação de um sistema de ações integradas e intersetoriais no Município de Curitiba para prevenir a violência, principalmente a doméstica e a sexual, e proteger a criança e o adolescente em situação de risco para a violência, que teve início em 2000.Em 2007 foram incluídas na notificação obrigatória os campos referentes à violência fetal e à autoagressão.No início de 2009 foi organizado um conjunto de ações integradas e intersetoriais para a vigilância e atenção às gestantes e aos lactentes em situação de vulnerabilidade, por meio da identificação dos casos nas notificações e promoção de ações priorizadas e potencializadas direcionadas à esta população de risco.a) Objetivos e metas da experiência desenvolvida: Contribuir, de forma integrada, para a redução da violência contra a criança e o adolescente em Curiti -Curitiba, principalmente no que se refere à violência doméstica e sexual, estimulando a notificação dos casos

Redução da violência contra a criança e o adolescente, principalmente no que se refere à violência doméstica e sexual.

Esta prática já tem sido uma referência para outros municípios do Paraná, os quais acessam o Protocolo da Rede de Proteção pelo site da prefeitura e freqüentemente chamam os técnicos para assessorar a implantação da Rede de Proteção no Município. Os técnicos também são convidados para proferir palestras de sensibilização e capacitação. em outros municípios do Estado e de outros Estados. O diferencial da Rede de Proteção de Curitiba é a articulação e ação conjunta da saúde com a educação e assistência social e a articulação com outros setores da prefeitura e fora da prefeitura.

Principal

Simone Cortiano

A prática foi aplicada em

Curitiba

Paraná

Sul

Instituição

Endereço

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Simone Cortiano

Conta vinculada

ideiasus@gmail.com

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A importância da equipe multidisciplinar no tratamento e no cotidiano dos pacientes com Fibromialgia de Itatiaia-RJ
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto “Saúde Aqui: Relato de Experiência”
Tocantins
Práticas
Projeto Viva Mais, Práticas de Exercícios Físicos e Orientações Nutricionais com Princípios Funcionais, para A Melhoria de Qualidade de Vida no Município de Ourém-Pa
Pará
Práticas
Combatente Municipal –Escola e Comunidade Livres do Aedes Aegypti
Amazonas
Práticas
Promoção de Saúde dos Caminhoneiros e Caminhoneiras no Ponto de Parada e Descanso do Município do Rio de Janeiro
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto Peso Saudável
Tocantins
Práticas
Formação em Diabetes para Profissionais da Educação de Blumenau/Sc
Rio Grande do Sul
Práticas
Oficina com Mulheres: Desenvolvimento de Ações de Cuidado Voltados ao Hiv/ Aids
Rio Grande do Sul
Práticas
Benefícios da Implementação de Assistência Médica 24 Horas em uma Cidade do Interior Paraibano
Paraíba