Olá,

Visitante

Práticas Integrativas Complementares em Saúde ofertadas pelo Nasf/Ps Como Suporte Assistencial Aos Profissionais no Enfrentamento À Covid-19

As Práticas Integrativas e Complementares (PICS) são tratamentos que utilizam recursos terapêuticos baseados em conhecimentos tradicionais, são utilizadas na prevenção de agravos, promoção da saúde e integra o tratamento de doenças pela medicina convencional. No Brasil, o uso das PICS no Sistema Único de Saúde (SUS) é normatizado pela Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PNPIC), desde 2006. Até o momento, o SUS oferece 29 práticas.Diante desse contexto, o Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura Municipal de Paraíba do Sul-RJ (SMS_PS) desenvolve um Programa de sensibilização, divulgação e ampliação de informações sobre essa metodologia de cuidado de baixo-custo, centrado no sujeito e não na doença. O acesso a essas práticas pelos profissionais da saúde vinha ocorrendo de forma gradual e pontual em algumas Unidades Básicas de Saúde (UBS), entretanto com o surgimento da pandemia da Covid-19, o projeto amplia-se com a oferta da Auriculoterapia, Meditação, Fitoterápicos e Plantas Medicinais e Reiki.Nesse cenário novo e desafiador, o clima de estresse, ansiedade, medo, esgotamento físico e mental entre os profissionais acentuou-se, por isso o NASF reorganiza seus processos de trabalho, estabelecendo e reforçando o suporte assistencial aos profissionais por meio das PICS.Tal proposta apresenta como objetivos:Descrever a experiência no NASF-AB na implementação e implantação do Programa que prevê uma abordagem interdisciplinar por meio das Práticas Integrativas e Complementares (PICS) direcionada aos profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS).Divulgar evidências científicas dessas práticas no processo de cuidado continuado, humanizado e integral, visando-se normatizar a utilização no Município.Ampliar o acesso às PICS pelos profissionais, buscando sensibilizá-los sobre a importância da qualificação e variedade de recursos de baixo-custo disponíveis para o cuidado à saúde.Disponibilizar informações sobre as práticas como uma nova perspectiva de assistência centrada no sujeito, considerando-se as dimensões físicas, mentais e emocionais.Como resultados da proposta apresentada, tem-se observado melhoria da dimensão mental, relaxamento, alívio do estresse, da ansiedade e sensação de bem-estar, em especial após as práticas de Meditação, Reiki e Auriculoterapia.Há relatos dos trabalhadores de que se sentem fortalecidos e seguros no exercício de suas funções, motivados a realizarem o autocuidado contínuo, equilíbrio e percebem que suas demandas são acolhidas e podem ser superadas coletivamente. A aplicação de novas formas de cuidado com a oferta das PICS (Auricoloterapia, Reiki, Meditação, Fitoteparia e Plantas Medicinais) desencadeou uma mudança de paradigma pautado na medicalização e com o foco na doença para um modelo centrado no cuidado integral e humanizado e de qualidade. E também despertou nesses profissionais o interesse na qualificação e aperfeiçoamento nas PICS.

Sensibilização, divulgação e ampliação de informações sobre o uso e acesso às Práticas Integrativas Complementares (PICS) no cuidado integral e humanizado dos trabalhadores chamados linha de frente no enfrentamento e combate à Covid-19.

A proposta do Projeto de assistir aos trabalhadores da linha de frente no combate à Covid-19 numa perspectiva interprofissional, multiprofissional e ampliada com o uso das PICS vem potencializando a forma de cuidado integral, humanizado e de qualidade centrada no sujeito, configurando-se numa estratégia terapêutica e promotora de saúde na APS.O uso das PICS nesse contexto de pandemia despertou o interesse de profissionais da saúde a buscarem qualificação e aperfeiçoamento sobre a temática para enriquecimento do seu potencial de cuidado, na promoção da saúde e na prevenção de agravos tanto da população como da equipe de saúde.O Projeto tem permitido também divulgar as evidências científicas do uso das PICS na APS tanto com a chancela da gestão quanto do Conselho Municipal de Saúde que tem apoiado e fomentando a sua aplicação.Sabe-se que, embora o acesso às PICS seja regulado pelo SUS desde 2006, ainda há resistência de usuários e profissionais da saúde justamente por haver pouca divulgação das informações sobre a utilização das práticas no cuidado integrado e humanizado.Portanto, o Projeto apresentado tem contribuído no despertar do interesse social e de profissionais da saúde nas PICS como estratégica terapêutica promotora de saúde e cuidado ampliado, integral e de qualidade, principalmente em tempos de enfrentamento à pandemia do Covid-19.

Principal

Deilane da Silva Pinheiro

deilanepinheiro@bol.com.br

A prática foi aplicada em

RJ

Rio de Janeiro

Sudeste

Instituição

Paraíba do Sul

Uma organização do tipo

Outra

Foi cadastrada por

Deilane da Silva Pinheiro

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

04 dez 2015

e atualizada em

14 set 2023

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
As PICS como ferramenta potencializadora no cuidado a saúde do trabalhador
Paraíba
Práticas
Práticas integrativas em um grupo tereapêutico “equilíbrio das emoções”
Paraíba
Práticas
Auriculoterapia uma práticas integrativas: como alternativa complementar no tratamento da ansiedade
Paraíba
Práticas
IMPLANTAÇÃO DE PRÁTICA INTEGRATIVA E COMPLEMENTAR NA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE QUEIMADAS-PB
Paraíba
Práticas
A terapia comunitária integrativa como inclusão e bem-estar na terceira idade.
Rio de Janeiro
Práticas
Implantação do Centro de Referência em MTC e Práticas Integrativas no Município de Duque de Caxias
Rio de Janeiro
Práticas
Planejamento orientativo do CTA/SAE Juara – MT, sobre protocolo de PEP às farmácias do Vale do Arinos.
Mato Grosso
Práticas
A Ozonioterapia no tratamento de dores crônicas
Rio de Janeiro