Olá,

Visitante

Práticas educativas sobre sexualidade e DST com adolescentes em conflito com a lei: relato de experiência

A educação em saúde é uma ação básica cujo objetivo é capacitar indivíduos e/ou grupos para assumirem ou ajudarem na melhoria das suas condições de saúde. Os grupos têm sido utilizados como um instrumento valioso e até mesmo imprescindível para o alcance deste objetivo. Diante disto, contribuímos de modo efetivo para o fortalecimento das ações de vigilância em saúde no enfrentamento à epidemia da AIDS no município de Tianguá, com foco nas populações vulneráveis, a saber: adolescentes em conflito com a Lei. METODOLOGIA: Este trabalho foi embasado nas metodologias ativa de Paulo Freire que favorece uma reação crítica e transformadora. Idealizado entre a Secretaria de Trabalho e Assistência Social – SETAS e Secretaria de Saúde do Município de Tianguá e relata os seis encontros com duração de duas horas cada, em semanas intercaladas e horários factíveis a todos os atores. Os participantes foram os adolescentes que cumpriam medidas socioeducativas no Centro de Referência da Ação Social – CRAS. Foram abordadas as seguintes temáticas: sexualidade na adolescência, métodos contraceptivos, prevenção de DST/HIV/Aids e hepatites e imunização. DISCUSSÕES: No desenvolvimento das atividades observou-se o interesse pelo tema sexo e sexualidade, já que, adotam práticas e/ou comportamentos que os deixam mais vulneráveis, destacando que as famílias, escola e profissionais de saúde não discutem sobre sexualidade com os adolescentes como deveriam. Os participantes perceberam a real importância da transformação da realidade com a mudança do comportamento e aquisição de hábitos saudáveis e atitudes positivas. Em algumas falas percebeu-se uma autoimagem negativa, marcada pelo ato infracional cometido ou pela imagem que possuem de si como jovens infratores.

Os dados epidemiológicos referem a AIDS como doença grave e emergente, sendo considerado um dos maiores problemas de saúde pública no país e no mundo As modificações bio-psico-sociais que ocorrem no adolescente podem interferir no processo natural do seu desenvolvimento, fazendo com que ele sinta necessidade de experimentar comportamentos que os deixem mais vulneráveis a riscos para a sua saúde, inclusive no aspecto da sexualidade.

Diante da experiência realizada, inferimos a impossibilidade de um trabalho preventivo que dispense uma prática educativa, a qual deve levar em conta as peculiaridades de cada grupo ou população assistida. Mostra-se do mesmo modo imprescindível a ação intersetorial para o atendimento das populações no sentido da integralidade, buscando práticas mais responsivas às suas demandas – estas que variam conforme o grau de vulnerabilidade encontrada.

Principal

Sabrinna Araújo Coimbra

sabrinnace@hotmail.com

A prática foi aplicada em

Tianguá

Ceará

Nordeste

Esta prática está vinculada a

Secretaria Municipal de Saúde de Tianguá(CE)

Av. Moisés Moita, 785

Uma organização do tipo

Instituição Pública

Foi cadastrada por

Sabrinna Araújo Coimbra

Conta vinculada

A prática foi cadastrada em

02 jun 2023

e atualizada em

12 maio 2024

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

Você pode se interessar também

Práticas
Experiência do Preventivo Humanizado no SUS
Maranhão
Práticas
Implantação do serviço de curativos na atenção básica do município de Arara: experiência exitosa
Paraíba
Práticas
Assistência odontológica aos trabalhadores da saúde municipal de Esperança: relato de experiência
Paraíba
Práticas
Caminhos do Cuidado, levando serviços de saúde para as comunidades rurais no município de Condado (PB)
Paraíba
Práticas
Gestar saudável – de 0 a 1000 dias
Paraíba
Práticas
Mapa territorial em saúde mental: instrumento exitoso do cuidado na atenção primária à saúde
Paraíba
Práticas
Implementação da estratégia Tenda da Imunização para aumento de coberturas vacinais
Todos os Estados (Nordeste), Paraíba