Olá,

Visitante

Pontinhos de Amor: Relato de Experiência Sobre Doação e Convivência no Cuidado em Saúde

FINALIDADE DA EXPERIÊNCIA:O grupo Pontinhos de Amor tem como objetivo geral a produção de artigos artesanais para doação a pacientes em tratamento de saúde, por meio da organização coletiva de mulheres pertencentes ao território da unidade básica de saúde Mandacaru. Além disso, alguns objetivos específicos podem ser pontuados: (a) criar um espaço de trocas de vivências entre as mulheres pertencentes ao território da UBS

Iniciado em fevereiro de 2016, o grupo Pontinhos de Amor surgiu da parceria e interesse comum entre uma agente comunitária de saúde e uma usuária da unidade de saúde Mandacaru, no município de Maringá/PR. Tendo como objetivo inicial a confecção de acessórios (toucas e cachecóis) para doação aos pacientes do Hospital do Câncer de Maringá, atualmente o grupo – formado por dezenove mulheres com idade que variam de 45 a 75 anos – tem ampliado seu escopo de ações, realizando doações a diversos públicos (hospitais, instituições de acolhimento, serviços de apoio a pacientes oncológicos, etc.). Recentemente, em parceria com o projeto “Abraço Quentinho” do Hospital Universitário de Maringá (UEM/HUM), o grupo tem realizado a confecção de “polvinhos” para bebês prematuros internados na UTI neonatal, bem como a criação de kits para recém-nascidos compostos por sapatinhos de lã, toalhinhas de boca, manta e toalha de banho. Concomitantemente, o grupo fabrica uma série de produtos artesanais, como toucas, cachecóis, sapatinhos, mantas diversas, almofadas de coração para mulheres mastectomizadas, mantendo a proposta do grupo de doação dos produtos a usuários dos serviços de saúde do município. Embora tenha surgido com o intuito de oferecer doações a pessoas em tratamento oncológico, o grupo configura-se como espaço primordial de convivência, estabelecendo e fortalecendo vínculos entre usuários e comunidade e entre usuários e o serviço de Atenção Básica.

Entende-se que a existência do grupo aponta para ganhos individuais e coletivos significativos, uma vez que se configura como importante espaço de construção coletiva e ainda como necessária ferramenta de saúde mental, apresentando resultados positivos no que diz respeito à autopercepção das participantes, bem como nas relações que tais mulheres estabelecem entre si e com o serviço de saúde. Além disso, o grupo apresenta um papel relevante de apoio a pacientes em tratamento e instituições hospitalares e de acolhimento, por meio das doações que realiza e das parceiras firmadas.

Principal

Valéria Cristina Sanzovo,Sirlei Reis Ferreira, Vanderlice Violin, Eliana Cláudia Porcelani Bergamo, Fátima Cristina Bento Fernandes, Mariza Molina Catraga Pratas

valeriasanzovo@gmail.com

A prática foi aplicada em

Maringá

Paraná

Sul

Instituição

Av. Prudente de Morais, 885

Uma organização do tipo

Instituição pública

Foi cadastrada por

Valéria Cristina Sanzovo,Sirlei Reis Ferreira, Vanderlice Violin, Eliana Cláudia Porcelani Bergamo, Fátima Cristina Bento Fernandes, Mariza Molina Catraga Pratas

Conta vinculada

emanoel.filho@fiocruz.br

02 jun 2023

e atualizada em

14 set 2023

Seu Período de Execução foi de

até

Condição da prática

Concluída

Situação da Prática

Arquivos

Palavras-chave

nenhuma

Você pode se interessar também

Práticas
‘‘Felicidade de Viver’’. Promoção da Atividade Física na Terceira Idade para Melhorar a Qualidade de Vida Física e Mental.
Paraíba
Práticas
Ação Municipal – Juntos Somos Mais Fortes
Tocantins
Práticas
Atenção Domiciliar: a Integralidade do Cuidado Promovendo Saúde e Prevenindo Agravos
Rio de Janeiro
Práticas
Relato de Experiência da Atenção Especializada em Saúde da População Trans no Município de Niterói.
Rio de Janeiro
Práticas
Modelos Assistenciais em Saúde: Desafios e Perspectivas
Rio Grande do Sul
Práticas
A Ótica do Cuidado: Relato de Experiência Sobre o Projeto olhar Brasil Realizado no Município de Vassouras – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Promoção da Saúde a Partir do Resgate da Ancestralidade de Comunidades em Contexto Rural e Quilombola no Município de Natividade
Rio de Janeiro
Práticas
Rede de Atenção com Foco no Cuidado das Pessoas com Doença Falciforme no Município de São Pedro da Aldeia – Rj: Contribuição da Coordenação de Saúde Bucal.
Rio de Janeiro
Práticas
Protocolo para o Cuidado odontológico dos Pacientes com Doença Falciforme no Município de São Pedro da Aldeia – Rj
Rio de Janeiro
Práticas
Nasf Pindoba e o Grupo Plantando com Saúde