Olá,

Visitante

Práticas Integrativas Complementares em Saúde ofertadas pelo Nasf/Ps Como Suporte Assistencial Aos Profissionais no Enfrentamento À Covid-19

As Práticas Integrativas e Complementares (PICS) são tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais, são utilizadas na prevenção de agravos, promoção da saúde e integra o tratamento de doenças pela medicina convencional. No Brasil, o uso das PICS no Sistema Único de Saúde (SUS) é normatizado pela Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPIC), desde 2006. Até o momento, o SUS oferece 29 práticas.Diante desse contexto, o Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Paraíba do Sul-RJ (SMS_PS) desenvolve um Programa de sensibilização, divulgação e ampliação de informações sobre essa metodologia de cuidado de baixo-custo, centrado no sujeito e não na doença. O acesso a essas práticas pelos profissionais da saúde vinha ocorrendo de forma gradual e pontual em algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS), entretanto com o surgimento da pandemia da Covid-19, o projeto amplia-se com a oferta da Auriculoterapia, Meditação, Fitoterápicos e Plantas Medicinais e Reiki.Nesse cenário novo e desafiador, o clima de estresse, ansiedade, medo, esgotamento físico e mental entre os profissionais acentuou-se, por isso o NASF reorganiza seus processos de trabalho, estabelecendo e reforçando o suporte assistencial aos profissionais por meio das PICS.Tal proposta apresenta como objetivos:Descrever a experiência no NASF-AB na implementação e implantação do Programa que prevê uma abordagem interdisciplinar por meio das Práticas Integrativas e Complementares (PICS) direcionada aos profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS).Divulgar evidências científicas dessas práticas no processo de cuidado continuado, humanizado e integral, visando-se normatizar a utilização no Município.Ampliar o acesso às PICS pelos profissionais, buscando sensibilizá-los sobre a importância da qualificação e variedade de recursos de baixo-custo disponíveis para o cuidado à saúde.Disponibilizar informações sobre as práticas como uma nova perspectiva de assistência centrada no sujeito, considerando-se as dimensões físicas, mentais e emocionais.Como resultados da proposta apresentada, tem-se observado melhoria da dimensão mental, relaxamento, alívio do estresse, da ansiedade e sensação de bem-estar, em especial após as práticas de Meditação, Reiki e Auriculoterapia.Há relatos dos trabalhadores de que se sentem fortalecidos e seguros no exercício de suas funções, motivados a realizarem o autocuidado contínuo, equilíbrio e percebem que suas demandas são acolhidas e podem ser superadas coletivamente. A aplicação de novas formas de cuidado com a oferta das PICS (Auricoloterapia, Reiki, Meditação, Fitoteparia e Plantas Medicinais) desencadeou uma mudança de paradigma pautado na medicalização e com o foco na doença para um modelo centrado no cuidado integral e humanizado e de qualidade. E também despertou nesses profissionais o interesse na qualificação e aperfeiçoamento nas PICS.

Sensibilização, divulgação e ampliação de informações sobre o uso e acesso às Práticas Integrativas Complementares (PICS) no cuidado integral e humanizado dos trabalhadores chamados linha de frente no enfrentamento e combate à Covid-19.

A proposta do Projeto de assistir aos trabalhadores da linha de frente no combate à Covid-19 numa perspectiva interprofissional, multiprofissional e ampliada com o uso das PICS vem potencializando a forma de cuidado integral, humanizado e de qualidade centrada no sujeito, configurando-se numa estratégia terapêutica e promotora de saúde na APS.O uso das PICS nesse contexto de pandemia despertou o interesse de profissionais da saúde a buscarem qualificação e aperfeiçoamento sobre a temática para enriquecimento do seu potencial de cuidado, na promoção da saúde e na prevenção de agravos tanto da população como da equipe de saúde.O Projeto tem permitido também divulgar as evidências científicas do uso das PICS na APS tanto com a chancela da gestão quanto do Conselho Municipal de Saúde que tem apoiado e fomentando a sua aplicação.Sabe-se que, embora o acesso às PICS seja regulado pelo SUS desde 2006, ainda há resistência de usuários e profissionais da saúde justamente por haver pouca divulgação das informações sobre a utilização das práticas no cuidado integrado e humanizado.Portanto, o Projeto apresentado tem contribuído no despertar do interesse social e de profissionais da saúde nas PICS como estratégica terapêutica promotora de saúde e cuidado ampliado, integral e de qualidade, principalmente em tempos de enfrentamento à pandemia do Covid-19.

Principal

Deilane da Silva Pinheiro

deilanepinheiro@bol.com.br

A prática foi aplicada em

RJ

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Paraíba do Sul

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Deilane da Silva Pinheiro

Conta vinculada

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
Educação em Saúde, Cultura e Ambiente Como Estratégia para a Implantação da Fitoterapia na Atenção Básica do Município de São Francisco do Conde-Bahia
Bahia
Práticas
Relato do Processo de Implantação de Protocolo de Fitoterápicos Municipal no Município de Vera Cruz do oeste, Brasil
Paraná
Práticas
Projeto Farmácia Viva
Piauí
Práticas
Gestão das Pics: Instrumento de Avaliação Como Indicador de Efetividade e Consolidação na Aps.
Santa Catarina