Olá,

Visitante

Projeto “Transforma-Dor”: a Psicologia e Sua Reconstrução no Cenário da Pandemia da Covid-19 – Um Relato de uma Experiência Singular no Município de Paraíba do Sul.

O serviço de acompanhamento remoto em saúde mental foi criado para fornecer um espaço de fala/escuta das demandas psicológicas da população em decorrência das possíveis implicações da pandemia e do isolamento social da quarentena.Oferecer espaço de informação, orientação e conscientização sobre aspectos das eventuais mudanças de hábitos que visem diminuir os riscos de contaminação e as possíveis implicações emocionais acarretadas por essas mudanças cotidianas.Estruturar um programa em que as triagens e os acolhimentos possam ser direcionados a outros dispositivos da rede de saúde e parceiros intersetoriais do município, quando necessário o atendimento presencial.Identificar grupos prioritários, considerando as especificidades da populaçãoFornecer suporte psicológico aos funcionários de atuação na linha de frente de combate à pandemia.Contribuir para a qualidade da Saúde Pública.Organizar as demandas e o fluxo da saúde mental no municípioO serviço é acessado através de um número de whatsapp e funciona por telefone ou videoconferência, todos os dias da semana, 12hs por dia, por 9 psicólogos e uma terapeuta ocupacional, organizados conforme o repasse dos contatos e demandas da população pela coordenação de Saúde Mental, seguindo protocolos e notas técnicas do Conselho Federal de Psicologia e MS. As pessoas ligam e passam por um encaminhamento feito pela coordenação de Saúde Mental aos psicólogos do Ambulatório, que realizam um acolhimento e triagem. Cada caso é atendido e direcionado a demais serviços de Saúde Mental e Assistência da rede conforme a necessidade. O projeto propõe um atendimento pontual, breve, segundo a demanda de cada caso, com um único atendimento ou algumas sessões, com o objetivo de auxiliar na travessia das dificuldades psicológicas deste período, diferenciando-se assim de um tratamento psicoterapêutico. A frequência e duração dos atendimentos são estabelecidas por cada profissional. Além disso, foram disponibilizados à população, em mídia eletrônica, materiais sobre a doença (prevenção/controle/saúde mental). O diálogo com os demais dispositivos da rede (CREAS,CRAS, UBS, Conselho tutelar, Serviço de psiquiatria, hospital geral), bem como as parcerias intersetoriais tem sido instrumentos de organização do suporte estruturado com bases e fontes científicas e com a dimensão do monitoramento e avaliação do projeto em tempo real.

Em tempos em que o sentimento planetário de urgência surge em decorrência de uma pandemia, não há quem não sinta, seja física e/ou mentalmente algum efeito da situação. As pessoas são em geral atormentadas pelo medo de ficar doente, de perder alguém, ou se deparam com a ansiedade provocada pelo longo período em isolamento. Os efeitos negativos do isolamento social, que incluem sintomas de estresse pós-traumático, confusão, raiva, pânico, dentre outros – como preocupações com a escassez de suprimentos e perdas financeiras – confirmam a relevância de intervenções psicológicas alinhadas às necessidades emergentes no atual contexto de pandemia. A partir da observação desses efeitos na população e do sofrimento psicológico crescente durante a crise do novo coronavírus, e objetivando ganhos em termos de saúde pública em relação à possibilidade real do atendimento psicológico on-line ter seus efeitos psíquicos, o município de Paraíba do Sul estruturou as atividades do Ambulatório de Psicologia em um programa de atendimento on-line para a população e funcionários da linha de frente do combate à pandemia nos serviços de Saúde e Assistência. O serviço teve início em 20/03/2020 e segue em curso até o momento atual. A questão do acesso da população aos serviços de cuidados em Saúde Mental constituiu-se a principal questão a ser atendida pelo projeto, por se tratar de problemática emergente, que demanda resposta rápida e efetiva.

A ampla divulgação do serviço é essencial para a adesão dos interessados. Portanto, é crucial envolver toda a rede de cuidado, meios de comunicação e gestores. O diálogo com os demais dispositivos da rede, bem como as parcerias intersetoriais são instrumentos de organização do suporte estruturado com bases e fontes científicas e com a dimensão do monitoramento e avaliação do projeto em tempo real. A convocação dos demais dispositivos da rede de saúde e das parcerias intersetoriais, com destaque para a secretaria de Comunicação, mostra-se essencial para a estruturação e alcance do suporte emocional e das propostas psicoeduactivas intencionadas pelo projeto.O projeto propõe um atendimento pontual, breve, segundo a demanda de cada caso, com um único atendimento ou algumas sessões, com o objetivo de auxiliar na travessia das dificuldades psicológicas deste período, diferenciando-se assim de um tratamento psicoterapêutico.

Principal

Jacqueline Machado Barboza

j.mb7@hotmail.com

A prática foi aplicada em

Paraíba do Sul

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Avenida Bento Gonçalves Pereira, 410

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Jacqueline Machado Barboza

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
A importância do trabalho em rede para a efetivação da reinserção social aos dependentes químicos enquanto sujeitos de direitos: observações acerca do eixo reinserção social no Centro de Acolhimento e Atenção Integral Sobre Drogas do município de Cachoeiro de Itapemirim (ES)
Espírito Santo
Práticas
Atuação intersetorial nos casos suspeitos de TEA na primeira infância, um relato de experiência.
Paraíba
Práticas
Explorando as possibilidades: atividade aquática no tratamento de TEA no município de Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Inovação do cuidado em saúde mental no município de São José do Sabugi-PB a partir da prática.
Paraíba
Práticas
Em boas mãos: valorização dos profissionais de saúde e os impactos na proatividade em Queimadas – PB
Paraíba
Práticas
Protocolo de passagem de plantão no serviço residencial terapêutico: um relato de experiência
Paraíba
Práticas
Ressignificando vidas através das artes manuais: uma vivência do CAPS I Umbuzeiro-PB
Paraíba