Olá,

Visitante

Processo de Informatização no Trabalho do Agente de Combate Às Endemias em Queimadas-Pb

No Brasil, as medidas de controle de vetor tiveram início no período colonial, desde a primeira campanha sanitária contra febre amarela, realizada em Recife no ano de 1691 (BRASIL, 1994b, p. 7), passando pelas epidemias no Rio de Janeiro no século XIX (LIMA, 2002), até as mais recentes. Assim, as ações para prevenção dessas endemias foram se estruturando com base no conhecimento do território de atuação e nos procedimentos relacionados ao trabalho de campo. Desde então, a figura dos Agentes de Combates às Endemias (ACE) ganhou destaque e, posteriormente, estes foram incorporados à organização operacional dos programas de controle de doença e saúde ambiental (BEZERRA, 2017).Entretanto, mesmo diante da longa trajetória e da importância dos agentes de combate às endemias, foi apenas em 2006, a partir da publicação da Lei Federal nº 11.350, de 5 de outubro de 2006, que o trabalho do agente foi descrito e regulamentado. Considerando as estratégias de vigilância e ações em saúde pública, o ACE é um profissional fundamental nas ações de controle de endemias e epidemias, trabalhando junto às equipes de Atenção Básica da Estratégia de Saúde da Família (ESF) e auxiliando na integração entre as vigilâncias epidemiológica, sanitária e ambiental (TORRES, 2009).Diante da importância do trabalho dos ACE no âmbito da saúde, deu-se início em setembro de 2017 a utilização do sistema Cidade Saudável Endemias no município de Queimadas-PB, buscando otimizar o processo de trabalho.

Realizar a informatização do processo de trabalho do ACE, por meio do sistema Cidade Saudável Endemias, visando auxiliar o Agente Comunitário de Endemias no seu dia a dia de trabalho com otimização de informações e tempo, garantindo assim dados com qualidades que felicitem o processo de tomadas de decisões frente à saúde do município de Queimadas-PB.

Com o Cidade Saudável Endemias informatizou-se todo o processo de trabalho do Agente de Combate às Endemias. O aplicativo possibilita o registro de atividades relacionadas a Arboviroses (Ciclo Comum PNCD, LIRA, e Ponto estratégico), Esquistossomose, Chagas e Leishmaniose. Todo o mapeamento é gerido pela gestão que cadastra e gerencia os SISLOC’s, bairros e ruas. O cadastro dos imóveis e visitas realizadas são georreferenciados e para facilitar o processo de trabalho do agente, o aplicativo funciona de forma offline, sendo necessário internet apenas no momento da sincronização, envio de dados. Os Agentes Comunitários de Endemias realizam visitas regulares em suas áreas de atendimento, onde coletam com tablets informações de forma integrada, e podem receber retorno da informação que foi transmitida, agindo na área onde houver foco positivo. Nas visitas é coletada todas as informações como, tipo de atividade (levantamento de índice, tratamento, levantamento de índice mais o tratamento, delimitação de foco e pesquisa vetorial especial), depósitos inspecionados, coleta de amostras e quantidade de tubitos e tipo de larvicida aplicado e cargas de inseticidas aplicadas. Por meio do uso da ferramenta Cidade Saudável Endemias no município de Queimadas-PB, pode-se perceber que o processo de trabalho dos Agentes de combates às Endemias (ACE) tem se desenvolvido para um melhor acompanhamento das famílias, na prevenção e no combate as doenças e agravos.

Principal

Sueli Alves Alexandrino

suely_10001@hotmail.com

A prática foi aplicada em

Queimadas

Paraíba

Nordeste

Instituição

Rua João Barbosa da Silva, 120, Centro

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Sueli Alves Alexandrino

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Estudo das infecções do trato urinário na população de Queimadas (PB) atendida pelo SUS
Paraíba
Práticas
VIVER BEM É SER SAUDÁVEL: ACOMPANHAMENTO DE PORTADORES DE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS
Paraíba
Práticas
Vigilância Epidemiológica: relato de experiência sobre a operacionalização do trabalho no município de Quatis
Rio de Janeiro
Práticas
Vacinação antirrábica animal itinerante – a vigilância ambiental em saúde vai até você!
Rio de Janeiro
Práticas
Estratégia de rodízio para ampliação do acesso da população às vacinas com apresentação multidoses
Rio de Janeiro
Práticas
Projeto agrotóxicos: Um olhar consciente
Paraíba