Olá,

Visitante

Programa Vida Ativa de Melhoria da Qualidade de Vida de Idosos

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EXPERIÊNCIA Os idosos de Pedro II apresentam vários perfis diferenciados, desde sedentarismo, carência afetiva, perda de autonomia causada por incapacidades físicas e mentais, ausência de familiares para ajudar no auto cuidado e insuficiência de suporte financeiro e outros fatores relacionado como doenças decorrentes ao fator idade, estilo de vida e outros… Estes fatores podem contribuir para a grande prevalência de limitações físicas e com morbidades refletindo em sua independência e autonomia. O novo paradigma de saúde do idoso é como manter a sua capacidade funcional mantendo-o independente e preservando a sua autonomia. O idoso e a (s) unidade (s) de saúde que o auxilia, geralmente, não conseguem arcar sozinhos com a complexidade e as dificuldades da senescência e/ou senilidade. Como se pode ver, o prolongamento da vida não é uma atitude isolada.Com esse cenário os profissionais que trabalham com o processo do envelhecimento nas mais diversas áreas de saber (Educadores físicos, fisioterapeutas, médicos, enfermeiros, terapeutas ocupacionais e outros), tentam proporcionar, em todos os níveis de atenção à saúde (primário, secundário e terciário), o bem estar bio – psico – social dos idosos, potencializando suas funções globais, a fim de obter uma maior independência, autonomia e uma melhor qualidade para essa fase de vida.Para se alcançar esta abordagem holística do idoso, foi elaborado o Projeto: VIDA ATIVA para a Melhoria da Qualidade de Vida dos Idosos, tendo, como temática principal, VIDA ATIVA contendo em si a manutenção da capacidade funcional global que é, em essência, uma atividade multiprofissional.Esse projeto é composto por quatro programas: Atividades Educativas com Idoso, Assistência Fisioterápica aos Idosos, Assistência Multiprofissional aos Idosos, Oficinas de Terceira Idade: Desenvolvimento de Tecnologias na área de Gerontologia. As atividades são realizadas nas praças, academias de saúde, áreas de fisioterapia e áreas da saúde afins que as unidades de saúde possuam.FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA: Objetivo geral:Realizar ações de saúde sob o ponto de vista multiprofissional nos três níveis de atenção a saúde (primário, secundário e terciário), junto aos idosos contribuindo para sua melhoria da qualidade de vida

No Brasil, a transição demográfica é incontestável. Até o ano 2025, possivelmente ocuparemos o sexto lugar da população de idosos do planeta com 31,8 milhões de indivíduos com 60 anos ou mais. Porém, estamos longe de atingirmos o envelhecimento bem sucedido.O envelhecimento populacional brasileiro caracteriza-se pelo acúmulo de incapacidades progressivas nas suas atividades funcionais e de vida diária, associada a condições socioeconômicas a diversas. A mortalidade é substituída por com morbidades e a manutenção da capacidade funcional surge, portanto, como um novo paradigma de saúde, relevante para o idoso. O acelerado ritmo de envelhecimento no Brasil cria novos desafios para a Sociedade Brasileira Contemporânea, onde esse processo ocorre num cenário de profundas transformações sociais, urbanas, industriais e familiares.A família encontra grandes dificuldades para o desempenho das funções tradicionais a ela atribuídas, de educadora das crianças e cuidadora dos mais velhos. Se as unidades de saúde para idosos, conhecidas como postos de saúde onde contém o programa de saúde familiar (ESF) e grupos para a terceira idade, se destinavam à velhice desvalida, hoje, na sociedade marcada pelo envelhecimento, passam a ter uma nova missão: cuidar de idosos necessitados de uma assistência multiprofissional, em face da problemática vida a sós ou com a família. Com o crescimento dessa população idosa em Pedro II e dependentes de cuidados, as unidades de saúde destinadas a prestar assistência a essa população se tornaram cada vez mais necessárias. A busca de novos modelos de unidades de saúde que propiciem cuidados específicos aos idosos Pedro segundesses, que preservem e promovam os direitos fundamentais do idoso como ser humano deve ser incentivado. Essa busca muitas vezes proporciona a aproximação entre profissionais e a comunidade e a e vice-versa.

O Programa é de fundamental importância para a população da cidade de Pedro II, onde houve uma melhoria na qualidade de vida da população em consonância com a política nacional de saúde do Idoso.

Principal

Amanda Andrade

A prática foi aplicada em

Pedro II

Piauí

Nordeste

Instituição

RUA AGOSTINHO PINHEIRO, Nº 360

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Amanda Andrade

Conta vinculada

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
‘‘Felicidade de Viver’’. Promoção da Atividade Física na Terceira Idade para Melhorar a Qualidade de Vida Física e Mental.
Paraíba
Práticas
Ação Municipal – Juntos Somos Mais Fortes
Tocantins
Práticas
Atenção Domiciliar: a Integralidade do Cuidado Promovendo Saúde e Prevenindo Agravos
Rio de Janeiro
Práticas
Relato de Experiência da Atenção Especializada em Saúde da População Trans no Município de Niterói.
Rio de Janeiro
Práticas
Modelos Assistenciais em Saúde: Desafios e Perspectivas
Rio Grande do Sul
Práticas
A Ótica do Cuidado: Relato de Experiência Sobre o Projeto olhar Brasil Realizado no Município de Vassouras – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Promoção da Saúde a Partir do Resgate da Ancestralidade de Comunidades em Contexto Rural e Quilombola no Município de Natividade
Rio de Janeiro
Práticas
Rede de Atenção com Foco no Cuidado das Pessoas com Doença Falciforme no Município de São Pedro da Aldeia – Rj: Contribuição da Coordenação de Saúde Bucal.
Rio de Janeiro
Práticas
Protocolo para o Cuidado odontológico dos Pacientes com Doença Falciforme no Município de São Pedro da Aldeia – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Nasf Pindoba e o Grupo Plantando com Saúde